Página Dinâmica para Aprendizado do Sensoriamento Remoto

1. LANDSAT

2. SPOT

3. NOAA

4. ERS

5. RADARSAT

6. CBERS

7. IKONOS

8. TERRA

9. QUICK-BIRD

Sensores e Plataformas Orbitais
 
LANDSAT
 
     A série LANDSAT (Land Remote Sensing Satellite ) foi iniciada no final da década de 60, a partir de um projeto desenvolvido pela Agência Espacial Americana dedicado exclusivamente à observação dos recursos naturais terrestres. O primeiro satélite da série começou a operar em 1972 e a última atualização ocorreu em 1999 com o lançamento do LANDSAT-7.

     Atualmente o único satélite em operação é o LANDSAT-5, que leva a bordo o sensor TM e contribui para o mapeamento temático da superfície terrestre. O LANDSAT-7 iniciou suas atividades em abril de 1999 e encerrou em 2003, utilizando o sensor ETM+ (Enhanced Thematic Mapper Plus). Este instrumento foi capaz de ampliar as possibilidades de uso dos produtos LANDSAT, porque manteve a alta resolução espectral (característica importante desse sistema) e conseguiu ampliar a resolução espacial da banda 6 (Infravermelho Termal) para 60 metros além de inserir a banda pancromática e permitir a geração de composições coloridas com 15 metros de resolução.

     A antena de recepção do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) localizada em Cuiabá, capta desde os anos 70 imagens de todo território nacional, o que representa um enorme e único acervo de dados sobre nosso país.

Site Principal: http://landsat.gsfc.nasa.gov


Características

Instituição Responsável

NASA (National Aeronautics and Space Administration)

País/Região

Estados Unidos

Satélite

LANDSAT 1

LANDSAT 2

LANDSAT 3

LANDSAT 4

LANDSAT 5

LANDSAT 6

LANDSAT 7

Lançamento

27/7/1972

22/1/1975

5/3/1978

16/7/1982

1/3/1984

5/10/1993

15/4/1999

Situação Atual

Inativo (06/01/1978)

Inativo (25/02/1982)

Inativo (31/03/1983)

Inativo (1993)

em atividade

Inativo (05/10/1993)

Inativo (2003)

Órbita

Polar, Circular e heliossíncrona

Polar, Circular e heliossíncrona

Polar, Circular e heliossíncrona

Polar, Circular e heliossíncrona

Polar, Circular e heliossíncrona

s.d.

Polar, Circular e heliossíncrona

Altitude

917 km

917 km

917 km

705 km

705 km

s.d.

705 km

Inclinação

99º

99º

99º

98,20º

98,20º

s.d.

98,30º

Tempo de Duração da Órbita

103,27 min

103,27 min

103,27 min

98,20 min

98,20 min

s.d.

98,9 min

Horário de Passagem

9:15 A.M.

9:15 A.M.

9:15 A.M.

9:45 A.M.

9:45 A.M.

s.d.

10:00 A.M.

Período de Revisita

18 dias

18 dias

18 dias

16 dias

16 dias

s.d.

16 dias

Instrumentos Sensores

RBV e MSS

RBV e MSS

RBV e MSS

MSS e TM

MSS e TM

ETM

ETM+

s.d. = sem dados/informações

Principais Instrumentos Sensores

Sensor

Bandas Espectrais

Resolução Espectral

Resolução Espacial

Resolução Temporal

Faixa Imageada

MSS

4

0,5 - 0,6 µm

80 m

18 dias

185 km

5

0,6 - 0,7 µm

6

0,7 - 0,8 µm

7

0,8 - 1,1 µm

8 (LANDSAT 3)

10,4 - 12,6 µm

120 m

TM

1

0,45 - 0,52 µm

30 m

16 dias

185 km

2

0,50 - 0,60 µm

3

0,63 - 0,69 µm

4

0,76 - 0,90 µm

5

1,55 - 1,75 µm

6

10,4 - 12,5 µm

120 m

7

2,08 - 2,35 µm

30 m

ETM+

1

0,45 - 0,52 µm

30 m

16 dias

185 km

2

0,50 - 0,60 µm

3

0,63 - 0,69 µm

4

0,76 - 0,90 µm

5

1,55 - 1,75 µm

6

10,4 - 12,5 µm

60 m

7

2,08 - 2,35 µm

30 m

8

0,50 - 0,90 µm

15 m



Principais Aplicações
  • Acompanhamento do uso agrícola das terras;
  • Apoio ao monitoramento de áreas de preservação;
  • Atividades energético-mineradoras;
  • Cartografia e atualização de mapas;
  • Desmatamentos;
  • Detecção de invasões em áreas indígenas;
  • Dinâmica de urbanização;
  • Estimativas de fitomassa;
  • Monitoramento da cobertura vegetal;
  • Queimadas Secas e inundações;
  • Sedimentos em suspensão nos rios e estuários.
Fonte: Embrapa
 
SPOT
 
     A série SPOT (Satellite pour l'Observation de la Terre), foi iniciada com o satélite franco-europeu SPOT 1, em 1986 sob a responsabilidade do Centre National d'Etudes Spatiales - CNES da França. Hoje a plataforma do SPOT está em órbita com três satélites (2, 4 e 5) o que possibilita acesso a qualquer ponto da Terra em menos de 24 horas e atuando em conjunto, revisitas em intervalos de 3 a 5 dias.

     Os satélites da família SPOT operam com sensores ópticos, em bandas do visível, infravermelho próximo e infravermelho médio. Com o lançamento do SPOT 5, ocorrido em maio de 2002, a missão inaugurou a possibilidade de aquisição de imagens orbitais tridimensionais graças a sua capacidade de visada lateral de até 27º (estereoscopia cilíndrica) e também conseguiu melhorar a resolução espacial do canal pancromático para 5 metros.

Site Principal: http://www.spot.com


Características

Instituição Responsável

Centre National d'Etudes Spatiales - CNES

País/Região

Estabelecido por iniciativa do governo francês em 1978, com a participação da Suécia, Bélgica e Itália.

Satélite

SPOT-1

SPOT-2

SPOT-3

SPOT-4

SPOT-5

Lançamento

22/02/1986

22/01/1990

26/09/1993

24/03/1998

04/05/2002

Situação Atual

Inativo (nov/2003)

Ativo

Inativo (14/11/1996)

Ativo

Ativo

Órbita

Polar, Circular e heliossíncrona

Polar, Circular e heliossíncrona

Polar, Circular e heliossíncrona

Polar, Circular e heliossíncrona

Polar, Circular e heliossíncrona

Altitude

823 km

823 km

823 km

823 km

823 km

Inclinação

98º

98º

98º

98º

98º

Tempo de Duração da Órbita

101,4 min

101,4 min

101,4 min

101,4 min

101,4 min

Horário de Passagem

10:30 A.M.

10:30 A.M.

10:30 A.M.

10:30 A.M.

10:30 A.M.

Período de Revisita

26 dias

26 dias

26 dias

26 dias

26 dias

Instrumentos Sensores

HRV

HRV

HRV

HRVIR e VEGETATION

HRG, HRS VEGETATION-2



Principais Instrumentos Sensores

Sensor

Bandas Espectrais

Resolução Espectral

Resolução Espacial

Resolução Temporal

Faixa Imageada

HRV(com opção de visada lateral

PAN

0,50 - 0,73µm

10 m

26 dias

60 X 60 km

XS1

0,50 - 0,59µm

20 m

XS2

0,61 - 0,68µm

XS3

0,78 - 0,89µm

HRVIR

Monoespectral

0,61 - 0,68µm

10 m

26 dias

60 X 60 km

B1

0,50 - 0,59µm

20 m

B2

0,61 - 0,68µm

B3

0,78 - 0,89µm

MIR

1,58 - 1,75µm

HRG

PA e SUPERMODE

0,48 - 0,71µm

5 m

26 dias

60 X 60 km

B1

0,50 - 0,59 µm

10 m

B2

0,61 - 0,68 µm

B3

0,78 - 0,89 µm

SWIR

1,58 - 1,75 µm

HRS (gera pares estereoscópicos)

PA

0,49 - 0,69µm

10 m

26 dias

120 X 600 km

VEGETATION e VEGETATION-2

B0

0,43 - 0,47µm

1 km

24 horas

2250 km

B2

0,61 - 0,68µm

B3

0,78 - 0,89µm

MIR

0,58 - 0,75µm



Principais Aplicações
  • Impacto das atividades humanas sobre o meio ambiente;
  • Monitoramento de fenômenos naturais;
  • Acompanhamento do uso agrícola das terras;
  • Apoio ao monitoramento de áreas de preservação;
  • Atividades energético-mineradoras;
  • Cartografia e atualização de mapas;
  • Desmatamentos;
  • Dinâmica de urbanização;
  • Estimativas de fitomassa;
  • Monitoramento da cobertura vegetal;
  • Queimadas;
  • Secas e inundações;
  • Sedimentos em suspensão nos rios e estuários.
Fonte: Embrapa
 
NOAA
 
     O NOAA (National Oceanic and Atmospheric Administration), assim como as imagem MODIS, pertencem ao grupo de imagens de campo largo de visada, ou seja, uma cena do NOAA recobre áreas com dimensões continentais.

     Os órgãos responsáveis pelo NOAA são o NESDIS (National Environmental Satellite Data and Information Service) e a NASA (National Aeronautics and Space Administration), sendo esses órgãos pertencentes ao Governo dos Estados Unidos da América.

     Inicialmente, o programa NOAA chamava-se TIROS (Television and Infrared Observation Satellite), e foi desenvolvido pela NASA devido a necessidade de se ter um sistema de satélites meteorológicos. Esse programa foi concebido nos anos 60. Em 11 de Dezembro de 1970, foi lançado o satélite TIROS A, que também recebeu a denominação de NOAA 01. A diferença deste para a série TIROS é que neste foram incluídos sensores infravermelhos. Nascia aqui a série de satélites NOAA. O satélite NOAA, assim com o Terra, possui vários sensores: AMSU-A, AMSU-B, AVHRR/3, HIRS/3, SBUV/2, OCI e adquire dados de todo o planeta. Mais detalhes sobre os sensores do NOAA podem ser obtidos em www.noaa.gov.

Site Principal: http://www.noaa.gov


Características

Instituição Responsável

National Environmental Satellite Data and Information Service (NESDIS) e National Aeronautics and Space Administration (NASA)

País/Região

Estados Unidos

Satélite

NOAA-12

NOAA-14

NOAA-15

NOAA-16

NOAA-17

Lançamento

14/05/1991

30/12/1994

13/05/1998

21/09/2000

24/06/2002

Situação Atual

Ativo

Ativo

Ativo

Ativo

Ativo

Órbita

Polar e heliossíncrona

Polar e heliossíncrona

Polar e heliossíncrona

Polar e heliossíncrona

Polar e heliossíncrona

Altitude

833 km

870 km

833 km

870 km

833 km

Inclinação

98,6º

98,9º

98,7º

98,7º

98,7º

Tempo de Duração da Órbita

101,2 min

102 min

101 min

102 min

102 min

Período de Revisita

Diário

Diário

Diário

Diário

Diário

Instrumentos Sensores

AVHRR e TOVS

AVHRR e TOVS

AVHRR/3 e TOVS

AVHRR/3 e TOVS

AVHRR/3 e TOVS



Principais Instrumentos Sensores

Sensor

Bandas Espectrais

Resolução Espectral

Resolução Espacial

Resolução Temporal

Faixa Imageada

AVHRR (Advanced Very High Resolution Radiometer)

1 (Vermelho)

0,58 - 0,68µm

1,1 km

Diária (no máximo)

2400 km

2 (Infravermelho próximo)

0,72 - 1,10µm

3 (Infravermelho médio)

3,55 - 3,93µm

4 (Infravermelho termal)

10,30 - 11,30µm

5 (Infravermelho termal)

11,30 - 12,50µm

AVHRR/3

1 (Vermelho)

0,58 - 0,68µm

1,1 km

Diária (no máximo)

2400 km

2 (Infravermelho próximo)

0,72 - 1,10µm

3A (Infravermelho próximo)

1,58 - 1,64µm

3B (Infravermelho médio)

3,55 - 3,93µm

4 (Infravermelho termal)

10,30 - 11,30µm

5 (Infravermelho termal)

11,30 - 12,50µm



Principais Aplicações
  • Estimativas de fitomassa;
  • Análise da cobertura vegetal;
  • Monitoramento de queimadas;
  • Meteorologia e agrometeorologia.
Fonte: Embrapa
 
ERS
 
     Dotados de vários instrumentos sensores (escaterômetros, câmeras, etc), os satélites da família ERS geram um fluxo contínuo de informações sobre os oceanos e as terras emersas desde 1991, quando foi lançado o primeiro satélite da série (ERS-1) pela Agência Espacial Européia - ESA. Atualmente, o segundo satélite (ERS-2) está em órbita e apresenta configurações técnicas semelhantes aos do primeiro. Uma das grandes importâncias do satélite ERS foi o fato de ter sido o pioneiro a disponibilizar imagens de qualidade captadas por sensores de microondas (radar) e contribuir para ampliar as possibilidades de aquisição de imagens de áreas que apresentam alta concentração de nuvens.

Site Principal: http://earth.esa.int/ers/


Características

Instituição Responsável

European Space Agency (ESA)

País/Região

Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Irlanda, Itália, Noruega, Portugal, Reino Unido, Suécia e Suiça.

Satélite

ERS-1

ERS-2

Lançamento

17/07/1991

21/4/1995

Situação Atual

Inativo desde 10/03/2000

Ativo

Órbita

Polar, Circular e heliossíncrona

Polar, Circular e heliossíncrona

Altitude

785 km

785 km

Inclinação

98,5º

98,5º

Tempo de Duração da Órbita

100 min

100 min

Horário de Passagem

10:30 A.M.

10:30 A.M.

Período de Revisita

3, 35 e 176 dias

3, 35 e 176 dias

Instrumentos Sensores

SAR, WS, RA, ATSR-1, MS, LRR

SAR, WS, RA, ATSR-2, MS, GOME, PRARE, LRR



Principais Instrumentos Sensores

Sensor

Canais/Bandas Espectrais

Frequência

Comprimento de Onda

Ângulo de Visada

Polarização

Resolução Espacial

Resolução Temporal

Faixa Imageada

SAR (Synthetic Aperture Radar)

Banda C

5,3 GHz

5,6 cm

23º

vertical

6 - 30 km

3, 35 e 176 dias

80 - 102 km

WS (Wind Scaterometter)

Banda C

5,3 GHz

s.d.

45º

s.d.

45 km

3, 35 e 176 dias

500 km

RA (Radar Altimeter)

Banda K

13,8 GHz

s.d.

1,3 a 3º

vertical

16 m (altitude)

3, 35 e 176 dias

16 - 20 km


Sensor

Bandas Espectrais

Resolução Espectral

Resolução Espacial

Resolução Temporal

Faixa Imageada

ATSR-1 (Along Track Scanning Radiometer)

MULTIESPECTRAL

1,6 µm

1,1 km

3, 35 e 176 dias

500 km

3,7 µm

10,8 µm

ATSR-2 (Along Track Scanning Radiometer)

MULTIESPECTRAL

1,6 µm

1,1 km

3, 35 e 176 dias

500 km

3,7 µm

10,8 µm

0,55 µm

0,65 µm

0,87 µm

MS (Microwave Sounder)

INFRAVERMELHO

1.58-1.64 µm

1 km

3, 35 e 176 dias

500 km

3.55-3.93 µm

10.4-11.3 µm

11.5-12.5 µm

GOME

ULTRAVIOLETA

292 - 402 nm

40 km

3 dias

120 - 960 km

VISÍVEL

402 - 597 nm

597 - 790 nm



Principais Aplicações
  • Determinação da velocidade e direção dos ventos da superfície marítima para aplicação em modelos, estatísticas globais e dados climatológicos;
  • Monitoramento de marés;
  • Pesquisas sobre a camada de Ozônio da Atmosfera;
  • Medidas de temperaturas da superfície marítima e temperaturas do topo das nuvens;
  • Monitoramento de vegetação e movimentos de terra;
  • Cálculos geodésicos.
Fonte: Embrapa
 
RADARSAT
 
     O RADARSAT, lançado em 1995, é um dos mais sofisticados e completos sistemas de observação radar do planeta. Foi desenvolvido pelo Canadá para monitorar mudanças ambientais e características dos recursos naturais, sendo capaz de cobrir toda a superfície terrestre com flexibilidade para atender requisições específicas, dependendo do seu modo de operação.

     Este satélite é equipado com um instrumento de microondas, o Radar de Abertura Sintética (Synthetic Aperture Radar - SAR), que permite transmitir e receber sinais para obter imagens de alta qualidade, independente das condições atmosféricas ou horário de aquisição. Utilizando a Banda-C, os usuários podem selecionar imagens de 45 a 500 Km de largura com resolução espacial entre 10 e 100 m, respectivamente. Os ângulos de incidência variam aproximadamente de 20º a 50º.

Site Principal: http://radarsat.space.gc.ca/asc/eng/csa_sectors/earth/earth.asp


Características

Instituição Responsável

Canadian Space Agency (CSA)

País/Região

Canadá

Satélite

RADARSAT-1

Lançamento

04/11/1995

Situação Atual

Ativo

Órbita

Polar, Circular e heliossíncrona

Altitude

798 km

Inclinação

98,6º

Tempo de Duração da Órbita

100 min

Horário de Passagem

s.d.

Período de Revisita

24 dias

Instrumentos Sensores

SAR



Principais Instrumentos Sensores

Sensor

Canais/Bandas Espectrais

Frequência

Comprimento de Onda

Ângulo de Visada

Polarização

Resolução Espacial

Resolução Temporal

Faixa Imageada

SAR

Banda C

5,3 GHz

5,7 cm

10º a 59º

horizontal

9 - 100 m

24 dias

50 - 500 km



Principais Aplicações
  • Impacto das atividades humanas sobre o meio ambiente;
  • Monitoramento de fenômenos naturais.
Fonte: Embrapa
 
CBERS
 
     O programa CBERS (China-Brazil Earth Resources Satellite ou Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres) mantém dois satélites de observação terrestre em órbita: o CBERS-1 e o CBERS-2, lançados na China. Os satélites são equipados com sensores de diferentes resoluções espaciais que podem cobrir o planeta em menos de 5 dias e ao mesmo tempo produzir informações mais detalhadas em uma visada mais estreita. O CBERS carrega câmeras para observação óptica e um sistema de coleta de dados ambientais. É um sistema único pois mantém em órbita instrumentos sensores que combinam características especialmente adequadas às diversas escalas temporais e espaciais, necessárias ao monitoramento e à preservação do ecossistema.

     O sistema de coleta de dados é destinado à retransmissão, em tempo real, de dados ambientais coletados em Terra e transmitidos ao satélite por meio de pequenas estações autônomas. Os dados provenientes das diversas estações, localizados em vários pontos do Planeta, são dirigidos ao mesmo tempo às centrais de processamento e usuários finais, por meio de transmissões em freqüências diferentes.

     Em 14 de outubro de 1999, ocorreu o lançamento do primeiro Satélite CBERS, utilizando-se o foguete Longa Marcha 4B, a partir da Base de Lançamento de Taiyuan, e o segundo satélite foi lançado em 21 de outubro de 2003. As equipes técnicas de ambos os países concluíram estudos de viabilidade para a construção de mais dois satélites da família CBERS, o CBERS-3 e o CBERS-4, com a substituição da atual câmara CCD por outra com resolução de 5 metros. O lançamento do CBERS-3 ocorreu em janeiro de 2008 e o CBERS-4 está programado para 2010.

Site Principal: http://www.cbers.inpe.br


Características

Instituição Responsável

INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e CAST (Academia Chinesa de Tecnologia Espacial)

País/Região

Brasil e China

Satélite

CBERS 1

CBERS 2

Lançamento

14/10/1999

21/10/2003

Situação Atual

Ativo

Ativo

Órbita

Circular, quase Polar e heliossíncrona

Circular, quase Polar e heliossíncrona

Altitude

778 km

778 km

Inclinação

98º

98º

Tempo de Duração da Órbita

100,26 min

100,26 min

Horário de Passagem

10:30 A.M.

10:30 A.M.

Período de Revisita

26 dias

26 dias

Instrumentos Sensores

Câmara CCD, IRMSS e WFI

Câmara CCD, IRMSS e WFI



Principais Instrumentos Sensores

Sensor

Bandas Espectrais

Resolução Espectral

Resolução Espacial

Resolução Temporal

Faixa Imageada

CÂMARA CCD

PAN

0,51 - 0,73µm

20 m

26 dias (visada vertical) e 3 dias (visada lateral)

113 km

AZUL

0,45 - 0,52µm

VERDE

0,52 - 0,59µm

VERMELHO

0,63 - 0,69µm

INFRAVERMELHO PRÓXIMO

0,77 - 0,89µm

IRMSS

PAN

0,50 - 1,10µm

80 m

26 dias

120 km

INFRAVERMELHO MÉDIO

1,55 - 1,75µm

INFRAVERMELHO MÉDIO

2,08 - 2,35µm

INFRAVERMELHO TERMAL

10,40 - 12,50µm

160

WFI

VERMELHO

0,63 - 0,69µm

260 m

5 dias

890 km

INFRAVERMELHO PRÓXIMO

0,77 - 0,89µm



Principais Aplicações
  • Gerenciamento de recursos terrestres;
  • Desmatamentos e Queimadas;
  • Monitoramento ambiental, particularmente de florestas, meio físico e hidrologia.
Fonte: Embrapa
 
IKONOS
 
    

    

Site Principal: http://www.spaceimaging.com


Características

Instituição Responsável

Space Imaging

País/Região

Estados Unidos

Satélite

IKONOS-II

Lançamento

24/09/1999

Situação Atual

Ativo

Órbita

Heliossíncrona

Altitude

681 km

Inclinação

98,1º

Tempo de Duração da Órbita

98 min

Horário de Passagem

10:30 A.M.

Período de Revisita

3 dias

Instrumentos Sensores

PANCROMÁTICO E MULTIESPECTRAL



Principais Instrumentos Sensores

Sensor

Bandas Espectrais

Resolução Espectral

Resolução Espacial

Resolução Temporal

Faixa Imageada

PANCROMÁTICO

PAN

0,45 - 0,90µm

1 m

2,9 dias

13 x 13 km

MULTIESPECTRAL

AZUL

0,45 - 0,52µm

4 m

1,5 dias

VERDE

0,52 - 0,60µm

VERMELHO

0,63 - 0,69µm

INFRAVERMELHO PRÓXIMO

0,76 - 0,90µm



Principais Aplicações
  • Mapeamentos urbanos e rurais que exijam alta precisão dos dados (cadastro, redes, planejamento, telecomunicações, saneamento, transportes);
  • Mapeamentos básicos e aplicações gerais em Sistemas de Informação Geográfica;
  • Uso da Terra (com ênfase em áreas urbanas);
  • Estudo de áreas verdes urbanas;
  • Estimativas de colheitas e demarcação de propriedades rurais;
  • Laudos periciais em questões ambientais.
Fonte: Embrapa
 
TERRA
 
     A plataforma orbital TERRA foi lançada em 18 de dezembro de 1999 como parte do programa Earth Observing System (EOS), da NASA e tem por objetivo principal adquirir dados que possam aumentar nossos conhecimentos sobre a dinâmica atmosférica global, sobre a interação terra, oceano e atmosfera. Estes dados começaram a ser coletados em fevereiro de 2000. Atualmente existem três satélites do programa EOS em órbita e planejam-se lançar outros quinze durante os próximos anos. A bordo do satélite TERRA estão os sensores MODIS, ASTER, CERES, MISR e MOPITT.

Site Principal: http://terra.nasa.gov


Características

Instituição Responsável

NASA

País/Região

Estados Unidos

Satélite

TERRA

Lançamento

18/12/1999

Situação Atual

Ativo

Órbita

Polar e heliossíncrona

Altitude

705 km

Inclinação

98,2º

Tempo de Duração da Órbita

98,1 min

Horário de Passagem

10:30 A.M.

Período de Revisita

16 dias

Instrumentos Sensores

ASTER, MODIS, MISR, CERES e MOPPIT



Principais Instrumentos Sensores

Sensor

Bandas Espectrais

Resolução Espectral

Resolução Espacial

Resolução Temporal

Faixa Imageada

ASTER (Advanced Spaceborne Thermal Emission and Reflection Radiometer)

VNIR

3 bandas: (0,5 - 0,9 µm)

15 m

s.d.

60 km

SWIR

6 bandas: (1,6 - 2,5 µm)

30 m

TIR

5 bandas: (8 - 12 µm)

90 m

MODIS (Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer)

1

620 - 670 nm

250 m

1 a 2 dias

2330 x 5000 km

2

841 - 876 nm

3

459 - 479 nm

500 m

4

545 - 565 nm

5

1230 - 1250 nm

6

1628 - 1652 nm

7

2105 - 2155 nm

8

405 - 420 nm

1000 m

9

438 - 448 nm

10

483 - 493 nm

11

526 - 536 nm

12

546 - 556 nm

13

662 - 672 nm

14

673 - 683 nm

15

743 - 753 nm

16

862 - 877 nm

17

890 - 920 nm

18

931 - 941 nm

19

915 - 965 nm

20

3660 - 3840 nm

21

3929 - 3989 nm

22

3929 - 3989 nm

23

4020 - 4080 nm

24

4433 - 4498 nm

25

4482 - 4549 nm

26

1360 - 1390 nm

27

6535 - 6895 nm

28

7175 - 7475 nm

29

8400 - 8700 nm

30

9580 - 9880 nm

31

10780 - 11280 nm

32

11770 - 12270 nm

33

13185 - 13485 nm

34

13485 -13785 nm

35

13785 -14085 nm

36

14085 -14385 nm



     MODIS (Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer) é um instrumento a bordo dos satélites TERRA (EOS AM) e ACQUA (EOS PM). O MODIS do TERRA e o MODIS do AQUA visualizam a superfície completa da Terra de 1 a 2 dias.

     Além do ALOS e MODIS, o satélite TERRA leva à bordo os sensores:
  • MISR (Multi-angle Imaging SpectroRadiometer): utilizado para estudos ecológicos e climatológicos do aerossol na atmosfera, nuvens e propriedades geofísicas da superfície.

  • CERES (Clouds and the Earth's Radiant Energy System): para obter medidas de fluxo de energia radioativa.

  • MOPPIT (Measurements of Pollution in the Troposphere) : aquisição de medidas globais do Monóxido de Carbono e Metano na baixa atmosfera.


Principais Aplicações
  • Radiações e reflexões espectrais da superfície da Terra;
  • Temperatura da superfície e emissividade;
  • Mapas digitais de elevação a partir de imagens estereoscópicas;
  • Mapas da vegetação e da composição da superfície;
  • Observação de desastres naturais;
  • Monitoramento das mudanças no balanço de energia radiante na Terra;
  • Mudanças nas superfícies marítima e terrestre e interações com a atmosfera através de trocas de energia, carbono e água;
  • Estudos sobre nuvens, vapor d'água, pequenas partículas na atmosfera chamadas "aerossóis".
Fonte: Embrapa
 
QUICK-BIRD
 
     O QuickBird foi lançado com grande sucesso pelo veículo lançador Delta II da base aérea de Vandenberg, na Califórnia em outubro de 2001. A órbita do QuickBird é sol-síncrona com inclinação de 980, altitude de 450km e período de 93,4 minutos.

     O satélite QuickBird é o primeiro de uma constelação de satélites que está sendo desenvolvida para oferecer aos clientes de imagens de alta resolução os melhores produtos do mercado.

     O satélite tem um tempo de revisita médio de 1,9 a 10 dias, dependendo da latitude e do ângulo de visada considerados. Além disso, o satélite apresenta capacidade de visada de 544km e coleta imagens com 16,5km de largura, com ângulos de visada que podem variar de 0º a 45º.

     O sensor abordo do satélite QuickBird fornece imagens com resolução espacial de 60cm na banda pancromática e 2,44cm nas quatro bandas multiespectrais.

Site Principal: http://www.digitalglobe.com


Características

Instituição Responsável

Empresa DigitalGlobe

País/Região

Estados Unidos

Satélite

QUICKBIRD 2

Lançamento

18/10/2001

Situação Atual

Ativo

Órbita

Heliossíncrona

Altitude

450 km

Inclinação

98º

Tempo de Duração da Órbita

93,4 min

Horário de Passagem

s.d.

Período de Revisita

Máximo 3,5 dias

Instrumentos Sensores

QUICKBIRD



Principais Instrumentos Sensores

Sensor

Bandas Espectrais

Resolução Espectral

Resolução Espacial

Resolução Temporal

Faixa Imageada

QUICKBIRD

PANCROMÁTICA

450 - 900 nm

61 a 72 cm

1 a 3,5 dias, dependendo da latitude

16,5 x 16,5 km

MULTIESPECTRAL (Visível)

450 - 520 nm

2,4 a 2,8 m

520 - 600 nm

630 - 690 nm



Principais Aplicações
  • Mapeamentos urbanos e rurais que exijam alta precisão dos dados (cadastro, redes, planejamento, telecomunicações, saneamento, transportes);
  • Mapeamentos básicos e aplicações gerais em Sistemas de Informação Geográfica;
  • Uso da Terra (com ênfase em áreas urbanas);
  • Estudo de áreas verdes urbanas;
  • Estimativas de colheitas e demarcação de propriedades rurais;
  • Laudos periciais em questões ambientais.
Fonte:
Embrapa
 

Fechar janela