Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Ferramentas Pessoais
Acessar
Seções

Profissional de Saúde Coletiva

O que faz um sanitarista?

Trabalha com o sistema de saúde, com as questões sociais e políticas da saúde, com o planejamento e a avaliação de programas de saúde e com as práticas coletivas de proteção da saúde, sem prestar assistência individual.

Campo de Atuação

Trabalha:

-No planejamento e coordenação de serviços, programas e projetos da área da saúde.

-Em instituições públicas e privadas exercendo ações de promoção, vigilância e educação da saúde, colaborando para as práticas de participação social.

-Em organizações de saúde, construindo modelos de respostas, indicadores avaliativos e monitoramento de ações.

O Curso

Na UFRGS, o curso de bacharelado em Saúde Coletiva recebeu a denominação de "Análise de Políticas e Sistemas de Saúde". A escolha pela denominação do curso visava dar evidência de sua empregabilidade, pois os postos de trabalho para analistas compõem a recente expansão do emprego no setor público e privado no Brasil, distinguindo-se da restrição aos campos da gestão/gerência (não apenas na área da saúde).

A titulação do graduado ficou definida como bacharel em saúde coletiva (sanitarista) e participa da expansão da laboralidade do egresso dessa graduação, oportunizada especialmente pelo grande número de cursos abertos simultaneamente no País.

O curso da UFRGS apresenta duas Linhas de Formação: Planejamento, Gestão e Avaliação em Saúde e Promoção, Educação e Vigilância da Saúde. Tem duração de 3.180h em créditos obrigatórios, além de créditos eletivos. O curso assumiu uma organização curricular inovadora, não se estrutura por disciplinas e nem por avaliação disciplinar, seu formato é de Unidades de Produção Pedagógica e de avaliação mediadora, cuja função é provocar o pensamento, construir saberes e mediar processos organizadores do conhecimento.

O turno de funcionamento é o noturno, com calendário especial - havendo interesse e disponibilidade dos alunos, o Estágio Curricular poderá ser desenvolvido em outros turnos.

O que o sanitarista pode fazer

O graduado em Saúde Coletiva trabalha com os processos e práticas de co-produção de ações integrais de saúde, a partir de âmbitos institucionais do setor, tais como: governos, sistemas, serviços e programas de saúde etc. Embora tal campo de atuação profissional seja primordialmente setorial,  também pode atuar em projetos intersetoriais. A atuação setorial pode envolver atividades intermediárias (notadamente, de gestão institucional) e finalísticas (de prestação de serviços) visando integrar as dimensões de promoção, proteção e recuperação (assistência e reabilitação) da saúde:

 

- Promoção da saúde: atuação na identificação, análise e intervenção nos determinantes do processo de saúde-doença e de qualidade de vida; na análise e co-produção cultural, artística e educativa, correlatas ao campo da Saúde Coletiva; no desenvolvimento de tecnologias de acolhimento, cuidado, educação e cultura em saúde.

 

- Proteção da saúde: atuação na identificação, análise e intervenção sobre aspectos geradores de desigualdades, riscos, vulnerabilidades e desgastes; na gestão de (sub)sistemas e prestação de serviços de vigilância (Epidemiológica, Sanitária, Ambiental - incluídos os ambientes de trabalho), de controle de doenças e de redução de danos.

 

- Recuperação da saúde: atuação na análise institucional e na gestão de processos e práticas de cuidado, da clínica, de serviços e programas assistenciais e de reabilitação, de sistemas e serviços de apoio (diagnóstico, terapêutico etc.).

A formação do Sanitarista a partir dos núcleos identitários da Saúde Coletiva (Epidemiologia; Ciências Sociais em Saúde; Políticas, Planejamento e Gestão em Saúde; Avaliação em Saúde) e a formação complementar a partir de nucleações intersetoriais (Promoção da Saúde, Saúde Ambiental, Saúde da Família, Saúde Mental etc.) permitirá uma diversidade de atuações e atividades profissionais de natureza interdisciplinar.

Podem ser referidos como atuações e atividades profissionais no âmbito institucional, em conjunto e cooperação com outros trabalhadores e dirigentes de saúde:

. Planejamento Institucional, formulação de estratégias institucionais e programáticas.

. Apoio matricial para equipes de Saúde;

. Gestão governamental, de sistemas e de serviços públicos.

. Gestão institucional não-governamental;

. Análise, organização e gestão de processos e práticas de trabalho.

. Coordenação e/ou gerência  de projetos, programas, operações,  campanhas e outras modalidades logísticas.

. Supervisão, monitoramento e/ou auditoria de projetos, programas e outras atividades institucionais.

. Consultoria e assessoria institucionais.

. Análise institucional, de situação de saúde, de determinantes do processo saúde/doença.

. Controle de doenças, Vigilâncias epidemiológica, sanitária, ambiental (incluídos os ambientes de trabalho).

. Avaliação de sistemas, serviços e programas.

. Educação permanente em sistemas institucionalizados de ação e serviços.

. Análise e promoção cultural em saúde e educação.

. Educação popular em Saúde.