Unimúsica | concerto com Jards Macalé

foto: Felipe Diniz


O carioca Jards Adnet da Silva deve seu apelido Macalé àquele que foi considerado um dos piores jogadores da história do Botafogo. Ruim de bola, bom de música. Essa equação simples formulou um dos nomes mais significativos da canção brasileira: Jards Macalé. Compositor, intérprete, violonista, produtor e diretor musical, orquestrador e ator, Macalé começou muito cedo sua carreira profissional. Foi em 1965, acompanhando Maria Bethânia no espetáculo do Grupo Opinião, referência do teatro de protesto no Brasil. Enquanto se destacava como violonista e diretor musical, dedicou-se aos estudos de piano e orquestração com Guerra Peixe, violão com Jodacil Damasceno e Turíbio Santos, violoncelo com Peter Dauelsberg e regência com Mario Tavares. 

O autor de canções como “Vapor Barato”, “Hotel das Estrelas”, “Anjo Exterminado” e  “Movimento dos Barcos”, que ficaram famosas nas vozes de  Gal Costa e Maria Bethânia, lançou seu primeiro LP em 1972. Jards Macalé trazia composições daqueles que seriam seus principais parceiros – Capinam, Torquato Neto e Waly Salomão – e era uma síntese daquilo que o ensaísta Celso Favaretto definiu como estética do comportamento, em que, a partir dos desdobramentos do tropicalismo, se articulam sofisticação técnica, experimentalismo e um nova sensibilidade.

 

Ainda viriam outros quatorze discos, mas primeiro DVD de Macalé  só foi gravado no ano passado, aqui, no Theatro São Pedro. Agora, o inquieto e irreverente compositor de “Gotham City” volta a Porto Alegre acompanhado da banda Let´s Play That (nome da canção em parceria com Torquato Neto), composta pelos jovens músicos Leandro Joaquim (trompete), Thiago Queiroz (sax e flautas),  Victor Gottardi (guitarra), Ricardo Rito (teclados), Thomas Harres (bateria e percussão) e Pedro Dantas (contrabaixo).  No concerto do Unimúsica, Macalé e músicos vão ler e reler composições como “Vapor Barato”, “Mal Secreto”, “Negra Melodia”, “Anjo Exterminado” (com Waly Salomão), “Farinha do Desprezo” e “Movimento dos Barcos” (com Capinam),  além de “Canalha” (de Walter Franco) e “Juízo Final” (de Nelson Cavaquinho).



ENTREVISTA ABERTA COM JARDS MACALÉ

Data: 01 de julho – quarta-feira
Horário: 20h
Local: Sala II do Salão de Atos da UFRGS (Paulo Gama, 110)

 

CONCERTO

Data: 02 de julho – quinta-feira
Horário: 20h
Local: Salão de Atos da UFRGS (Paulo Gama, 110)

 

Fotos

VOLTAR AO TOPO