TPE - Projeto, Pesquisa e Extensão em Teatro

Com duas sessões semanais e entrada franca, o projeto promove a apresentação de uma peça a cada mês, e ao final acontece um debate com profissionais de diferentes áreas que abordam o tema do espetáculo.
Em 2018 a Mostra Teatro, Pesquisa e Extensão, do Departamento de Arte Dramática, comemora 15 anos de existência. É tempo de festejar e trazer à memória as muitas histórias que fizeram este projeto ser um orgulho para um dos melhores cursos de teatro do Brasil. O Instituto de Artes, que abriga o projeto, comemora 110 anos de vida em 2018, e o Departamento de Arte Dramática seus 60 anos, ambos criados por iniciativa de um grupo de intelectuais e criadores, com o objetivo da difusão do saber artístico através do ensino e da pesquisa, do acesso à cultura pelas atividades de Extensão.
Nesses 15 anos foram apresentados espetáculos das mais variadas temáticas e a edição de comemoração segue com essa pluralidade. Alguns espetáculos abordam a questão de gênero e sexualidade, outros fazem o uso da tecnologia na cena, explorando novas formas de dramaturgia. O projeto engloba também a releitura de textos clássicos e encenação de obras contemporâneas.

Data: Quartas-feiras

Horário: 12h30 e 19h30

Local: Qorpo Santo (Av. Paulo Gama s/n – Campus Central UFRGS, ao lado da Sala Redenção)

Horários

Achados e Perdidos

Espetáculo do mês de MAIO

Data: 02, 09, 16, 23 e 30/05

Horário: 12h30 e 19h30

O ir e vir da cidade, os encontros propiciados pelo espaço público são o mote da peça de rua Achados e Perdidos. Criado na disciplina Laboratório de Prática Cênica do curso de Teatro, do Departamento de Arte Dramática, da UFRGS, o espetáculo surgiu da pesquisa dos atores e professores com máscaras expressivas, com o apoio do grupo Máscara InCena. Da pesquisa corporal e de manufatura das máscaras surgem os encontros de Achados e Perdidos. 

Sinopse: Uma praça, seus frequentadores e transeuntes. A espera que não acaba. A saudade que não cessa. A solidariedade. A malandragem. A esperteza como única possibilidade de sobrevivência. Os encontros e desencontros. Achados e perdidos é um espetáculo de rua, que surgiu a partir da pesquisa com máscaras expressivas, desenvolvida na disciplina Laboratório de Práticas Cênicas A, em 2017/2. A disciplina acolheu o estágio de docência do mestrando do ppgac – dad/ufrgs, Alexandre Borin, integrante do grupo máscara encena, ao qual deixamos aqui nosso carinhoso agradecimento.

FICHA TÉCNICA:

Direção: Alexandre Borin Antunes (Estágio de Docencia – PPGAC-DAD/UFRGS)
Elenco: Bruna Klein (Nilda), Carlos Rasch (Ronaldo), Fabrízio Zavareze (Odila), Ketelin Abbady (Camélia), Miguel Ribeiro (Itamar), Naomi Luana (Tisga), Natália Maciel (Duda).
Dramaturgia: do grupo
Iluminação: trata-se de espetáculo de rua
Trilha sonora: do grupo
Figurinos: do grupo
Cenário: do grupo
Originado na disciplina: Laboratório de Práticas Cênicas A
Orientação: Ana Cecília de Carvalho Reckziegel
Duração: 40 minutos
Classificação indicativa: Livre

Dois Fudid*s

Espetáculo do mês de JUNHO

Data: 06, 13, 20 e 27/06

Horário: 12h30 e 19h30

A peça "Dois Fudid*s" surge da questão base: Quem é você? Ao longo dos meses de processo pesquisamos mecanismos para a construção de uma auto ficção que mesclasse os questionamentos do ator Fabrício Zavareze e da atriz Regina Ferrari. Bixa-Preta. Mulher. Pobreza. Psicose. Machismo.
Ao longo da pesquisa (que incluía uma oficina ministrada para adolescentes no hospital São Pedro), analisamos os mecanismos de poder que se instituíam na relação opressor e oprimido. O que fez surgir a necessidade de levantar questões e apontar como as realidades socioeconômicas influenciavam na construção subjetiva e cultural de uma pessoa. Com isso, aliamos a nossa pesquisa o texto de Plinio Marcos: Dois Perdidos Numa Noite Suja. Sendo este desmembrado, atualizado e dissolvido dentro das próprias questões do grupo. Uma retroalimentação de sentidos, pessoas e significados.

SINOPSE: Quem é você? A chapeuzinho vermelho nazista que corrói o ácido metalúrgico. Sou o que os outros dizem e eu aceito. Peido. Arroto. Suor. Corpo. Cativeiro de mim mesmo. Das minhas escolhas. Som do mar. Periferia. Mãos doendo. Um fudido. Dois. O barco de jornal dos argonautas. Gay. Bissexual. Sapatão. HT... Afundado. Maluco. Perdido. Amor... Vem me buscar. Tonho? Deus. Cachorro. Paco? Silêncio. Regina? Fabs? As respostas que inventamos pra nós mesmos. Eu preciso de um sapato. Revolver. A Espécie Fabuladora... Gatilho. Com base na obra “Dois Perdidos numa Noite Suja”, de Plínio Marcos, e fragmentos de auto ficção: 2 fudid*s, pretende questionar e investigar a criação e construção da identidade e suas necessidades de afirmação e validação a partir do outro. Encontro. Aonde se vê. O social, o político, o gênero, as ideias de deus, de sexualidade, trabalho, capital... E afinal, você gosta de ser/estar fudid*?

FICHA TÉCNICA:
Direção: Ralph Duccini
Elenco: Fabrício Zavareze e Regina Ferrari
Preparação de ator: Guilherme Conrad
Dramaturgia: O grupo (adaptação livre do autor Plínio Marcos)
Iluminação: Virginia Anderle Cigolini
Trilha sonora: O grupo.
Figurinos: O grupo e Angelix Oliveira Borsa (Vestido Cru)
Cenário: O grupo.
Originado na disciplina: Estágio de atuação e direção
Orientação: Ana Cecília Reckziegel e Camila Bauer
Duração: 60 min
Classificação indicativa: 14 anos
Cabelo: Paulo Azevedo Araujo -  Salão do Paul
Fotografia: Maicon Hainzenreder
Operação de som: Luiz Manoel Oliveira Alves

VOLTAR AO TOPO