Ferramentas Pessoais
Você está aqui: Página Inicial Conteúdo Antigo Agenda Reuniões

Reuniões

09/09/2011

Após algumas definições acerca do Marco Referencial - documento que será apresentado aos prefeitos de Porto Alegre e Viamão -, documento de oficialização do projeto, houve a última apresentação dos técnicos da Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Silvio Longo Vargas, supervisor da área de geomática da Procempa, falou sobre Georreferenciamento ao longo e no entorno do Arroio Dilúvio, em diversas temáticas. Essas dados serão de extrema importância para atuação e monitoramento das ações a serem executadas no projeto.  

Compareceram ao encontro os coordenadores por parte da academia, João Edgar Schmidt (UFRGS) e Betina Blochtein (PUCRS), além de Luis Humberto Villwock, Gustavo de Moraes, Letícia Hoppe e Sandra Modena (PUCRS); e Carlos André Silveira e Lívia Piccinini (UFRGS); por parte da Prefeitura de Porto Alegre, Marcelo Allet (SPM), Rodrigo da Cunha (Smam), Evandro Colares (Dmae), Silvio Longo Vargas e Rejane Mello (ambos da Procempa); e, pela Prefeitura de Viamão, Ruy Rostirolla (DEPP).

 

31/08/2011

Dando seguimento o ciclo de apresentações de cada setor do Grupo de Trabalho do projeto, o Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU),por meio do diretor da Divisão de Destino Final do órgão, Arceu Bandeira, falou sobre os quatro projetos do órgão que podem beneficiar o Dilúvio: Reciclagem de Óleo de Fritura, Ecopontos, Coleta de Resíduos Eletrônicos e Coleta Mecanizada.

O projeto de reciclagem de óleo de fritura contempla a acomodação do óleo de cozinha que sobra dos domicílios em garrafas PET, sendo posteriormente utilizado como matéria-prima para a produção de ração animal e biocombustível. Dessa forma, evita-se a concentração de óleo, nas águas dos arroios do municípo e do lago Guaíba, que bloqueia a oxigenação da água prejudicando fauna e flora desses habitats.

Os Ecopontos - Destino Certo objetivam viabilizar a coleta de materiais que não podem ser destinados às coletas domiciliar e seletiva, devido ao seu peso, volume ou quantidade gerada. Madeira, caliças de obras e pneus, dentre outros resíduos, podem ser enviados aos Ecopontos, que destinam corretamente cada um dos diferentes tipos de materiais recebidos. 

Apesar de diversos locais na cidade já receberem esses resíduos, apenas um funciona, atualmente, como Ecoponto, inaugurado em 2009 na vila Cruzeiro, no bairro Santa Tereza. Duas unidades já estão sendo implementadas, nas avenidas Carvalho Dutra e Diário de Notícias. Outras duas serão, em breve, instaladas no bairro Dona Teodora e no Porto Seco. 

A Coleta de Resíduos Eletrônicos, por sua vez, recebe desde CDs e baterias até computadores - materiais que, sem um manejo adequado de descarte, podem ser altamente prejudiciais ao meio ambiente. Atualmente, há três pontos na cidade: na Usina do Gasômetro, na seção norte do DMLU (Travesa Carmen) e na avenida Ipiranga, próximo à sede da Procempa. 

Por fim, a coleta automatizada, já em funcionamento em alguns bairros centrais de Porto Alegre, busca a erradicação do contato manual direto com o lixo domiciliar e seletivo. O projeto consiste na instalação de conteiners pelas ruas da capital, que possam ser mecanicamente içados aos caminhões de coleta para o despejo e compactamento do conteúdo no veículo. Conforme Bandeira, o processo leva, em média, 50 segundos.  

Os resíduos são transportados posteriormente por carretas que vão das áreas de transbordo para os aterros sanitários, totalizando um trajeto de 113 km para cada viagem.

Ainda em fase de adaptação, o DMLU tem enfrentado algumas dificuldades com os contêiners, como a depredação dos vândalos e rejeito a iniciativa por parte dos cidadãos que moram em frente aos locais onde estão instaladas as estruturas. 

O propósito da coleta automatizada visa diminuir a disposição irregular de lixo nas ruas e a redução de alagamentos (fato que já foi constatado pelo Departamento de Esgoto Pluvial - DEP). Quanto à questão social envolvida no processo de coleta por meio dos catadores que sobrevivem do lixo em Porto Alegre, Bandeira afirmou haver resistência por parte destes em agregar as equipes dos postos de triagem. O grande valor comecial do lixo às camadas menos favorecidas nas grandes cidades torna o manejo dos resíduos complexo, indo além das medidas práticas, dependendo também de mudanças sociais e culturais.  

Após a apresentação, a diretora do Instituto do Meio Ambiente da PUCRS, Betina Blochtein, mostrou aos presentes a proposta para o projeto conceitual, que contempla os ideais e as ambições necessárias em confonto com a situação atual. Esse documento deve apontar os objetivos e ilustrar a visão futura da iniciativa. Sua finalidade será embasar a confecção de um projeto básico, segunda etapa do cronograma, no qual serão considerados os aspectos técnicos da execução, estratégias e ações. 

A diretora também apresentou um esboço do texto de apresentação que será repassado aos prefeitos, indicando os eixos de atuação da iniciaiva: saneamento, erosão e assoreamento, recuperação e preservação ambiental, habitação, urbanização e desenvolvimento econômico. Betina salientou a qualidade obrigatória de interdependência entre os eixos.

Além de Bandeira e Betina, estiveram presentes o pró-reitor de Pesquisa, João Edgar Schmidt, o diretor do Instituto de Pesquisas Hidráulicas (IPH), André Luis Lopes da Silveira, e a professora Terezinha Guerra, por parte da UFRGS; e o coordenador do Crialab, Luís Humberto Villwock e as professoras Letícia Hoppe e Ionara Rech, por parte da PUCRS. A Prefeitura de Porto Alegre esteve representada por Rejane Mello (Procempa), Evandro Colares (Dmae) e Rodrigo da Cunha (Smam); e a Prefeitura de Viamão por Vinícius de Vasconcellos (Demam) e Ruy Rostirolla (DEPP), além da presidente do Conselho da Cidade de Viamão (Concivi), Maria Izabel Brener.

 

19/08/2011

A reunião desta sexta-feira à tarde ocorreu na Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico (Sedetec), na UFRGS.

O encontro iniciou-se com apresentação do Pró-Reitor de Pesquisa da UFRGS, João Edgar Schmidt, na qual estavam sintetizados os principais pontos do projeto, como as parcerias, diferentes áreas envolvidas, problemas urgentes e meios para sua resolução. Após discussões com foco no caráter político do Projeto de Revitalização do Arroio Dilúvio e na definição de prazos para diversos encaminhamentos, determinou-se que há necessidade da elaboração de um documento inicial que aproprie as ideias e as informações oferecidas nas reuniões passadas, para que sirvam como subsidio para o protocolo de colaboração a ser assinado pelas partes interessadas em setembro próximo.

A participação de representantes de Viamão foi expressiva e trouxe ao grupo as principais dificuldades enfrentadas por aquele município para a execução de projetos na área ambiental. Na reunião reafirmou-se a intenção do Município de Porto Alegre entrar como parceira de Viamão na solução da questão de saneamento da Vila Santa Isabel e do entorno da Represa da Lomba do Sabão.

A partir de um cronograma de trabalho, o grupo já tem agendadas as próximas ações a serem executadas.

Estiveram presentes no evento, por parte da UFRGS, o pró-reitor João Edgar Schmidt (Propesq), André Luis Lopes da Silveira (IPH), Denise Dal Molin (Engenharia - UFRGS) e Maria Cristina Lay (Arquitetura - UFRGS), e por parte da PUCRS a diretora Betina Blochtein (Ima) e os professores Rosane Souza da Silva (Biociências) Luis Humberto Villvock (Tecnopuc), Bettina Sterem (Educação), Letícia Hoppe (Economia) e Gustavo de MoraesEP), Arceu Bandeira (DMLU), Rejane Mello (Procempa) e Evandro Colares (Dmae). Já a prefeitura de Viamão esteve presente pelos técnicos Michele de Souza Barros e Miriam Recuero Acosta (Departamento do Meio Ambiente) e Ruy Atílio Rostirolla (DEPP), bem como a presidente do Conselho da Cidade de Viamão - Concivi, Maria Izabel Brener da Rosa.


11/08/2011

O grupo de trabalho reuniu-se nesta quinta-feira no Parque Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc), onde também estiveram presentes professores da PUCRS e da UFRGS de diversas áreas do conhecimento. Este foi o primeiro encontro a que compareceram técnicos da prefeitura de Viamão, parceria essencial para o êxito do projeto.   

 

Na ocasião, representantes da Smam, do Dmae, do Dep e da SPM apresentaram suas ações e projetos acerca da Bacia do Arroio Dilúvio. Recuperação da qualidade da água e da vegetação da nascente, em Viamão, destinação e tratamento de esgoto sanitário, sistema de drenagem e projetos de revitalização da orla do Guaíba foram alguns dos temas apresentados, respectivamente, pelos técnicos Rodrigo da Cunha (Smam), Evandro Colares e Joséni Maria Facchin (Dmae), Daniela Bemfica (Dep) e Marcelo Allet (SPM).

 

O objetivo, daqui pra frente, é seguir o plano de trabalho prévio elaborado pelos professores João Edgar Schmidt (UFRGS) e Betina Blochtein (PUCRS), no qual está previsto o fechamento do documento oficial, a ser apresentado a empresas e à sociedade, para outubro deste ano. No próximo encontro, também serão consideradas as dificuldades e demandas por parte da prefeitura de Viamão, no que tange à canalização e tratamento do esgoto da vila Santa Isabel, no limite do município com Porto Alegre.


27/07/2011

Ocorrido na PUCRS, o encontro tratou das primeiras definições para a elaboração da minuta do Protocolo de Intenções que formalizará a execução do projeto, documento que deverá ser finalizado na próxima reunião do grupo de trabalho. Após essa etapa, será estabelecido outro documento formal, o qual conterá as especificações técnicas da iniciativa. Estiveram presentes na reunião Luiz Fernando Záchia, André Carús, Mauro Gomes de Moura e Rodrigo da Cunha (SMAM); Daniela Bemfica e Denise Cantarutti (DEP); Arceu Bandeira Rodrigues (DMLU); Marcelo Allet (SPM); Marcio Cardoso (Defesa Civil); Flavio Ferreira Presser e Evandro Colares (DMAE); Carlos André Mendes e André Luis da Silveira (IPH); Luis Humberto Villwock, Betina Blochtein e Cláudio Mondin (PUCRS).

 

19/07/2011

Sediada na Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMAM), a reunião tratou da pré-definição do grupo de trabalho do Projeto, sendo considerados os nomes, por parte da prefeitura de Porto Alegre, que atuarão nos grupos técnicos. SMAM, DEP, DMAE, DMLU, Codec e GPE são, em um primeiro momento, os órgãos municipais que assumirão o projeto junto às duas universidades envolvidas.  Entre os presentes estavam Luiz Fernando Záchia e André Carús (Smam); Marcelo Allet (SPM); Flávio Presser (Dmae); Ernesto Teixeira e Denise Cantarutti (DEP); Mário Mocks (DMLU); Leo Antonio Bulling (Defesa Civil); João Edgar SchmidT (UFRGS); Betina Blochtein, Cláudio Mondin e Rosane Souza da Silva (PUCRS) e André Luis da Silveira (IPH)


13/07/2011

Com a presença de representantes da UFRGS, PUCRS e Gestão Pública Municipal, o encontro ocorreu nas instalações do Instituto de Pesquisas Hidráulicas da UFRGS (IPH) e teve como principal objetivo o tratamento da questão inicial acerca do projeto: as ações empregadas para a despoluição das águas do Dilúvio. Foi consenso entre os pesquisadores e autoridades presentes a necessidade de um sistema apropriado de drenagem e tratamento do esgoto, bem como a inclusão das comunidades localizadas no entorno do Arroio, por meio de atividades de conscientização ambiental. Por parte da Prefeitura Municipal, compareceram Luiz Fernando Záchia, André Carús e Gustavo Fontana (Smam); Mário Moncks (DMLU); Ernesto Teixeira (DEP); Flávio Presser e Alfredo Dolu (DMAE); Léo Antônio Bulling (Codec); Carlos Alexande Ávila (EPTC); Flávio Dutra (Comunicação PMPA); Marcelo do Canto (PGM); Zilmiro Tartari (Procempa); Marcelo Allet (SPM); Betina Blochtein (PUCRS); João Edgar Schmidt (UFRGS) e Ana Luiza Borges, Carlos André Mendes e Jones Souza da Silva (IPH – UFRGS).      

 

07/07/2011

Em seu primeiro encontro oficial, o projeto de Revitalização da Bacia do Arroio Dilúvio reuniu pesquisadores da UFRGS e da PUCRS, de diversas áreas do conhecimento, no Salão de Atos da UFRGS. Na ocasião, foi apresentado o vídeo sobre a recuperação do rio Cheong Gye Cheon, em Seul, na Coréia do Sul, na qual foi inspirada a iniciativa portoalengrense. O Pró-reitor de Pesquisa da UFRGS, João Edgar Schmidt, ressaltou em seu pronunciamento a necessidade de reeducação ambiental da comunidade e afirmou que “o objetivo é engajar a sociedade no processo e dar uma solução técnica definitiva para o Arroio”. A UFRGS passa, assim, a atuar no projeto por meio da Pró-reitoria de Pesquisa (PROPESQ) e do Instituto de Pesquisas Hidráulicas (IPH) e a PUCRS pela representação do Tecnopuc e do Instituto do Meio Ambiente (IMA).

 

20/06/2011

Na ocasião foi apresentado o case de recuperação socioambiental do arroio Cheong  Gye  Cheon, da cidade de Seul (Coreia do Sul), que modificou de forma impactante o centro da cidade, alternando inclusive as condições sócioeconômicas do local.

Conforme anteriormente combinado com o prefeito de Porto Alegre, José Fortunatti, UFRGS e PUCRS apresentaram a proposta da parceria a ser estabelecida com as prefeituras de Porto Alegre e de Viamão para a recuperação da Bacia do Arroio Dilúvio, que se encontra ambientalmente degradada. 

Ao final da reunião, Fortunatti se manifestou francamente favorável à proposta apresentada pelas universidades e determinou a instalação de uma equipe de trabalho da prefeitura para atuar em conjunto com as competências acadêmicas.

 

 

 

 

Ações do documento