Ferramentas Pessoais
Acessar
Seções
Você está aqui: Página Inicial Matérias-primas Frutas Uvas Moscatéis Variedades para Industrialização

Variedades para Industrialização

  • Moscatel Brancomosc..jpg (2352 bytes)

Sinononímia: ‘Muscat Blanc’, ‘Moscato Giallo’.

Origem: variedades de Vitis vinifera.

Utilidade: Produz excelente vinho licoroso e bom vinho branco. Também é estimada no Sul da França como uva de mesa.

Características Botânicas: Cachos; são médios a grandes compostos pesando entre 300-700g e comprimento relativo 13-20cm, cônicos, alados e compactos, com bagas também médias e supergrande arredondadas a maioria e, devido a compacidade intensa, ovóides, 144-315 bagas por cacho, verde-esbranquiçadas, pele espessa e tenra, polpa carnuda e sucosa.

  • Moscatel Italiano

Origem: Bacia do Mediterrâneo (magna Grécia), introduzida no estado no início deste século, possivelmente vinda da Argentina.

Característica Fenológicas: brota 19/09 a 28/09 e amadurece de 25/02 a 06/03.

Produtividade e Produção:Produtividade de 25 a 30t/ha com teores de açúcar de 14 a 16o Brix. Ocupa área cultivada no RS de 568ha. Ë a segunda vinífera mais plantada no Brasil e ocupa o primeiro lugar entre as viníferas brancas no estado com 19.854 toneladas de uva industrializadas em 1992.

Bagas: película branca e sabor moscatel.

Utilidade: Produz vinho branco, varietal fino, de consumo breve. Pode ser usado para espumantes, especialmente do tipo Asti. ou corte para vinhos fracos de aroma. Seu bagaço fermentado fornece graspa de alta qualidade.

  • Moscatel de Hamburgo

Sinonímia: ‘Muscat de Hamburgh’, ‘Black of Alexandria’.

Origem: variedade de Vitis vinifera L.

Utilidade: constitui uva de mesa muito resistente ao transporte. Pode ser vinificado produzindo vinho de mediana qualidade.

Característica Fenológicas: florescimento 20 de outubro a 16 de novembro; início da maturação: 30 de dezembro e término: 3 de fevereiro

Características Botânicas: Cachos; médios e grandes pesando entre 250-300g, cônicos, alongada com bagas na maioria grandes, ovóides e elipsóides, 84-96 bagas por cacho , com pele espessa e rosa-vinhosa, consistente, suco róseo, polpa sucosa, carnuda e sabor agradável mosqueado, com muita farta ramificação lateral e esparsa.

  • Moscatel Rosado

Sinonímia: ‘Muscat Piémont’, ‘Moscatel Rosada Argentina’, ‘Moscatel Rosado’.

Origem: variedade de Vitis vinifera. Parece ser proveniente do Peru, de onde foi para o Chile e Argentina.

Utilidade: é principalmente, uva de mesa. Fornece um vinho licoroso brilhante, rosado e de delicado perfume mosqueado que lembra o odor da rosa.

Características Fenológicas: florescimento 27 de outubro a 10 de novembro, início da maturação: 01 de janeiro e término: 12 de março.

Características Botânicas: Cachos; médio a grande 350-450g, comprimento relativo de 14-20cm para o cacho principal e 10-11cm para o secundário, medianamente esparso 87 bagas por cacho, cônico, composto, alado (2 asas), baga ovalada, polpa crocante, rosa-viva (cachos insolarados) ou acizentada (exposições mais sombrias), tendência a ter filagem nos cachos.

  • Moscatel da Alexandria

Sinonímia: ‘Moscatel de Espanha’, ‘Moscatel de Málaga’, ‘Moscatel Real’.

Utilidade: uvas para mesa e passas.

Características Fenológicas: maturação precoce, mas irregular.

Características Botânicas: Cachos, grandes, cônico e alongado, solto, ornamental, baga grande, ovóide, amarelo-dourada, crocante, de relevante perfume e sabor moscados.

Particularidade: é uma casta para climas semi-áridos, de muito calor e ar seco, resiste bem ao transporte e excelente sabor moscatel.

  • Piróvanos

Estas castas surgira através dos cruzamentos da cultivar Moscatel de Hamburgo, realizados por Luigi Piróvano e seu filho Alberto Piróvano, no fim do século 19 (1897). Existem em cultura cerca de 150 Piróvanos, perfeitamente estudados e conhecidos, mas apresentaremos apenas alguns cultivares mais importantes em nosso país.

Piróvano 54:

Sinonímia: Perlona

Origem: criada na Itália por Ângelo Piróvano em 1911, através do cruzamento de Bicane x Moscatel de Hamburgo.

Produção: é cultivada em pequena escala em nosso estado. Produção alternada durante os anos e de maturação tardia; na Serra Gaúcha é colhida meados de março e início de abril (grande mérito- melhores preços de mercado).

Características Botânicas: Os cachos são grandes ou muito grandes, cilíndrico-cônicos, compacto, exigindo desbaste rigoroso das bagas para alcançar boa apresentação (raleio de flores e desbaste de cachos). A baga é branca, muito grande, oval, polpa crocante, carnosa e de discreto sabor moscado. Sendo assim muito atrativa.

Particularidades: é pouco resistente ao transporte e ao armazenamento. Colheita é um ponto difícil pois não devemos colher em dias chuvosos e os cachos molhados devem ser secos com ventiladores, antes de serem encaixotados. A uva não deve estar verde e azeda, por que desmoraliza o produtor no mercado e nem muito madura, tornando-se ainda mais frágil o encaixotamento, transporte e comercialização.

Piróvano 65:

Sinonímia: Itália no Brasil também conhecida como Dedo-de-Dama.

Origem: criada por Ângelo Piróvano, na Itália, através da hibridização de Bicane x Moscatel de Hamburgo, em 1911. Introduzida em nosso país na década de 20, mas o seu cultivo começou em São Paulo na década de 50. Atualmente é considerada como uva de mesa universal, tendo um padrão de uva de mesa tipo europeu no mundo.

Características Fenológicas: brota de 01/09 a 25/09 e amadurece de 05/02 no RS.

Produção: graças a sua qualidade para consumo in natura e às características de boa adaptação em várias regiões vitícolas, tornou-se a principal uva fina de mesa em cultivo no Brasil. Destacam-se pelo volume de produção os estados de São Paulo, Pernambuco e Paraná. O ciclo normal em São Paulo e Paraná é de pousio no inverno e colheita em fevereiro, mas com a utilização de estufas colhe-se na entressafra: de agosto a novembro e de abril a junho. Em Pernambuco e em outras regiões semi-áridas do Nordeste, adapta-se a ciclos sucessivos que, programados através da poda e do controle da irrigação, possibilitam colheitas a qualquer época, até 2,5 colheitas por ano. Sua produtividade é alta, podendo atingir até 40 t/há em um ano (nas condições do Nordeste, em 3 ciclos vegetativos em 2 anos), com teores de açúcares de 16 a 18o Brix.

Características Botânicas:Os cachos são grandes e vistosos cerca de 500 gramas, sendo importante o raleio de flores e o desbaste dos cachos. As bagas são brancas, ovóides, de grandes a muito grandes, carnosas e crocantes, com leve e agradável sabor moscatel.

Particularidades: resiste ao transporte e suporta conservação frigorífica por períodos razoáveis. Nos últimos anos, vem sendo exportada com sucesso, principalmente, para a Europa.

nebbiolo1.jpg (10981 bytes)Mutações Somáticas da "Itália":

  • Rubi:

Surgiu no Estado do Paraná, diferindo da original pela cor rosada da película. Em regiões tropicais tem dificuldades em atingir a coloração característica.

  • Benitaka:

Surgiu também no Paraná, mutante com melhor coloração do que a Rubi. Vem sendo cultivada por viticultores de origem japonesa.