Comissão de Pesquisa (COMPESQ)

Segundo o art. 54 do Regimento Geral da UFRGS, a Comissão de Pesquisa terá um Coordenador, com mandato de 2 (dois) anos, eleito na forma desse regimento, com funções executivas.

A COMPESQ – EE se reúne uma vez por mês para deliberar sobre os assuntos relativos às atividades de pesquisa da Escola de Engenharia.
As reuniões são realizadas na segunda semana do mês.

As atribuições da Comissão de Pesquisa da Escola de Engenharia são:
I – propor ao Conselho da Unidade ações relacionadas às atividades de pesquisa;
II – emitir parecer sobre os planos, programas e projetos de pesquisa nos termos do Regimento da Unidade;
III – acompanhar e avaliar a execução dos planos, programas e projetos de pesquisa desenvolvidos na Unidade;
IV – fomentar pesquisas e convênios de pesquisa;
V – estimular a produção científica na EE.

São membros da COMPESQ da Escola de Engenharia:

Coordenadora:
Mariliz Gutteres Soares
Departamento de Engenharia Química (DEQUI)
Fone: (51) 3308-3954
Mandato: 14/07/2015 a 13/07/2017

Demais membros

Coordenador Substituto:
Bardo Ernst Josef Bodmann
Departamento: Engenharia Mecânica (DEMEC)
Fone: (51) 3308-3339
Mandato: 14/07/2015 a 14/07/2017

Representantes docentes:

Alexandre Sanfelice Bazanella
Istefani Carísio de Paula
Angela Gaio Graeff
Bardo Ernst Josef Bodmann
Thomas Gabriel Rosauro Clarke
Isabel Cristina Tessaro
Mariliz Gutterres Soares
Joyson Luiz Pacheco

Mandato: 15/07/2015 a 14/07/2017

Representante Técnico-Administrativo
Marcio Levi Kramer de Macedo

 

Secretaria
Vera Lucia Prates da Silva
vera.prates@ufrgs.br
(51) 3308-3530

A partir de 2015 os Projetos de Pesquisa, Acordos de Cooperação e Protocolos de Intenção tramitam pelo Sistema de Interações Acadêmicas.

Acesso: Portal do Servidor/Pesquisa/Interações Acadêmicas.

A maioria dos documentos é preenchida diretamente no Sistema. Os documentos que devem ser inseridos são:

1) Para Projetos de Pesquisa

– Minuta do Instrumento Legal (convênio, contrato, acordo de cooperação, etc)

– Projeto

– Plano de Trabalho

Declaração do Fiscalizador

2) Para Acordos de Cooperação /Protocolo de Intenção

O que deve ser inserido é o Instrumento Legal, em Português e no idioma local da outra Instituição, caso não seja nacional.

Condições de Enquadramento

Características desejáveis nos projetos de pesquisa submetidos a esta comissão:
– envolvimento de alunos de pós e/ou graduação;
– previsão de geração de publicações;
– aquisição de material permanente para a instituição;
– explicitação da INOVAÇÃO que a pesquisa enseja.

Itens do Projeto

Baseando-se na decisão 717/2008 do CONSUN as propostas de ações de parceria serão apresentadas pelos coordenadores às instâncias internas de suas respectivas unidades, sob a forma de projeto, devendo conter:
I – identificação (vinculação institucional, título, coordenação e autoria);
II – justificativa;
III – objetivos;
IV – entidades ou órgãos envolvidos;
V – recursos humanos;
VI – planejamento financeiro, prevendo as receitas, as fontes de origem e as despesas;
VII – cronograma/período de execução;
VIII – indicadores de avaliação da atividade.

Legislação

Decisão nº 193/2011 – Interação Acadêmica – CONSUN

Portaria nº 2679/2011 – Procedimentos complementares para as interações acadêmicas, de acordo com a Decisão 193/2011 – CONSUN

Resolução nº 26/2011, de 17/08/2011 – Normas para a participação de pós-doutorandos em atividades de Pesquisa científica e tecnológica e Ensino na UFRGS – CEPE

Decisão nº 717/2008 – Regulamentação das ações de parceria. (Decisão anterior a 193/2011)

Resolução nº 46/2007 – Normas para a participação de Pós-Doutorandos em atividades de Pesquisa e Ensino. (Decisão anterior a 26/2011)

Portaria nº 4792/2011 – Altera valor projetos grande porte 16-09-2011

Lei nº 10.973, de 2 de Dezembro de 2004 – Lei da Inovação

Taxação

Em caso de enquadramento como atividade de pesquisa, a legislação atual prevê que:
I – Os recursos arrecadados como forma de ressarcimento constituirão um fundo a ser administrado pelas unidades ou órgãos envolvidos nas ações de parceria, correspondente a, no mínimo, 5% (cinco por cento ) do total arrecadado nas ações de parceria, podendo ser excluído deste total os valores referentes a bens de capital.
II – Os recursos arrecadados como forma de ressarcimento constituirão um fundo a ser administrado pela Pró-Reitoria de Planejamento e Administração, correspondente a, no mínimo, 5% (cinco por cento) do total arrecadado nas ações de parceria, excluído deste total os valores referentes a bens de capital.

Obs.: à fundação de apoio, caberá uma taxa de até 5% (cinco por cento) que incidirá sob valor total do projeto (incluindo as taxas para a Unidade e para a UFRGS além dos bens de capital).

Tramitação dos projetos

1º – Submeter o projeto à aprovação do plenário ou colegiado do Departamento
2º – Encaminhar à Comissão de Pesquisa, com a minuta do Convênio ou Ação de Parceria , já sob a forma de processo. Deve constar também o Termo de Compromisso.
3º – O processo é encaminhado para reunião do Conselho da Escola de Engenharia
4° – Em caso de deferimento pelo Conselho, o processo é enviado para a SEDETEC, que após análise, o remete para o Setor de Convênio do Gabinete do Reitor.
5° – De lá, vai para a Procuradoria, em seguida para a AUDIN, passando pela PROPESQ, para registro e/ou manifestação.
6º – Finalmente o processo vai para aprovação no CONSUN antes de ser enviado ao Setor de Convênios do Gabinete, para assinatura.