Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica

O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica – PPGEE, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, tem a satisfação de convidar a Comunidade Universitária para assistir à Defesa Pública da Dissertação de Mestrado do Engenheiro Eletricista  João Daniel de Oliveira Klein, a realizar-se:
Data: 30/10/2019 – quarta-feira
Horário: 14h00min
Local: Salão de Eventos do Instituto Eletrotécnico da UFRGS (Av. Osvaldo Aranha, nº 103 – 1º andar – Campus Centro)

Banca examinadora:
Prof. Dr. Thomas Gabriel Rosauro Clarke – PPGE3M – UFRGS
Prof. Dr. Alexandre Balbinot – PPGEE – UFRGS
Prof. Dr. Paulo Roberto Eckert – PPGEE – UFRGS
Orientador: Prof. Dr. Valner João Brusamarello – PPGEE – UFRGS

Título da Dissertação: “ESTIMAÇÃO DO COEFICIENTE DE ACOPLAMENTO MAGNÉTICO EM UMA SONDA INDUTIVA PARA DETECÇÃO DE CORRENTES PARASITAS

Resumo:
“Neste trabalho é apresentado o desenvolvimento de uma metodologia para estimativa de dois parâmetros decorrentes de um circuito elétrico equivalente ao de uma sonda indutiva para inspeção de superfícies condutoras por meio de correntes parasitas. Inicialmente o equacionamento do circuito elétrico equivalente ao de um transformador foi desenvolvido, evidenciando os parâmetros não disponibilizados para medidas diretas. Em seguida, a sonda indutiva foi excitada em diferentes frequências, e os parâmetros: fator de acoplamento magnético k e uma constante C que relaciona a permeabilidade magnética e a condutividade elétrica da peça sob teste foram estimados utilizando o método dos mínimos quadrados. O processo é iniciado com a excitação e o monitoramento da impedância nos terminais da sonda. A análise do circuito equivalente permite então descrever essa impedância em função de todos os parâmetros do circuito e dessa forma é possível estimar k e C. Um circuito analógico para a medição da impedância foi construído para a validação da metodologia. Verificou-se que o coeficiente de acoplamento magnético está relacionado com a distância entre a sonda e a superfície condutora, permitindo a sua utilização tanto para obtenção da espessura de coberturas isolantes quanto como parâmetro de correção para outros métodos baseados em correntes parasitas e que são sensíveis a esta distância. Já a constante relacionada à peça condutora apresenta potencial para a caracterização de suas propriedades eletromagnéticas e também para detecção de fissuras nessa peça. Os experimentos foram realizados em três peças metálicas planas de diferentes materiais, alumínio, cobre e latão, com distâncias de afastamento de até 3 mm. Os resultados experimentais foram consistentes e apresentaram grande similaridade com os valores analíticos.

Palavras-chave: Sensor indutivo, correntes parasitas, propriedades eletromagnéticas, ensaios não destrutivos”