Você está aqui: Página Inicial EXTENSÃO Ecohorta Compostagem

Compostagem

A compostagem tem grande importância, não só na agricultura, mas também como uma forma de reaproveitamento de resíduos, por ser uma forma sustentável: além de não sobrecarregar aterros sanitários ou deixar esse resíduo ir parar em lixões, reduz quase em 30% o volume de resíduo que é mandado para a coleta, o recurso energético investido no cultivo desses alimentos descartados estará voltando ao ciclo tornando-se útil para a produção de alimentos novamente. Além de evitar o uso de adubos químicos, prejudiciais ao meio ambiente e à saúde humana.

A compostagem é a transformação de material grosseiro em material orgânico, para o uso na agricultura. Acontece da seguinte maneira: restos vegetais mortos que vão se acumulando sobre o solo são lenta e continuamente degradados por organismos que os utilizam como alimento e fonte de energia. Os excrementos desses organismos constituem o composto orgânico que a natureza conhece como “adubo”.

Para um bom plantio é necessário uma boa terra, rica em nutrientes, e para uma boa terra é preciso de um composto orgânico. Pode-se fazer uma composteira tanto em grandes espaços como em pequenos espaços, por exemplo, dentro de caixas ou lixeiras que não são mais utilizadas. A seguir, dois exemplos de composteira para uma horta em casa:

Pequenos espaços: utilizando uma caixa, misture o  resíduo orgânico de sua casa com terra e serragem (pode ser usada palha de grama também), mantendo a caixa sempre aberta e revolvendo o composto a cada dois ou três dias.  Quanto menores forem os pedaços do lixo orgânico, mais rápida será sua transformação.  A serragem areja o ambiente da composteira e absorve a umidade do  resíduo orgânico.

O resíduo utilizado pode ser casca de frutas, ramos e gramas roçadas, cinzas, vísceras de animais, folhas, borra de café, sache de chá, ossos, em regra geral, alimentos não cozidos.  Não é aconselhado a incorporação de carne cozida, por atrair roedores e animais domésticos ou incorporar fragmentos de metal, vidro e plástico, muitas vezes encontrados em adubos prontos.

Após  aproximadamente um mês e meio, o composto estará pronto para a agricultura. O composto não deve ter cheiro e deve ser leve. Minhocas podem ser adicionadas, elas são importantes componentes de uma boa composteira, pois seus túneis oxigenam e trabalham o solo.  Insetos e cobras-cegas também são importantes e não devem ser removidos.

Grandes espaços: construa um canteiro de 1,80 X 0,60 m e com uma profundidade razoável, no mínimo meio metro.  Misture terra, resíduo orgânico e serragem. Cubra o composto com material grosseiro como sabugos de milho, folhas secas, palha de grama, sempre revirando o composto a casa dois ou três dias, acrescentando mais resíduo, cobrindo de novo com o material grosseiro e mantendo úmido. Adição de minhocas é importante.

A seguir, uma imagem que você pode consultar em caso de dúvidas!

 

 

Fontes consultadas:

NETO, João Francisco. Manual de Horticultura Ecológica. São Paulo: NBL Editora, 1995.

LAREDO, Gustavo. Passo a passo. Disponível em: http://revistagloborural.globo.com/GloboRural/0,6993,EEC1693046-4528-3,00.html

COMO TUDO FUNCIONA. Como fazer uma composteira. Disponível em: http://casa.hsw.uol.com.br/faca-sua-composteira.htm

ZUM ZUM VERDE. Composteira doméstica: todos podem ter uma. Disponível em/; http://zumzumverde.blogspot.com.br/2012/06/composteira-domestica-todo-mundo-pode.html