Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Seções

Projeto mapeia o nascimento da Imprensa em Blumenau

O recém criado curso de Jornalismo da Universidade Regional de Blumenau – Furb, por meio de uma equipe interdisciplinar formado pelos alunos da sua primeira turma e sob a supervisão dos professores Clarissa Josgrilberg Pereira, Evandro de Assis, Magali Moser e Roseméri Laurindo, tem realizado  desde 2014 o mapeamento e análise do nascimento da imprensa em Blumenau.

O projeto em sua primeira fase, já concluída, visava a identificação e elaboração de perfis dos primeiros jornais da cidade e dos seus principais jornalistas. Este levantamento inicial  realizado através da pesquisa documental no Arquivo Histórico José Ferreira da Silva e de entrevistas com historiadores da região identificou o pioneirismo do jornal Blumenauer Zeitung fundado por Hermann Baumgarten em 1881.

Por meio da pesquisa desenvolvida o grupo da Furb, percebeu as motivações políticas que levaram ao surgimento da imprensa na região. O colonizador da cidade o Dr. Hermann Bruno Otto Blumenau  que politicamente  defendia o imperialismo temia a disseminação de ideias Republicanas na cidade. Para impedir o avanço liberal, o Dr. Blumenau apoiou Hermann Baumgarten a criar o Blumenauer Zeitung para ser o porta voz do partido conversador.

O jornal criado por Hermann Baugarten circulou regularmente aos sábados nas maiores cidades catarinenses além do Rio de Janeiro e Alemanha, até 1938. Para se opor a atuação do Blumenauer Zeitung, nasce o Immigrant, em 1883, como difusor das propostas Republicanas. A publicação tinha como redator Bernard Scheidemantel, que era chargista e foi também o primeiro fotógrafo de Blumenau. O Immigrant se destaca pela colaboração de intelectuais como o naturalista Fritz Müller.

Immigrant circulou durante um período de tempo reduzido, se comparado ao seu concorrente, tendo encerrado suas atividades em 1891. A sua importância no entanto não é menor, o jornal como destaca a equipe do projeto é uma fonte rica em relatos sobre sua época e proporciona ao pesquisador uma visão mais plural ao possibilitar cruzar informações sobre os acontecimentos a partir de pontos de vistas distintos.

As edições ainda existentes do Immigrant são entretanto escassas. Chegaram até o presente somente uma coleção do jornal doada pela família Persuhn ao Arquivo Histórico José Ferreira da Silva.  Para preservar essa parte da história e facilitar o acesso ao seu conteúdo, a equipe do curso de jornalismo da Furb digitalizou o acervo e o disponibiliza gratuitamente por meio do site do projeto.  

Com o fechamento do Immigrant,  suas antigas instalações são vendidas para o Pastor luterano Hermann Faulhaber que lança oDer Urwaldsbote,  em 1983. O novo semanário marca o surgimento da imprensa religiosa na cidade e o respectivo afastamento da imprensa das disputas políticas. Devido às campanhas de nacionalização no Brasil o jornal também chega a adotar títulos em português, como O Correio da Mata e jornal Commércio de Blumenau.

Assim como os seus antecessores, o Der Urwaldsbote é marcado pela forte influência AlemãOs jornais pioneiros de Blumenau são redigidos somente em ocasiões pontuais em português sendo o alemão a língua adotada usualmente. O idioma utilizado nestas publicações acaba dessa forma se tornando uma das principais barreiras que dificulta o trabalho de pesquisa como aponta os coordenadores do projeto.

A iniciativa da equipe do curso de jornalismo da Universidade Regional de Blumenau apesar de recente e de ter enfrentado problemas comuns a quem se aventura no campo da histórica da mídia, como a dificuldade no acesso aos vestígios do passado,  já realizou uma exposição itinerante contando o nascimento da imprensa em Blumenau. O projeto também conta com um site que disponibiliza o conteúdo da exposição, assim como, perfis dos primeiros jornais e jornalistas, exemplares digitalizados além dos bastidores da pesquisa.

Os capítulos da história da mídia de Blumenau para serem contados ainda são muitos. A equipe dos professores da Furb  a frente do projeto destacam outros marcos como a criação da primeira emissora de rádio de Santa Catarina (PRC-4, Rádio Clube de Blumenau, em 1935), da primeira televisão (TV Coligadas, em 1969) e do primeiro jornal impresso em off-set (Santa) que destacam o pioneirismo comunicacional da cidade e que merecem atenção especial, se colocando assim como desafios a serem trabalhados nas próximas fases do projeto.    

Ações do documento
registrado em:

Bannes alcar 2019

selo

 

Iniciativa


unesco

  metodista



parcerias

ahc

 

mestrado espanha


Filiação

 
socicom

outros sites

intercom

 

sbpjor

 

 compos

 

história e audiovisual logo

 

Historicidades Log

 


ALCAR - Associação Brasileira de Pesquisadores de História da Mídia

E-mail: alcar@ufrgs.br