Logotipo Cinterlic. Cooperação e Interdisciplinaridade nas Licenciaturas da UFRGS DOCÊNCIA COLABORATIVA
E INTERDISCIPLINARIDADE
PIBID UFRGS - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Apresentação. Menu horizontal. 1 de 4Eixos temáticos. Menu horizontal. 2 de 4Estruturas Colaborativas. Menu horizontal. 3 de 4Programação. Menu horizontal. 4 de 4 Organização. Menu vertical. 1 de 8

Exposição

HORIZONTES (IN)PROVÁVEIS DA PAISAGEM

A paisagem sempre teve seu lugar na história da arte. Até o século XIX ela era apenas o pano de fundo para pinturas de cenas religiosas e mitológicas, ou pinturas de retratos. Do século XIX em diante ela passa a desempenhar um papel mais importante, ou mesmo um papel principal, evoluindo para o status de pintura de gênero. Na contemporaneidade e nesta exposição, a paisagem reinventa-se a partir da natureza, da cultura e da estética. Os trabalhos de artistas brasileiros, portugueses e moçambicanos vão expandir o tema em questão, (in)prováveis horizontes, possibilitando reflexões sobre os seus limites na arte da atualidade. A representação poética de cada artista vai desde a natureza em si mesma até a sua dimensão simbólica, em que a paisagem assume outros significados por meio de subjetividades, metáforas e narrativas, onde a intenção, as tramas e os encontros dão origem a instigantes trabalhos que serão levados à visibilidade pública.

Ana Zavadil – Curadora-chefe do MARGS

Ana Zavadil (1957), Porto Alegre. Graduada em Artes Plásticas pela UFRGS, Mestre em Arte Contemporânea, pela UFSM-RS. Docente do Curso de Pós-Graduação em Artes Visuais na Universidade de Caxias do Sul/RS. Autora do livro – Entre: Curadoria A-Z. Atualmente é Curadora-chefe do Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli – MARGS, onde realiza curadorias e organiza os Cadernos de Experiência das exposições.

A exposição HORIZONTES (IN)PROVÁVEIS DA PAISAGEM participa do evento DOCÊNCIA COLABORATIVA E INTERDISCIPLINARIDADE como uma proposta expandida no tempo e no espaço, e será realizada no MUSEU DOS DIREITOS HUMANOS DO MERCOSUL, no Centro Histórico de Porto Alegre, no período de 15 de outubro a 29 de novembro. A visitação é de terças a sextas das 10 às 19h e aos sábados das 12 às 18h.

No dia 06 de novembro de 2014, às 19 horas, os participantes do evento DOCÊNCIA COLABORATIVA E INTERDISCIPLINARIDADE estarão sendo recepcionados com um coquetel no local da exposição, em que serão convidados a realizar uma visita guiada pela curadora e pelos organizadores do evento.

Museu dos Direitos Humanos do Mercosul (MDHM)

O Museu dos Direitos Humanos do Mercosul (MDHM) tem por objetivo ser uma instituição museológica de caráter transnacional voltada para a memória. Este projeto surgiu a partir de uma determinação da Reunião de Altas Autoridades em Direitos Humanos do MERCOSUL, em novembro de 2011, ocorrida em Montevidéu, para que em Porto Alegre fosse criado um espaço de memória destinado a dar visibilidade à integração contemporânea de nossos países pela via dos direitos humanos.

Museu dos direitos Humanos Um prédio centenário
 

Essa nova instituição de memória tem o objetivo de evidenciar que os direitos humanos são uma construção histórica e que sua manutenção como uma plataforma universal depende que a sociedade tome o conceito para si. Desse modo, pretende-se apresentar histórias e memórias, que corporifiquem as violações aos direitos humanos, originadas pela Operação Condor – a coordenação dos aparatos repressivos das ditaduras do Cone Sul –, bem como abrir espaço para as histórias de mulheres, negros, indígenas, da comunidade LGBT que, a partir da democratização da região, tiveram um novo espaço para lutar por seus direitos.

Por meio de um programa de exposições arrojado e inovador, que une produção artística e documentação histórica, e de um programa pedagógico comprometido com a educação para a cidadania, o Museu busca articular em seus projetos culturais uma visão do conjunto das demandas por direitos humanos e fomentar a construção de uma cultura de paz e tolerância.

Márcio Tavares – Diretor do Museu

Márcio Tavares (Brasil, 1985). Historiador e curador. Mestrando em História pela UFRGS. Coordenador de Memória, História e Patrimônio da Secretaria de Estado da Cultura RS, Diretor do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul, do Memorial do Rio Grande do Sul. Fundador e primeiro diretor do Museu dos Direitos Humanos do Mercosul (MDHM).

abertura da exposição

Submissão. Menu vertical. 2 de 8
Inscrição. Menu vertical. 3 de 8

Exposição. Menu vertical. 4 de 8

Atestados. Menu vertical. 5 de 8

Anais do evento. Menu vertical. 6 de 8

Atividades Culturais. Menu vertical. 7 de 8

Lançamento de Livros. Menu vertical. 8 de 8