Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química

O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química da Universidade Federal do Rio Grande do Sul tem a satisfação de convidar a Comunidade Universitária para assistir a defesa pública da dissertação de mestrado da Engenheira de Alimentos LETÍCIA GOUVEIA RIBEIRO a realizar-se:

Data: 15 de junho de 2018 – sexta-feira
Horário: 10h
Local: Sala 107 – FABICO – Prédio 22.201- Rua Ramiro Barcelos, 2.705 – Campus Saúde/UFRGS

TÍTULO: OTIMIZAÇÃO E ANÁLISE CINÉTICA DA EXTRAÇÃO ASSISTIDA POR MICRO-ONDAS DE ÓLEO ESSENCIAL DE FOLHAS DE EUCALIPTO (Eucalyptus Urophylla X Globulus)

 

BANCA:

Profa. Dra. Daiana de Souza – ENGENHARIA DE ALIMENTOS/UNISINOS
Profa. Dra. Débora Jung Luvizetto Faccin – DEQUI/UFRGS
Prof. Dr. Marcio Schwaab – DEQUI/UFRGS

Orientador:  Profa. Dra. Ligia Damasceno Ferreira Marczak – DEQUI/UFRGS

RESUMO

A celulose das árvores do gênero Eucalyptus é um dos principais elementos de interesse econômico desse vegetal. Suas folhas, apesar de conter óleo essencial (OE), caracterizam-se como um subproduto da indústria de processamento de papel e celulose. Assim, pesquisas com relação à recuperação dessa biomassa tornam-se importantes, principalmente, do ponto de vista ambiental. Tradicionalmente, a extração de OEs ocorre pelo processo de hidrodestilação (HD), o qual necessita de longos tempos de extração. Visando superar essa restrição, a tecnologia de extração assistida por micro-ondas (Microwave Assisted Extraction – MAE) vem sendo desenvolvida e aplicada. O objetivo principal deste estudo foi avaliar o processo de extração de OE de folhas de eucalipto, empregando os métodos de extração HD e MAE. Para esse processo em escala de bancada, desenvolveu-se um aparato de extração por meio da adaptação de um forno micro-ondas doméstico. Inicialmente, analisou-se o rendimento de OE das matrizes de subprodutos de folhas de eucalipto das espécies Eucalyptus salignaE. urohpylla e E. urophylla x globulus geradas a partir de uma indústria de celulose. Os resultados apontaram que a espécie E. urophylla x globulusapresentou maior teor de OE (2,16±0,02%), sendo a espécie escolhida para a aplicação da tecnologia MAE. Na segunda etapa do estudo, fez-se uma análise de otimização do processo MAE pelo método de superfície de resposta, o qual avaliou o efeito das variáveis razão sólido:solvente (1:1; 1:1,5 e 1:2), potência do micro-ondas (680, 850 e 1.020 W) e tempo de extração total (20, 40, 60 min.) no rendimento de OE. Desse modo, as condições ideais do processo foram determinadas como: razão sólido:solvente de 1:2, potência de 680 W e tempo de extração total de 60 minutos. Para essas condições, realizou-se o estudo cinético e modelagem matemática com a avaliação dos modelos de primeira ordem, segunda ordem, Peleg e Patricelli. No estudo cinético, o tempo total do processo MAE para a obtenção do rendimento de 1,8±0,1% foi apenas 60 minutos, valor 57% inferior ao observado no método HD para igual rendimento (140 minutos). Dentre os modelos cinéticos estudados, o modelo de Patricelli foi o que apresentou melhor ajuste aos dados experimentais da extração HD (R² igual 0,9904 e RMSE igual 0,0016) e da extração MAE (R² igual 0,9962 e RMSE igual 0,0006). Por fim, as análises energéticas e de impacto ambiental também indicaram o método MAE como uma tecnologia mais ambientalmente amigável do que a HD, tornando-se atrativa para o setor industrial. Com base nos resultados obtidos, pode-se concluir que a extração de OE da matriz estudada proporcionou a reutilização de um subproduto industrial, sugerindo uma alternativa de exploração e agregando valor ao mesmo.

Palavras-chave:   eucalipto, óleo essencial, hidrodestilação, extração assistida por micro-ondas, otimização, modelos cinéticos.