Os aborígenes na literatura canadense

Frank Birbalsingh
- Comentários -

Comentários: Magali Sperling (UFSC)

Mosaico ou Mistura: A representação aborígene na literatura canadense

O artigo "Os aborígenes na literatura canadense", de Frank Birbalsingh, é bastante significativo para uma antologia de textos fundantes das Américas, pois trata de um aspecto muito importante, mas muitas vezes negligenciado, da literatura: a representação dos povos nativos. Apesar de analisar textos da literatura canadense de língua inglesa, Frank Birbalsingh apresenta um questionamento amplo da representação aborígene feita por autores brancos, especialmente em países colonizados por nações européias.

Segundo Birbalsingh, algumas ficções canadenses escritas após a década de sessenta conseguem ultrapassar a representação tradicional dos aborígenes como sendo seres brutos e selvagens. Além disso, romances contemporâneos desempenham um papel muito importante ao denunciarem a situação atual dos aborígenes, já que países ditos multiculturais, como o Canadá, levam, de uma forma ou de outra, as populações nativas à assimilação.

Numa sociedade multicultural, a figura do mosaico (representando a coexistência de diferentes grupos étnicos em um mesmo território) é oposta a figura do cadinho (que representa a teoria da mistura desses grupos, isto é, a assimilação). Para Frank Birbalsingh, apesar de o governo canadense favorecer a formação de um mosaico nacional, romances contemporâneos (em especial os analisados neste artigo) denunciam a assimilação necessária dos povos aborígenes à sociedade urbana-industrial canadense.

Os textos analisados neste artigo são O êxtase de Rita Joe , uma peça de George Ryga, e As tentaões de Grande Urso , romance de Rudy Wiebe. Em sua análise da peça, Birbalsingh demonstra de que forma os aborígenes se vêem obrigados a aceitar a assimilação à sociedade canadense, especialmente se não quiserem ficar isolados nas reservas indígenas. Já em seus comentários sobre o romance, Birbalsingh aponta como Rudy Wiebe foi capaz de reconstruir parte da história envolvida na produção do sistema de reservas no Canadá. Wiebe mostra, de maneira clara, a impossibilidade de um relacionamento de igualdade entre aborígenes e brancos, já que este era baseado em uma disputa pelo poder.

Frank Birbalsingh mostra que os dois romances analisados apontam para a impossibilidade dos personagens manterem suas culturas nativas longe da influência arrasadora da sociedade mecanicista contemporânea. Entretanto, Birbalsingh enfatiza a importância do papel dos escritores na discussão destas questões, pois ao reescreverem a história de povos nativos, proporcionam um maior entendimento da situação destes povos e um reconhecimento das ligações fundamentais entre indígenas e brancos.