Exposição Maria Lucia Cattani: entre uma coisa e outra

Divulgação

Na prática criativa de Maria Lucia Cattani (Garibaldi, 1958 – Porto Alegre, 2015) encontramos uma contínua exploração das possibilidades poéticas da reprodutibilidade, perfazendo um percurso do único ao múltiplo e do múltiplo ao único, em um caminho de construção e desconstrução que mesclas saberes conciliando gestos atávicos e novas tecnologias.

Ao longo dos anos, pela repetição de pequenos gestos, Maria Lucia Cattani forjou uma “caligrafia” ou “escrita inventada”, que está presenta em numerosas obras. Na obra Green 16,000, guache sobre papel, 124 x 124 cm, de 1998, estes gestos estão presentes nas linhas de um pequeno carimbo quadrado de borracha que é estampado à exaustão, resultando impressões que vão progressivamente esmaecendo a cada nova impressão, até reposição de tinta e nova sucessão de impressões. A estes são ainda sobrepostas novas impressões de curtas linhas regulares. Assim, a obra utiliza recursos da gravura, como a reprodutibilidade da imagem e o relevo, porém, em um procedimento diferenciado do usual, criando um grande painel pela seriação e justaposição de impressões.

Artista inquieta e que desafiava as possibilidades conceituais dos meios, suas obras apresentam formas pulsantes onde, como aponta Eduardo Veras, “conjugava, de modo muito equilibrado, certo engenho matemático e meticuloso, de herança conceitual, e uma delicadeza comovente” (Adverso 222, 2016).

Ao longo de sua obra, Maria Lucia Cattani explorou incessantemente possibilidades poéticas da repetição que traz a diferença em vídeos, objetos, livros de artista, gravuras e pinturas. Graduou-se em Artes Plásticas na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Porto Alegre, Brasil), onde, posteriormente, foi professora por quase trinta anos. Realizou estudos de pós-graduação no Estados Unidos e no Reino Unido  (Master of Fine Arts, pelo Pratt Institute, Nova York, PhD pela Reading University, Inglaterra e Pós-Doutorado na University of the Arts London). Além de respeitável trajetória no circuito artístico brasileiro, tem obras em importantes coleções do Brasil, EUA, Ásia e Europa.

Curadora da exposição

Maristela Salvatori: Artista Visual. Professora no Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, onde foi coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais. Doutora em Artes e Ciências das Artes por Paris I. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq.

Data: 24/11/2018 a 08/03/2019

Horário: 7h às 18h

Local: Saguão da Reitoria da UFRGS (Av. Paulo Gama, 110)

VOLTAR AO TOPO