Poemas americanos

Mathias Carvalho

CARVALHO, Mathias. Louis Riel . Rio de Janeiro: Evaristo da Costa, 1886. p.52;54;56: Tríade americana; Nós e o Canadá.

Comentário: Jean Morisset (UQAM)

Tradução do Comentário: Zilá Bernd

VIII

TRÍADE AMERICANA

Tiradentes e Brown e Riel são figuras

D'exemplos immortaes, erguidos nas alturas

Do sentimento humano, onde podem subir

Os grandes corações, videntes do porvir!

Somente o amor da Pátria esses gigantes cria;

Nos peitos dessa mãe bebem toda energia

Que faz a fronte erguida os raios afrontar,

Ir num fraco batel às solidões do mar!

Que leva o olhar sublime a cravar-se no espaço,

Tendo ao lado as traições e bem junto o baraço

Que vem da escuridão onde rasteja o algoz!

Do espaço arrebatar tanta luz para nós!

De John Brown o exemplo à pátria foi fecundo.

E o suplício dos dois?

IX

NÓS E O CANADÁ

Somos do Novo Mundo

Haveremos de chegar à nossa salvação!

Haveremos de esmagar a dupla escravidão

Do corpo e do ideal! E a nossa liberdade

Surgirá do trabalho e da nossa vontade.

Temos da inconfidência o facho oriental!

Temos aos nossos pés um imenso tremedal;

Precisamos saltá-lo e alcançar o Levante,

Que a justiça nos chama ao Sinai trovejante!

Poderemos soltar o fogo salvador

Das areias do Prata às linhas do Equador!

Do Canadá também há de vir o momento:

De RIEL grandioso o altivo pensamento,

A luta e o sacrifício hão de vingados ser!

O grão caído na terra e o tronco há de crescer,

Depois, um... depois outro arvoredo e enlaça-os

Selva de homens viris, fortes, confederados

Hão de abrir d'essa terra - em fúria dos vulcões

A garganta voraz - aos piratas bretões!