trigo3.gif (3880 bytes)

                    Características Botânicas

 

O trigo aparentemente é originário do Oriente Médio, de onde provém Triticum aegilopoides (Einkorn). Ele é o tipo de 7 cromossomos e o provável ancestral de todos os outros tipos de trigo, juntamente com algumas espécies de Aegilops (Morris e Sears, 1967). O trigo pertence ao gênero Triticum, possuindo um número muito grande de espécies.
As variedades de trigo cultivadas no Rio Grande do Sul pertencem a espécie aestivum, que é mais cultivada em todo o mundo. Outra espécie cultivada é Triticum durum (trigo duro) cultivado na América do Norte, Europa, Norte da África, Rússia, Índia   e   alguns   países   do  Oriente  Médio.  As  demais  espécies   tem   pequena  expressão em termos de área de cultivo mas são extremamente importantes como fonte de material genético em programas de melhoramento.
O número básico de cromossomos do trigo é 7 (sete). Estes cromomossomos formam um genoma, havendo diversos genomas, que são denominados de A, B, D e possivelmente outros. As diferentes espécies de trigo (diplóides ou poliplóides) compõem-se de um ou mais genomas. Com isto, a classificação das espécies de Triticum pode ser feita pelo número de cromossomos (diplóides, 2n = 14; tetraplóides,  2n = 28 e hexaplóides, 2n = 42) ou pela composição de genomas.
Os que possuem genoma b estão associados as proteínas gliadina e glutemina boas para panificação, porém com menor tolerância a moléstias e condições adversas do solo.
As folhas são compostas de lâmina, bainha, lígula sendo as aurícolas amplexicaules, com os bordos pilosos, possuem de 5 a 6 folhas correspondendo ao número de nós.
Os colmos são eretos, cilíndricos compostos de nós e entre nós.
A inflorescência é em espigueta dística com uma espigueta em cada nós do ráquis com glumas côncavas, 5 nervadas  e espiguetas com até 5 flores.
Os grãos possuem um sulco longitudinal profundo com pincel e forma oróide. Primeiro os grãos se formam nas espiguetas centrais, posteriormente nas partes basais e superiores.
Elementos constituintes da espigueta e da flor de trigo:

               figura 1.gif (41047 bytes)

               figura 2.gif (38372 bytes)

                                                         VOLTAR

Página criada por Cecília Senff em outubro de 2000

Modificada por Adriane Armellini, Gustavo Tohorell e Willian A. Oliveira em dezembro de 2003