Interlúdio - Recital do Duo Violão Brasil

No dia 03 de junho o projeto Interlúdio apresenta no Auditório do Hospital de Clínicas o duo de violões constituído pelos músicos Lucas Ferreira Piccoli e Miguel Besnos. Os violonistas são estudantes de graduação do Departamento de Música do Instituto de Artes da UFRGS onde estudam sob orientação dos professores Paulo Inda e Flávia Domingues Alves. Neste recital, o Duo Violão Brasil apresenta repertório constituído exclusivamente por obras de compositores brasileiros – Marlos Nobre, Radamés Gnatalli, Heitor Villa-Lobos e Sérgio Assad – em um rico mosaico de ritmos, escalas e danças que caracterizam a diversidade de nosso país.

O carioca Heitor Villa- Lobos (1887-1959) é, atualmente, o compositor brasileiro mais executado nas principais salas de concerto do mundo. Como compositor, soube como nenhum outro forjar forma e conteúdo com elementos do folclore musical do Brasil de tal maneira que sua música passou a representar nossa própria identidade enquanto nação. O recital apresenta movimentos da Suíte Popular Brasileira para Violão Solo, na qual pode se observar a fusão de danças de origem europeias (Mazurka e Schottisch) com elementos rítmicos e melódicos genuinamente brasileiros.

O pernambucano Marlos Nobre (Recife, 1939) é um dos mais reconhecidos compositores brasileiros da atualidade. Sua produção composicional abrange diversos gêneros musicais e vem sendo premiada em inúmeros concursos musicais no Brasil e exterior. Neste recital, o Duo Violão Brasil apresenta as obras Ciclo Nordestino e Rememórias. Ciclo Nordestino compõe-se de um conjunto de quatro suítes em que se sobrepõem elementos folclóricos e poéticos através de danças rítmicas e melódicas do nordeste do Brasil (como frevo, maracatu, caboclinhos e coco). Compostos na década de 60, os Ciclos Nordestinos destacam-se pela vitalidade e lirismo das linhas melódicas com utilização de escalas modais e ritmos nordestinos. A obra intitulada Rememórias (1993) para violão solo é composta de três movimentos (Embolada, Cantilena e Caboclinhos) e foi composta como peça de confronto para o Concurso Internacional de Violão de Alexandria. Conforme o compositor, Embolada é uma recordação da Suíte nº 1 de J. S. Bach para alaúde solo; Cantilena descreve as lamentações de senhoras pobres do nordeste do Brasil e Caboclinhos é baseado na dança folclórica do carnaval de rua de Recife.  

O compositor, pianista, regente e arranjador porto-alegrense Radamés Gnattali (1906-1988) obteve sua formação no Conservatório de Música do antigo Instituto de Belas Artes. Na década de 30 transfere-se para a capital da República, na cidade do Rio de Janeiro, onde passa a atuar como pianista, regente e arranjador da Rádio Nacional. Sua música mescla com originalidade música popular e erudita em sofisticadas roupagens. Neste recital escutaremos a Brasiliana nº 13, escrita em 1983 para violão solo e composta em três movimentos: Samba - Bossa Nova, Valsa e Choro. A obra foi dedicada ao violonista Turíbio Santos e, conjuntamente com outras 12 Brasilianas, integra um conjunto de obras homônimas.

Sérgio Assad (1952) é violonista, compositor e arranjador. Nascido em Mocóca (SP), Sérgio constituiu dupla com seu irmão, Odair Assad, em uma consagrada carreira internacional. Sérgio Assad é compositor de mais de 50 obras para violão, executadas frequentemente no repertório dos violonistas. Farewell, peça composta nos anos 90 como trilha sonora de uma película japonesa, expressa o sofrimento após a perda de uma pessoa amada, com utilização de sonoridades delicadas, sons harmônicos e melodia lírica nos dois violões.

 

Leonardo Loureiro Winter

Professor do Departamento de Música do Instituto de Artes da UFRGS e coordenador do projeto Interlúdio

Data: 03 de junho de 2014  (terça-feira) – 19h

Local: Auditório do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (Rua Ramiro Barcellos, 2350)

 

Retirada de ingressos das 8h às 16h na recepção da Fundação Médica (Rua Ramiro Barcelos, 2350 – sala 177).

ENTRADA FRANCA

Fotos

VOLTAR AO TOPO