Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Ferramentas Pessoais
Acessar
Você está aqui: Página Inicial Histórico

Histórico

Considerada uma das primeiras, senão a primeira, coleção pública de arte do Rio Grande do Sul, o Acervo Artístico, nasceu com a criação do Instituto de Belas Artes do Rio Grande do Sul em 1908, e acompanhou todos os percalços burocráticos pelos quais passou esta instituição.
Na intenção de constituir um patrimônio artístico próprio, foram adquiridas de 1910 a 1938, obras de significativa importância como as Bailarinas de Pedro Weingärtner; Inveja de E. Latour. Ainda por iniciativa do então diretor Libindo Ferrás, foram encomendadas em 1910, as réplicas da Vênus de Milos e do Apolo de Belvedere, para servirem de modelos às aulas de desenho e escultura e que hoje estão no saguão de entrada do IA. A partir de 1939, o IBA passou a receber os premiados do Salão de Belas Artes do Rio Grande do Sul. Estes Salões marcaram a vida acadêmica do antigo Instituto de Belas Artes, não só pelo envolvimento de seus professores em sua organização, mas também pela participação dos mesmos enquanto premiados, caso de Luiz Maristany de Trias, Ângelo Guido, João Fahrion, Fernando Corona, entre outros. Também foram adquiridas, peças do Salão Pan-Americano, comemorativo ao cinquentenário do IBA. Mais tarde, na década de  70 foram incorporadas as obras premiadas no Salão de Artes Plásticas da UFRGS, de âmbito nacional. Paralelamente às aquisições, este Acervo tomou corpo, principalmente, pelas doações de professores e alunos que passaram pelo Instituto, e de artistas convidados. Mais recentemente através do projeto Singular no Plural, (1997-2003) buscando a atualização deste patrimônio, foram realizadas seis exposições, nas quais participaram os artistas- professores do IA, e ao término de cada mostra doavam uma obra ao Acervo.

VEJA NO LINK RELATÓRIO

Projeto (não realizado) de Fernando Corona de conjunto arquitetonico
com museu que iria até a esquina da R. dos Andradas

 

Com a inauguração do atual prédio, em 1943, foi criada a Pinacoteca Barão do Santo Ângelo, a qual o Acervo Artístico está, desde então vinculado. No regimento interno do Instituto de Artes da UFRGS, o Acervo Artístico juntamente com o Restauro e a Galeria, é definido como um setor, da Pinacoteca Barão do Santo Ângelo, que não possui dotação orçamentária própria e tem como função preservar, dinamizar e divulgar o patrimônio artístico.
O Acervo Artístico possui atualmente entre pinturas, esculturas, obras em papel, em torno de 600 peças catalogadas e com registro patrimonial da UFRGS, resta ainda passar por esses processos aproximadamente 200 obras.    

REFERÊNCIAS:
BRITES, Blanca. Singular no Plural.   Catálogos -IA/UFRGS, 1997- 2003.  
BRITES, Blanca. Projeto de pesquisa: Informatização e Catalogação do Acervo Artístico da Pinacoteca Barão de Santo Ângelo – Instituto de Artes/ UFRGS.SIMON, Círio. Origens do Instituto de Artes da UFRGS, 2006.