Ferramentas Pessoais
Acessar
Seções
Você está aqui: Página Inicial Operações Unitárias Transformação Moagem

Moagem

A moagem é uma operação unitária de redução de tamanho, em que o tamanho médio dos alimentos sólidos é reduzido pela aplicação de forças de impacto, compressão e abrasão.

As vantagens da redução de tamanho no processamento são:

  • Aumento da relação superfície /volume, aumentando, com isso, a eficiência de operações posteriores, como extração, aquecimento, resfriamento, desidratação, etc.
  • Uniformidade do tamanho das partículas do produto, auxiliando na homogeneização de produtos em pó ou na solubilização dos mesmos (exemplo: sopas desidratadas, preparados para bolos, achocolatados, etc.).

A moagem é uma operação unitária frequentemente utilizada com grãos, para reduzi-los a farinha ou pó.

Em cereais, implica na eliminação do pericarpo, das cascas da semente, da epiderme nuclear e da camada do aleuroma. Geralmente se elimina o gérmen por ser relativamente rico em óleo, o qual provoca o ranço do cereal, diminuindo a sua qualidade.

A trituração ou moagem pode ser considerada muito ineficaz do ponto de vista energético. Somente uma pequena parte da energia é empregada realmente para a ruptura  ou fragmentação do sólido. A maior parte se dirige para a deformação desse sólido e a criação de novas linhas de sensibilidade que pode produzir a ruptura sucessiva dos fragmentos. O resto da energia se dissipa em forma de calor.

Conforme a finalidade , são usados diferentes tipos de moinhos, dentre eles destacam-se:

 

MOINHOS DE DISCO – Geralmente usado para moagem de granulação fina, são pequenos e de difícil regulagem. São os mais comuns no Brasil.

 

MOINHO DE ROLOS – Mais utilizado na moagem de cereais em uso caseiro, fornece um produto de textura mais uniforme.Dois ou mais cilindros pesados giram em direções contrárias, a velocidades iguais ou diferentes. Partículas na alimentação são submetidas a forças de compressão.A distância entre os rolos, que giram em sentidos opostos, é regulável e deve ser ajustada às condições da matéria prima, da torrefação e do próprio sistema de extração. É mais utilizado nos Estados Unidos.

Exemplo de um moinho de rolo.

MOINHO DE FACAS E DE MARTELOS – Produzem um material mais fino que o moinho de rolos. Para moagem de cereais destinado à extração de pó solúvel, o moinho de rolos é o mais indicado, sendo também utilizados os moinhos de facas e martelos e os de disco. Normalmente os moinhos de facas e martelos apresentam melhores resultados do que os de disco para este fim. Um rotor de alta velocidade gira no interior de uma capa cilíndrica. No exterior do rotor é acoplada uma série de martelos nos pontos de articulação. O material se rompe pelo impacto dos martelos e se pulveriza ao passar por uma esteira na abertura entre os martelos e a capa.

Moinho de martelos.

TRITURADORES DE MANDÍBULAS: A alimentação passa entre duas mandíbulas pesadas. O material vai passando lentamente por um espaço cada vez menor, triturando-se ao deslocar-se.

Trituradores de Mandíbula.

MOINHOS DE BOLAS: Uma capa cilíndrica, que gira em um eixo horizontal, é carregada com bolas de aço ou porcelana. A redução de tamanho é feita pela ação do impacto e da fricção das bolar ao girar o moinho.

Moinho de bolas.

Este processo é importante para a fabricação de:

Em alguns casos, a moagem não tem como objetivo a redução  do tamanho de partículas. A moagem de cana para fabricação de aguardente, por exemplo, tem a finalidade de extrair o caldo da cana.

Página criada por Ana Fabrícia e Fernanda Streit - dezembro/2000.

Modificado por Andrea Bordin Shcumacher, Cássio Gasparin e Lia Barth - abril/2002 e

Cristina Mantovani, Fernanda Stoduto e Flaviana Trombetta - Abril/2002

Modificado por André VitalFabrício LuzMateus Lima - fevereiro/2003.

Modificado por Alexandra LangaroEliane Barros da RosaGeruza Ramos Caron - fevereiro/2003.

Modificado por Camila TelesCarla MelloFábio Rauber - janeiro/2004