Cursos de Graduação

A Escola de Engenharia possui um total de 13 cursos de graduação, em que 10 engenharias são ofertadas nessa Unidade: Civil, Mecânica, Elétrica, Química, de Minas, de Materiais, de Metalurgia, de Produção, de Controle e Automação e Engenharia de Energia.

Além desses cursos, há também os de caráter interdisciplinar, que abrangem mais de uma Unidade Acadêmica, como a Engenharia Ambiental, que é ofertada em parceria da Escola de Engenharia e o Instituto de Pesquisas Hidráulicas (IPH); a Engenharia de Computação, em parceria com o Instituto de Informática e a Engenharia Física, em parceria com o Instituto de Física.

 

Cursos de graduação

Engenharia Civil

Site do curso
http://www.ufrgs.br/engcivil
Currículo
Currículo do curso de Engenharia Civil
Projeto Pedagógico de Curso
PPC do curso de Engenharia Civil

Comissão de Graduação ( COMGRADCIV)

Prof.ª Luciani Somensi Lorenzi DECIV/EE, coordenadora luciani.lorenzi@ufrgs.br

Prof.ª Ângela Gaio Graeff DECIV/EE, coordenadora substituta, responsável pelos estágios angel.graeff@gmail.com

Prof. Alexandre Rodrigues Pacheco DECIV/EE apacheco@ufrgs.br

Prof. Cesar Alberto Ruver  DECIV/EE cesar.ruver@gmail.com

Prof. Daniel Sergio Presta Garcia DEPROT, EE daniel.garcia@ufrgs.br

Prof.ª Daniela Guzzon Sanagiotto DHH, IPH dsanagiotto@ufrgs.br

Prof. João Ricardo Masuero  DECIV/EE, responsável pelos TCCs joao.masuero@ufrgs.br

Prof.ª Wai Ying Yuk Gehling DECIV/EE gehling@ufrgs.br

Representante Discente: Eduarda Fontoura (CECIV) efontoura08@gmail.com

 

Histórico
O curso de Engenharia Civil foi o primeiro curso da Escola de Engenharia e um dos mais antigos da UFRGS. Criado em 1896 com ênfase em Agrimensura, Hidráulica e Estradas, obteve reconhecimento em 08 de dezembro de 1900. Em 1978 o currículo foi reformulado tomando algumas das formas que tem atualmente.

Objetivos
O Curso de Engenharia Civil tem por objetivos proporcionar ao aluno:
– Uma forte formação científica para que possa despertar o espírito de cientista e com isso, no futuro, desenvolver pesquisas e novas tecnologias.
– Uma boa formação profissional que o habilite a planejar, projetar, construir, supervisionar e controlar, dentro dos padrões atuais da ciência e da tecnologia, obras relacionadas com as áreas de habitação, saneamento, transporte, urbanização e serviços.
– Uma boa formação como cidadão, que como tal deverá viver em um meio social onde trabalhará em equipes interdisciplinares.

Titulação
A titulação conferida é Engenheiro(a) Civil.

Ingresso e vagas
O ingresso ao curso é feito via Concurso Vestibular. São oferecidas 160 vagas por ano, sendo 80 no primeiro semestre e 80 no segundo. Destas, 70% das vagas tem ingresso através do Concurso Vestibular e 30% pelo Sistema de Seleção Unificada. Do total das vagas, 50% são destinadas ao sistema de reserva de vagas proveniente das políticas de ações afirmativas. Há ainda a possibilidade de ingresso via extravestibular, com vagas sazonais: oferecidas em edital:
http://www.ufrgs.br/prograd/processos-seletivos/ingresso-extravestibular *

Tempo de integralização
10 semestres

Turnos de funcionamento
diurno

Local de funcionamento
Campus Centro e Campus do Vale

Coordenação do curso
A organização e planejamento do Curso cabe à Comissão de Graduação de Engenharia Civil (COMGRAD/ENGCIV).

Perfil do Egresso
O currículo do Curso está alicerçado sobre conteúdos fundamentais ao projeto, execução e administração de obras de Engenharia Civil. A formação básica é compartilhada com os demais cursos de Engenharia da Universidade e fornece conhecimentos essenciais em áreas fundamentais como Matemática, Física, Química, Geometria, Informática e Desenho Técnico, enquanto que a formação específica e profissionalizante cobre as áreas de Construção, Estruturas, Geotécnica, Produção, Transportes e de Recursos Hídricos e Saneamento.

Áreas de concentração
Áreas de concentração Engenharia Civil

Áreas de atuação
O currículo do Curso procura dar condições a seus egressos para que estes venham a adquirir competências e habilidades para serem capazes de:
– dimensionar e empregar recursos físicos e financeiros com eficiência e baixo custo;
– utilizar ferramental matemático para modelar sistemas;
– projetar, implementar e aperfeiçoar sistemas, produtos e processos;
– prever e analisar demandas, selecionar tecnologias e know-how, projetando produtos ou melhorando suas características e funcionalidades;
– acompanhar os avanços tecnológicos, organizando-os e colocando-os a serviço das demandas das empresas e da sociedade;
– compreender a inter-relação de recursos escassos quanto à disposição final de resíduos e rejeitos, atentando para a exigência de sustentabilidade;
– utilizar indicadores de desempenho, sistemas de custeio, bem como avaliar a viabilidade econômica e financeira de projetos; e
– gerenciar e otimizar o fluxo de informação nas empresas, utilizando tecnologias adequadas.


Área do Aluno


Lista de Áreas de Concentração das Eletivas

Resolução de Estágio Não Obrigatórios

Procedimentos para Matrícula em Estágio Obrigatório
Procedimentos estágio obrigatório
Formulário estágio supervisionado civil
Declaração de entrega de relatório
ESTÁGIO fichas de avaliação

Trabalho de Conclusão de Curso
TCC Resolução
TCC – orientações

Atividades Complementares
Resolução UFRGS

Engenharia Mecânica

Site do curso
http://www.mecanica.ufrgs.br

Currículo
Currículo do curso de Engenharia Mecânica

Projeto Pedagógico de Curso
PPC do curso de Engenharia Mecânica

Histórico
O curso de Engenharia Mecânica, tal como se encontra estruturado na atualidade, é bastante recente. Contudo, desde a fundação da Escola de Engenharia, em 1896, se iniciaram trabalhos na direção de construir um curso nessa área. Assim, foi construído o Instituto Eletrotécnico, criado em 1908, que tinha dois cursos: Engenheiros Mecânicos-Eletricistas e o curso técnico de Montadores Mecânicos Eletricistas. Muitas foram as mudanças em termos de organização e objetivos até a época presente. Recentemente, o Departamento de Engenharia Mecânica da Escola de Engenharia que se relaciona diretamente ao curso, possibilitou a constituição dos cursos de Engenharia de Controle e Automação em 2008 e Engenharia de Energia em 2010.

Objetivos
O curso visa formar um engenheiro abrangente, aquele tido como quem detém forte embasamento científico, sendo capaz de enfrentar com maior competência os desafios em qualquer âmbito da Engenharia Mecânica. Em contraposição a este caráter, encontra-se o engenheiro especialista, que possui profundos conhecimentos em apenas uma área da engenharia, não detendo, portanto, o arsenal de conhecimentos necessários para enfrentar qualquer desafio no âmbito da Engenharia Mecânica.

Titulação
A titulação conferida é Engenheiro(a) Mecânico(a).

Ingresso e vagas
São oferecidas 160 vagas por ano, sendo 80 no primeiro semestre e 80 no segundo. Destas, 70% das vagas tem ingresso através do Concurso Vestibular e 30% pelo Sistema de Seleção Unificada. Do total das vagas, 50% são destinadas ao sistema de reserva de vagas proveniente das políticas de ações afirmativas. Há ainda a possibilidade de ingresso via extravestibular, com vagas sazonais: oferecidas em edital:
http://www.ufrgs.br/prograd/processos-seletivos/ingresso-extravestibular *

Tempo de integralização
10 semestres

Turnos de funcionamento
diurno

Local de funcionamento
Campus Centro e Campus do Vale

Coordenação do curso
A organização e planejamento do curso cabem à Comissão de Graduação de Engenharia COMGRAD/MEC.

Perfil do Egresso
O curso visa formar um engenheiro generalista, capacitado a desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação na identificação e resolução de problemas, considerando os aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, enfrentando com maior competência os desafios em qualquer âmbito da Engenharia Mecânica.

Estrutura do curso
Estrutura do curso Engenharia Mecânica

 

Áreas de atuação
O Engenheiro Mecânico poderá atuar em:
– indústrias de base (mecânica, metalúrgica, siderúrgica, mineração, petróleo, plásticos entre outras);
– indústrias de produtos (alimentos, eletrodomésticos, brinquedos etc);
– indústrias automotivas, de máquinas e equipamentos;
– setores de geração de energia, refrigeração e climatização;
– empresas prestadoras de serviços; em empresas e laboratórios de pesquisa científica e tecnológica. Também poderá atuar de forma autônoma, em empresa própria ou prestando consultoria.

Engenharia Elétrica

Site do curso
http://www.ufrgs.br/engele

Currículo
Currículo do curso de Engenharia Elétrica

Projeto Pedagógico de Curso
PPC do curso de Engenharia Elétrica

Histórico
O curso de Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) tem suas origens no Instituto de Eletrotécnica, fundado em 1908 como parte integrante da Escola de Engenharia, tendo como objetivo a formação de engenheiros mecânicos eletricistas.
Atuando numa área em constante evolução tecnológica, o curso de engenharia elétrica tem acompanhado as diversas variantes desta área de conhecimento, através da constante atualização de seus docentes, pesquisadores reconhecidos internacionalmente.
Ao longo de sua centenária existência, o curso tem-se caracterizado por proporcionar uma sólida formação acadêmica, responsável pelo reconhecimento como um dos melhores cursos do país, através de conceitos máximos obtidos nas avaliações do MEC, e nas inúmeras oportunidades de emprego oferecidas a engenheiros eletricistas formados pela UFRGS.

Objetivos
O curso de Engenharia Elétrica tem por objetivo desenvolver um sujeito ético, autônomo, com iniciativa, criatividade e cidadania através de uma formação profissional ampla de engenheiro eletricista em áreas como Automação e Controle, Eletrônicas Analógica e Digital, Instrumentação e Processamento de Sinais, Sistemas de Comunicação, Sistemas de Energia, Máquinas Elétricas e Acionamentos, e suas interdisciplinaridades e complementariedades. Isso permite um amplo espectro de atuação profissional desse egresso. Tal formação é coerente e compatível com as habilitações profissionais definidas pelo sistema CONFEA-CREA.

Titulação
A titulação conferida é Engenheiro(a) Eletricista.

Ingresso e vagas
O ingresso ao curso é feito via Concurso Vestibular. Serão oferecidas 90 vagas por ano que se destinarão aos candidatos classificados, sendo 30% pelo sistema de reserva de vagas.

Tempo de integralização
10 semestres

Turnos de funcionamento
diurno

Local de funcionamento
Campus Centro e Campus do Vale

Coordenação do curso
A organização e planejamento do Curso cabe à Comissão de Graduação de Engenharia Elétrica (COMGRAD/ENGELE).

Perfil do Egresso
O perfil do profissional que o curso de Engenharia Elétrica forma possui as seguintes características:
– Forte formação em matemática, física e outras ciências básicas;
– Ética e profissionalismo;
– Autonomia na busca de soluções de problemas complexos de engenharia;
– Competência para atuar em análise, simulação, projeto, desenvolvimento e produção de sistemas e dispositivos eletro-eletrônicos;
– Qualificação para atuar nos diversos segmentos da engenharia elétrica energia, máquinas elétricas, eletrônica, instrumentação, controle e automação, e telecomunicações;
– Criatividade, multidisciplinaridade e liderança.

Áreas de atuação
Os engenheiros eletricistas formados pela UFRGS atuam numa ampla gama de oportunidades profissionais, como:
– geração, transmissão e distribuição de energia elétrica;
– sistemas de telecomunicações, controle, automação e robótica;
– instrumentação eletro-eletrônica, sistemas eletrônicos e microeletrônicos;
– máquinas e dispositivos eletromagnéticos, entre outros.
Suas formas de atuação englobam: desenvolvimento de novos produtos e serviços, gestão de equipes e de produção, administração, vendas, e outros.

Engenharia Química

Site do curso
http://www.enq.ufrgs.br

Currículo
Currículo do curso de Engenharia Química

Projeto Pedagógico de Curso
PPC do curso de Engenharia Química

Histórico
O Curso de Engenharia Química foi criado oficialmente em 1896, obtendo reconhecimento em 08 de dezembro de 1900, através do Decreto No 727. Seu Currículo Mínimo obedece a resolução No 48176 do CFE. Em 1978, o Currículo Pleno do Curso de Engenharia Química sofreu uma reestruturação autorizada pelo parecer No 1870178 do CFE..
O Departamento de Engenharia Química iniciou suas atividades de ensino de graduação em 1958.
A primeira diplomação ocorreu em 1966. Desde então, o Curso já formou cerca de 1.500 Engenheiros Químicos.
Atualmente, o número total de alunos matriculados no Curso é de aproximadamente 450 alunos.

Objetivos
O Curso de Engenharia Química tem por objetivo a formação de profissionais capacitados para pesquisar, analisar, projetar e operar processo onde a matéria sofre alterações de fase, de estado físico, de conteúdo energético ou de composição. Estes processos existem, principalmente, nas indústrias de produtos químicos, de materiais, de alimentos, etc., e no controle da poluição.

Titulação
A titulação conferida é Engenheiro(a) Químico(a).

Ingresso e vagas
O ingresso ao curso é feito via Concurso Vestibular. São oferecidas 100 vagas por ano que se destinarão aos candidatos classificados, os quais ingressam 50 no primeiro semestre letivo e 50 no segundo semestre, sendo 30% pelo sistema de reserva de vagas.

Tempo de integralização
10 semestres

Turnos de funcionamento
diurno

Local de funcionamento
Campus Centro e Campus do Vale

Coordenação do curso
A organização e planejamento do Curso cabem à Comissão de Graduação de Engenharia Química COMGRAD/ENQ.

Perfil do Egresso
A formação técnico-científica do profissional egresso deverá ser ampla e geral, de forma a capacitá-lo a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas. O Engenheiro Químico deverá possuir capacidade de trabalhar em equipe, demonstrando habilidades de comunicação bem como aprendizado e atualização contínuos.

Áreas de atuação
O Engenheiro Químico pode atuar nas mais diversas áreas onde processos físicos, físico-químicos ou transformações químicas estejam envolvidos. Alguns exemplos são:
– Indústrias Químicas
– Indústrias Petroquímicas
– Indústria de Petróleo e Gás
– Indústrias de celulose e papel
– Indústrias cerâmicas e vidro
– Indústrias de cimento
– Indústria de plásticos
– Indústrias de adesivos, tintas e solventes
– Indústria coureiro-calçadista
– Indústria de tecidos
– Indústrias de detergentes e produtos de limpeza
– Indústrias Alimentícias
– Indústrias Farmacêuticas
– Fertilizantes
– Química fina
– Biotecnologia
– Alcoolquímica
– Tratamento de água
– Tratamento de efluentes

Engenharia de Minas

Site do curso
http://www.ufrgs.br/demin

Currículo
Currículo do curso de Engenharia de Minas

Projeto Pedagógico de Curso
PPC do curso de Engenharia de Minas

Histórico
O curso da Universidade Federal do Rio Grande do Sul foi o segundo curso desta modalidade estabelecido no Brasil. Criado em 1942, na Escola de Engenharia, obteve reconhecimento em 12 de julho de 1950 através do Decreto No. 28371. Atualmente, o número total de alunos matriculados no Curso é de aproximadamente 180 alunos.

Objetivos
O Curso de Engenharia de Minas objetiva formar profissionais, habilitados para o desempenho das atividades de Engenharia de Minas, referentes à prospecção e à pesquisa mineral, lavra de minas; captação de água subterránea; beneficiamento de minérios; aberturas de vias subterrâneas e aos seus serviços afins correlatos bem como aspectos ambientais relacionados.

Titulação
A titulação conferida é Engenheiro(a) de Minas.

Ingresso e vagas
O ingresso ao curso é feito via Concurso Vestibular. Serão oferecidas 30 vagas por ano que se destinarão aos candidatos classificados, os quais ingressam no primeiro semestre letivo, sendo 30% pelo sistema de reserva de vagas.

Tempo de integralização
10 semestres

Turnos de funcionamento
diurno

Local de funcionamento
Campus Centro e Campus do Vale

Coordenação do curso
A organização e planejamento do Curso cabem à Comissão de Graduação de Engenharia COMGRAD/MIN.

Perfil do Egresso
O Curso de Engenharia de Minas da UFRGS visa formar um engenheiro com uma sólida formação técnica, científica e profissional geral que o capacite a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas. O Engenheiro de Minas formado estará apto a trabalhar em qualquer área da indústria mineral, desde a prospecção, passando pela exploração e lavra até o beneficiamento do bem mineral. Em seu trabalho deverá atuar de forma responsável, considerando os aspectos referentes à ética, à segurança e aos impactos ambientais.

Contexto Interdisciplinar
Contexto Interdisciplinar Engenharia de Minas

Áreas de atuação
O Engenheiro de Minas possui áreas de atuação muito amplas, envolvendo toda a tecnologia mineral. Tais áreas se relacionam com a prospecção (busca pelo minério), exploração (conhecimento da jazida), lavra (extração do bem mineral) e beneficiamento do mineral economicamente viável.
Na UFRGS, como em algumas outras instituições, o egresso do Curso de Engenharia de Minas deve ser capaz de trabalhar em quaisquer uma destas áreas.
O campo de atuação profissional abrange empresas mineradoras, centros de pesquisa científica e/ou tecnológica, empresas de consultoria e prestação de serviços.

Engenharia de Materiais

Currículo
Currículo do curso de Engenharia de Materiais

Projeto Pedagógico de Curso
PPC do curso de Engenharia de Materiais

Histórico
O Curso de Engenharia de Materiais teve início, oficialmente, em 1° de março de 1994, autorizado pela Resolução 20/94 da I CÂMARA DO COCEP/UFRGS. O primeiro vestibular ocorreu em 1995 e a primeira turma de formandos colou grau em 1999. O curso foi reconhecido, originalmente, pela Portaria Ministerial N° 1.056, de 14 de junho de 1999, do MEC, e teve sua Renovação de Reconhecimento pela Portaria Nº 260, de 27 de março de 2007, da Secretaria de Educação Superior.

Objetivos
A Engenharia dos Materiais é a área do conhecimento humano relacionada à pesquisa e desenvolvimento de materiais com aplicação tecnológica. Assim, o Curso de Engenharia de Materiais pretende a formação de um Engenheiro de Materiais pluralista em seus conhecimentos, capacitando-o a desenvolver uma atividade eclética no campo da pesquisa, desenvolvimento e aplicação industrial de materiais.
Espera-se que essa categoria de Engenheiros cumpra uma função catalítica tanto na absorção como no desenvolvimento de novas tecnologias, principalmente em áreas relacionadas com materiais no campo da Energia, Petroquímica, Eletro-Eletrônica, Engenharia Biomédica, Automobilística e Aeronáutica entre outras, se enquadrando assim, dentro das metas prioritárias de Desenvolvimento Científico e Tecnológico do País.

Titulação
A titulação conferida é Engenheiro(a) de Materiais.

Ingresso e vagas
O ingresso ao curso é feito via Concurso Vestibular. Serão oferecidas 40 vagas por ano que se destinarão aos candidatos classificados, os quais ingressam no primeiro semestre letivo, sendo 30% pelo sistema de reserva de vagas.

Tempo de integralização
10 semestres

Turnos de funcionamento
Predominantemente diurno

Local de funcionamento
Campus Centro e Campus do Vale

Coordenação do curso
A organização e planejamento do Curso cabe à Comissão de Graduação de Engenharia COMGRAD/EMT.

Perfil do Egresso
Profissional formado dentro de um ambiente de interdisciplinaridade no estudo de materiais, dotado da capacidade de utilização de conceitos e abordagens de diversas áreas do conhecimento para a resolução de problemas científicos e tecnológicos de Engenharia de Materiais. O objetivo do Curso é formar um Engenheiro de Materiais generalista (sem exigência de ênfase), com sólida formação básica, pluralista em conhecimentos, capacitado a desenvolver atividades na área de materiais em campos diversos de atuação como a pesquisa e o desenvolvimento de processos e produtos, bem como a seleção, a fabricação, a transformação e a aplicação industrial de materiais tradicionais e avançados.

Perfil de Formação
Perfil de Formação Engenharia de Materiais

Áreas de atuação
Principais setores em que se espera que o egresso tenha uma maior potencialidade de atuação profissional:
– Ciência e tecnologia dos materiais.
– Caracterização e seleção de materiais.
– Indústria de materiais (cerâmicos, poliméricos, metálicos e compósitos).
– Metalurgia Física.
– Tecnologia dos materiais empregados em diferentes campos e setores de Engenharia.
– Reciclagem de materiais.
– Controle de resíduos industriais, adequação ambiental de empresas no âmbito da indústria e da aplicação de materiais.

Engenharia Metalúrgica

Site do curso
http://www.ct.ufrgs.br/ntcm/demet/index.html

Currículo
Currículo do curso de Engenharia Metalúrgica

Projeto Pedagógico de Curso
PPC do curso de Engenharia Metalúrgica

Histórico
O Curso de Engenharia Metalúrgica se desmembrou de um curso de metalurgia e minas nos anos 50. Os primeiros engenheiros metalúrgicos se formaram em 1958. O curso da UFRGS representa hoje o único curso de metalurgia na região sul do Brasil. A crescente procura por engenheiros com esta formação se reflete no fato de o número de ingressantes no curso ter dobrado nos últimos 20 anos.

Objetivos
O Curso de Engenharia Metalúrgica tem por objetivo capacitar os engenheiros à obtenção de metais e ligas ferrosas e não ferrosas como produtos fundidos, sintetizados, laminados, perfilados, forjados, tubos, arames e outros, com ou sem melhoras de suas propriedades por tratamentos térmicos, e aplicação de revestimentos. Além disso, o curso capacita a fabricação de recipientes, estruturas metálicas, com combate à corrosão metálica, finalizando com o controle de qualidade dos produtos acabados utilizados pelo homem.

Titulação
A titulação conferida é Engenheio(a) Metalúrgico(a).

Ingresso e vagas
O ingresso ao curso é feito via Concurso Vestibular. Serão oferecidas 65 vagas por ano que se destinarão aos candidatos classificados, sendo 30% pelo sistema de reserva de vagas.

Tempo de integralização
10 semestres

Turnos de funcionamento
diurno

Local de funcionamento
Campus Centro e Campus do Vale

Coordenação do curso
A organização e o planejamento do Curso cabe à Comissão de Graduação de Engenharia COMGRAD/MET.

Perfil do Egresso
O curso tem como objetivo formar um engenheiro metalúrgico generalista, apto a resolver problemas científicos e tecnológicos de sua área de atuação. Deverá contribuir para o desenvolvimento de novos produtos e processos, além de interagir com profissionais de outras engenharias e outros campos do conhecimento.
O ensino profissionalizante do curso abrange todo o processo produtivo de materiais metálicos desde a mineração, extração, transformação, conformação mecânica e melhoramento, até o produto final, incluindo a sua reciclagem assim como o impacto destas atividades no meio ambiente e na sociedade.

Estrutura do curso

Estrutura do curso Engenharia Metalúrgica

 

Parceria Gerdau – Metalurgia
O projeto Parceria de Futuro do Grupo Gerdau oferece bolsas de estudos aos ingressantes do curso de metalurgia com melhor desempenho no vestibular. O programa tem por objetivo estimular a formação de engenheiros metalúrgicos.

Áreas de atuação
Há amplas opções para o engenheiro metalúrgico nos pólos metal-mecânico da região metropolitana e no norte do estado de RS.
A indústria de conformação/transformação fabrica produtos acabados e semi-acabados, incluindo o melhoramento, tratamentos térmicos, galvanização e revestimentos dos mesmos.
Na aciaria do estado é produzido aço a partir de sucata e ferro-gusa em forno elétrico a arco.
O uso destes produtos metálicos pela indústria automobilística, de máquinas agrícolas, tratores, ônibus e vagões, além da indústria petroquímica e química fecha a cadeia de produção.
Egressos com foco em tecnologia mineral encontram boas oportunidades profissionais fora do estado de RS.
O curso incentiva também o trabalho científico como base para uma carreira acadêmica ou para o desenvolvimento de produtos inovadores na indústria.

Engenharia de Produção

Site do curso
http://www.producao.ufrgs.br

Currículo
Currículo do curso de Engenharia de Produção

Projeto Pedagógico de Curso
PPC do curso de Engenharia de Produção

Histórico
O Curso de Engenharia de Produção da UFRGS não possui ênfase, podendo ser caracterizado como Engenharia de Produção plena. O curso foi criado através da Decisão CONSUN nº 110/99, de 30 de julho de 1999. A primeira oferta de vagas no vestibular ocorreu na edição 2000. O curso foi reconhecido em 2004, ano em que colou grau sua primeira turma.

Objetivos
O curso de Engenharia de Produção tem como objetivo formar profissionais habilitados ao projeto, operação, gerenciamento e melhoria de sistemas de produção de bens e serviços, integrando aspectos humanos, econômicos, sociais e ambientais.

Titulação
A titulação conferida é Engenheiro(a) de Produção.

Ingresso e vagas
O ingresso ao curso é feito via Concurso Vestibular. Serão oferecidas 60 vagas por ano que se destinarão aos candidatos classificados, os quais ingressam 30 no primeiro semestre letivo e 30 no segundo semestre, sendo 30% pelo sistema de reserva de vagas.

Tempo de integralização
10 semestres

Turnos de funcionamento
diurno

Local de funcionamento
Campus Centro e Campus do Vale

Coordenação do curso
A organização e planejamento do curso cabem à Comissão de Graduação de Engenharia de Produção (COMGRAD/ENGPROT).

Perfil do Egresso
O perfil desejado para o egresso do curso é o de uma formação científica e profissional que capacite o engenheiro de produção a identificar, prevenir e solucionar problemas ligados às atividades de projeto, operação, gestão e melhoria de sistemas de produção de bens e/ou serviços, considerando seus aspectos humanos, econômicos, sociais e ambientais, com visão ética.

Contexto Interdisciplinar
Contexto Interdisciplinar Engenharia de Produção

Áreas de atuação
O Engenheiro de Produção poderá trabalhar:
– utilizando ferramental matemático e estatístico para modelar sistemas de produção e auxiliar na tomada de decisões;
– planejando e gerenciando sistemas produtivos, sistemas de qualidade, assim como a saúde, segurança e organização do trabalho;
– utilizando indicadores de desempenho, sistemas de custeio, bem como avaliando a viabilidade econômica e financeira de projetos;
– prevendo e analisando requisitos de clientes, para gerenciar o desenvolvimento ou melhoria de produtos;
– acompanhando os avanços tecnológicos, organizando-os e colocando-os a serviço da demanda das empresas e da sociedade;
– prevendo a evolução dos cenários produtivos, estabelecendo estratégias empresariais que assegurem o desenvolvimento à longo prazo;
– gerenciando e otimizando o fluxo de informações nas empresas, utilizando tecnologias adequadas;
– compreendendo a inter-relação dos sistemas produtivos com o meio ambiente, gerenciando os aspectos associados à utilização de recursos e disposição final de resíduos e rejeitos, atentando para a exigência da sustentabilidade.

Engenharia de Controle e Automação

Currículo
Currículo do cruso de Engenharia de Controle e Automação

Projeto Pedagógico de Curso
PPC do curso de Engenharia de Controle e Automação

Histórico
O curso de Engenharia de Controle e Automação foi criado em 2007 pela Decisão 224 do CONSUN de 20/07/2007, tendo sido aberto o vestibular à primeira turma de ingressantes em 2008/1. A graduação do primeiro grupo de alunos está prevista para o semestre 2013/2.

Objetivos
O curso de Engenharia de Controle e Automação tem como objetivo a formação de um engenheiro com habilidades e competências para concepção e manutenção de sistemas de automação e controle de processos industriais, aplicação crítica de métodos e ferramentas de engenharia no projeto, integração e dimensionamento de dispositivos de controle automático e células automatizadas de produção, gerenciamento e execução de projetos de automação de processos industriais, bem como desenvolvimento de pesquisa científica e tecnológica, apto a atuar tanto em indústrias usuárias de tecnologias de automação industrial e sistemas de controle automáticos como de produção de equipamentos e software para automação industrial, e em empresas de prestação de serviços em engenharia.

Titulação
A titulação conferida é Bacharel em Engenharia de Controle e Automação.

Ingresso e vagas
O ingresso ao curso é feito via Concurso Vestibular. Serão oferecidas 33 vagas por ano que se destinarão aos candidatos classificados, os quais ingressam no primeiro semestre letivo, sendo 30% pelo sistema de reserva de vagas.

Tempo de integralização
10 semestres

Turnos de funcionamento
diurno

Local de funcionamento
Campus Centro e Campus do Vale

Coordenação do curso
O curso de Engenharia de Controle e Automação é compartilhado entre a o Departamento de Engenharia Elétrica e o Departamento de Engenharia Mecânica da UFRGS, dessa maneira a Comissão de Graduação do curso (COMGRAD/ENGCCA) é composta por membros de ambos os departamentos.

Perfil do Egresso
O engenheiro de controle e automação deverá ter uma sólida formação científica e profissional generalista que o capacite a identificar, formular e solucionar problemas relacionados às atividades de projeto, construção, operação e gerenciamento de sistemas de produção de bens e/ou serviços, considerando todos os aspectos relacionados com a sustentabilidade econômica, ambiental e social, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade.

Contexto Interdisciplinar
Contexto Interdisciplinar Engenharia de Controle e Automação

Áreas de atuação
O engenheiro de controle e automação poderá trabalhar:
– na análise e projeto de sistemas de automação nos setores industrial, comercial e de serviços;
– na integração, concepção, instalação, otimização operacional e manutenção de unidades de produção automatizadas;
– a especificação de componentes e dispositivos e no desenvolvimento de software para sistemas de automação e controle automático;
– na gestão de projetos e de recursos humanos;
– no desenvolvimento e adaptação de tecnologias para automação industrial;
– na pesquisa científica e tecnológica.

Engenharia de Energia

Histórico

O curso de Engenharia de Energia foi criado em 07 de Agosto de 2009 pela Decisão do Conselho Universitário 283/2009 tendo sido aberto o vestibular à primeira turma de ingressantes em 2010. A graduação do primeiro aluno ocorreu em 2015/1. Os departamentos de Engenharia Mecânica e de Sistemas Elétricos de Automação e Energia coordenam o Curso e são os principais responsáveis pela orientação acadêmica.

Objetivos
– Abordar problemas de energia de forma ampla e interdisciplinar;
– integrar os conhecimentos consolidados em diversas áreas da Engenharia de Energia em um único profissional;
– dar uma visão integrada dos problemas de Energia e suas aplicações;
– possibilitar a prospecção de alternativas energéticas e de planejamento energético.

Titulação
A titulação conferida é Bacharel em Engenharia de Energia.

Ingresso e vagas
O ingresso ao curso é feito via Concurso Vestibular. Serão oferecidas 30 vagas por ano que se destinarão aos candidatos classificados, os quais ingressam no primeiro semestre letivo, sendo 30% pelo sistema de reserva de vagas.

Tempo de integralização
10 semestres

Turnos de funcionamento
diurno

Local de funcionamento
Campus Centro e Campus do Vale

Perfil do Egresso
O engenheiro de Energia ocupa posições de destaque no cenário energético, com capacidade para:
– trabalhar em equipes multidisciplinares, possuindo larga base científica e capacidade de comunicação;
– criar, projetar e gerir intervenções tecnológicas;
– empreender na área de energia;
– avaliar os impactos sociais e ambientais.

Áreas de atuação
Os Engenheiros de Energia poderão:
– atuar em empresas de geração (conversão), transmissão, distribuição e uso de energia;
– projetar equipamentos e sistemas de conversão de energia;
– trabalhar na gestão de sistemas energéticos;
– trabalhar sobre a prospecção de alternativas energéticas e no planejamento energético, visando o desenvolvimento econômico sustentável, como foco na melhoria da qualidade de vida da população.

Informações do curso
As informações sobre o curso de Engenharia de Energia podem ser obtidas junto às secretarias dos departamentos envolvidos ou junto aos coordenadores do curso.

Projeto Pedagógico de Curso
PPC do curso de Engenharia de Energia

Resolução do Curso
Resolução do curso de Engenharia de Energia

Estágio obrigatório
Procedimento para realizar o Estágio Supervisionado Obrigatorio – Engenharia de Energia

Atividades complementares
Atividades complementares do curso de Engenharia de Energia

Trabalho de Conclusão de Curso
TCC do curso de Engenharia de Energia

Currículo
Currículo do curso de Engenharia de Energia

Núcleo Docente Estruturante (NDE) da Engenharia de Energia
NDE do curso de Engenharia de Energia

Diretório Acadêmico da Engenharia de Energia
Diretório Acadêmico do curso de Engenharia de Energia

Estágios abertos
Estágios abertos do curso de Engenharia de Energia

Engenharia Ambiental

Currículo
Currículo do curso de Engenharia Ambiental

Projeto Pedagógico de Curso
PPC do curso de Engenharia Ambiental

Histórico
O curso de Engenharia Ambiental foi criado em 2005 pela Decisão do CONSUN 122/2005 tendo sido aberto o vestibular à primeira turma de ingressantes em 2006/1. O curso conta com 30 vagas para ingresso via concurso vestibular, o ingresso dos calouros ocorre sempre no primeiro semestre de cada ano. A graduação do primeiro grupo de alunos está prevista para o semestre de 2010/2.

Objetivos
O curso de Engenharia Ambiental tem como objetivo a formação de profissionais para o desempenho da função técnica nas áreas de planejamento, projeto, supervisão, controle e gestão, apto a exercer seus conhecimentos tanto em empresas públicas como privadas. Transmitir ao engenheiro conhecimentos em ciências básicas, espírito de pesquisa, e capacidade para operar sistemas complexos. Deverá somar a isto, a compreensão dos problemas administrativos, econômicos e sociais e do meio ambiente, que o habilite a trabalhar em equipes multidisciplinares. Os profissionais egressos deverão ter a capacidade de aplicar conhecimentos científicos e técnicos para investigar, adaptar, implementar e operar sistemas de produção limpa, sistemas de mitigação, de recuperação e de monitoramento maximizarão o aproveitamento e preservação de recursos naturais, (hídricos, atmosféricos, biológicos, minerais etc.).

Titulação
A titulação conferida é Engenheiro(a) Ambiental.

Ingresso e vagas
O ingresso ao curso é feito via Concurso Vestibular. Serão oferecidas 30 vagas por ano que se destinarão aos candidatos classificados, os quais ingressam no primeiro semestre letivo, sendo 30% pelo sistema de reserva de vagas.

Tempo de integralização
10 semestres

Turnos de funcionamento
diurno

Local de funcionamento
Campus Centro e Campus do Vale

Coordenação do curso
O curso de Engenharia Ambiental é compartilhado entre a Escola de Engenharia e o Instituto de Pesquisas Hidráulicas da UFRGS, dessa maneira a Comissão de Graduação do curso; (COMGRAD/ENGAMB) é composta por membros de ambos os institutos/escolas.

Perfil do Egresso
O engenheiro ambientalista deverá ter uma sólida formação científica e profissional geral que o capacite a identificar, formular e solucionar problemas ligados às atividades de projeto, operação e gerenciamento do trabalho e de sistemas de produção de bens e/ou serviços, considerando seus aspectos humanos, econômicos, sociais e ambientais, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade.

Contexto Interdisciplinar
Contexto Interdisciplinar Engenharia Ambiental

Áreas de atuação
O engenheiro ambientalista poderá trabalhar:
– implementando e aprimorando processos produtivos e industriais, levando em consideração os aspectos ambientais e os impactos das comunidades envolvidas na relação com o meio ambiente;
– analisando a interrelação dos sistemas de produção com o meio ambiente, tanto no que se refere a utilização de recursos escassos quanto à disposição final de resíduos e rejeitos,
– atentando para a exigência de sustentabilidade;
– interferindo nos processos de desequilibro ambiental induzido, ou nos projetos de planejamento ambiental onde as informações são extremamente fragmentadas entre profissionais de diferentes áreas atuando na questão ambiental.

Engenharia de Computação

Site do curso
http://www.inf.ufrgs.br/ecp

Currículo
Currículo do curso de Engenharia de Computação

Projeto Pedagógico de Curso
PPC do curso de Engenharia de Computação

Histórico
O curso foi criado no dia 30 de abril de 1998 de acordo com decisão do Conselho Universitário da UFRGS. O Ministério da Educação reconheceu o curso por intermédio da Portaria nº 340 expedida em 23 de janeiro de 2004.
A primeira turma do curso iniciou suas atividades no 1º semestre de 1999, tendo a primeira turma se formado em 2003.

Objetivos
O Curso de Engenharia da Computação tem por objetivos:
Preparar profissionais para atuarem nas áreas em que os conhecimentos de eletrônica e computação são essenciais e complementares, como sistemas microprocessados, eletrônica embarcada, redes de comunicação de dados automação industrial.

Titulação
A titulação conferida é: Engenheiro(a) de Computação.

Ingresso e vagas
O ingresso ao curso é feito via Concurso Vestibular. Serão oferecidas 60 alunos por ano que se destinarão aos candidatos classificados, sendo 30 no primeiro semestre e 30 no segundo semestre, sendo 30% pelo sistema de reserva de vagas.

Tempo de integralização
10 semestres

Turnos de funcionamento
diurno

Local de funcionamento
Campus Centro e Campus do Vale

Coordenação do curso
O curso de Engenharia da Computação é compartilhado entre o Instituto de Informática e o Departamento de Engenharia Elétrica da UFRGS, dessa maneira a Comissão de Graduação do curso (COMGRAD/ECP) é composta por membros de ambos os institutos/departamentos.

Perfil do Egresso
O curso forma profissionais capacitados a atuarem em áreas tecnológicas que exigem o conhecimento combinado da Engenharia Elétrica e da Computação.
O aluno receberá formação sólida em Matemática e Física e nos fundamentos da Engenharia Elétrica e da Computação. Ele poderá especificar, projetar, configurar, instalar, testar e dar manutenção a todos os equipamentos que contenham partes de hardware e software, tanto aqueles de propósitos gerais (computadores, redes de computadores) como os voltados a aplicações específicas.

Contexto interdisciplinar
O curso prepara profissionais para atuarem nas áreas em que os conhecimentos de eletrônica e computação são essenciais e complementares.
De forma a garantir uma formação efetivamente combinada em Engenharia Elétrica e em Computação, o currículo do curso, além de cobrir os fundamentos de ambas as áreas, define cinco áreas de especialização de tal modo que, em todas elas, o aluno é obrigado a cursar disciplinas eletivas tanto do Departamento de Engenharia Elétrica como do Instituto de Informática.

Áreas de atuação
As principais áreas de atuação são:
– indústria eletro-eletrônica e de equipamentos informáticos.
– indústria de software.
– prestação de serviços no projeto, configuração, instalação e manutenção de equipamentos eletrônicos computacionais, de redes de computadores e de comunicação de dados e de sistemas de automação.
– empresas que necessitam instalação, operação e manutenção de redes de computadores, transmissão de dados, ou sistemas de automação comercial ou industrial.
O egresso pode atuar em empresas ou como profissional liberal.

Engenharia Física

Site do curso
http://engfis.if.ufrgs.br

Currículo
Currículo do curso de Engenharia Física

Projeto Pedagógico de Curso
PPC do curso de Engenharia Física

Histórico
O curso de Engenharia Física da UFRGS foi criado em 2009, através da Decisão 280 de 07/08/2009 do CONSUN. A primeira turma ingressou em 2010/1 e a graduação do primeiro grupo de alunos está prevista para 2014/2.

Objetivos
O curso de Engenharia Física tem como objetivos:
– formar profissionais com sólidos conhecimentos conceituais e práticos em Física, Matemática, métodos computacionais e competências de Engenharia;
– inovar em áreas como metrologia, instrumentação, tecnologia de vácuo, caracterização física de materiais, microfabricação, fotônica e semicondutores.

Titulação
A titulação conferida é Bacharel em Engenharia Física.

Ingresso e vagas
O ingresso ao curso é feito via Concurso Vestibular. Serão oferecidas 36 vagas por ano que se destinarão aos candidatos classificados, os quais ingressam no primeiro semestre letivo, sendo 30% pelo sistema de reserva de vagas.

Tempo de integralização
10 semestres

Turnos de funcionamento
diurno

Local de funcionamento
Campus Centro e Campus do Vale

Coordenação do curso
O curso de Engenharia Física é compartilhado entre a Escola de Engenharia e o Instituto de Física da UFRGS, dessa maneira a Comissão de Graduação do curso (COMGRAD/ENGFIS) é composta por membros de ambos os institutos/departamentos.

Perfil do Egresso
O engenheiro físico é um profissional que combina sólida formação científica com as competências da engenharia. É educado com forte embasamento em matemática e em física moderna. Recebe formação em instrumentação, técnicas de processamento e de caracterização de materiais, metrologia, aquisição, interpretação e análise de dados, além de métodos computacionais.

Contexto Interdisciplinar
Contexto Interdisciplinar Engenharia Física

Áreas de atuação
O engenheiro físico poderá atuar:
– nas áreas de metrologia, instrumentação, tecnologia de vácuo, caracterização física de materiais, microfabricação, fotônica e semicondutores, entre outras;
– em indústrias de informática, telecomunicações, energia, medicina diagnóstica, automação e nos setores aeroespacial e automotivo, entre muitos outros;
– em empresas, órgãos governamentais, institutos de pesquisa e instituições de ensino.

 

 

Atualizado em 18/04/2018.