Ferramentas Pessoais
Acessar
Seções
Você está aqui: Página Inicial Produtos Frutas Espumante Histórico

Histórico

A descoberta do espumante data do final do s�culo XVII. Na ocasi�o, a regi�o de Champagne, na Fran�a, somente produzia vinhos tintos e brancos, de alta reputa��o. Devido �s eleva��es de temperatura na �poca da primavera, vinhos que continham res�duos de a��car sofriam uma segunda fermenta��o. Esses vinhos ent�o eram rejeitados. Na Abadia de Hautvillers, Dom Pierre P�rignon come�ou a pesquisar sobre essa nova bebida at� desenvolver o espumante. Ele tamb�m desenvolveu a t�cnica de vinifica��o em branco de uvas tintas. Ele criou um dos maiores segredos da qualidade dos espumantes naturais; a t�cnica de misturar pequenas parcelas de vinho, de diferentes parreiras, chamada assemblage. Ele tamb�m substituiu as tampas de pano por rolhas de corti�a e idealizou uma garrafa mais resistente.


No in�cio do s�culo XIX, Madame Nicole Ponsardin, depois conhecida como Mme. Veuve Clicquot, contribuiu muito para o aprimoramento do espumante. Ap�s a morte de seu marido, ela desenvolveu o processo de remuage, que consiste no processo de remo��o de impurezas decorrentes da fermenta��o do vinho pela rota��o das garrafas, para que os res�duos se acumulassem no gargalo.

A contribui��o do qu�mico Jean-Antoine Chaptal, pouco tempo depois, foi a de adicionar a��car, de modo a aumentar o conte�do de �lcool, durante o processo de fermenta��o, ao contr�rio de como era feito, sendo adicionado somente no final. Da� surgiu o processo de Chaptaliza��o, que corresponde � corre��o do a��car. Em 1836 o farmac�utico Monsieur Fran�ois inventou um instrumento que media a quantidade de a��car no vinho, possibilitando a determina��o da exata quantidade de a��car necess�ria � segunda fermenta��o, diminuindo o n�mero de garrafas que explodiam devido � elevada press�o da fermenta��o excessiva.

Com a primeira Guerra Mundial e a Grande Depress�o de 1929 o mercado de espumante caiu rapidamente, e sua comercializa��o foi proibida nos EUA. O diretor da M�et et Chandon estabeleceu, ent�o, um pre�o m�nimo de compras das uvas, garantindo a subsist�ncia dos produtores. Ap�s a Segunda Guerra, criou-se o CICC (Comit� Interprofissional du Vin de Champagne) e o consumo de espumante foi quadruplicado desde 1945 at� 1966 (MANTOVANI, 2000).

P�gina elaborada por Camila TelesCarla MelloF�bio Rauber em novembro de 2003.
Voltar