Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química

O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química da Universidade Federal do Rio Grande do Sul tem a satisfação de convidar a Comunidade Universitária para assistir a defesa pública da tese de doutorado do Mestre em Engenheira Química WAGNER FERNANDO FUCK a realizar-se:

Data: 30 de outubro de 2018 – terça-feira
Horário: 09h30
Local: Sala de Reuniões – 1º andar – Prédio 12.105 – Anexo III/Reitoria – Engenharia Química

              Campus Centro/UFRGS

TÍTULO: SELEÇÃO DE CORANTES NATURAIS DE FUNGOS FILAMENTOSOS E TINGIMENTO DE COURO COM EXTRATO DE MONASCUS PURPUREUS

BANCA:

Prof. Dr. Carlos Rodolfo Wolf – TANAC
Profa. Dra. Caroline Borges Agustini – Pesquisadora DEQUI/UFRGS
Profa. Dra. Gertrudes Corção – ICBS/UFRGS

Orientador:       Profa. Dra. Mariliz Gutterres Soares – DEQUI/UFRGS



Co-Orientador:  Prof. Dr. Adriano Brandelli – ICTA/UFRGS



                                                           

RESUMO

A indústria do couro é de grande importância para o desenvolvimento econômico e social no Brasil, especialmente no estado do Rio Grande do Sul devido à vasta cadeia produtiva. A crescente importância dos conceitos ambientais e da consciência dos consumidores perante aos produtos utilizados durante a transformação da pele em artigo final está exigindo uma nova postura das indústrias. Assim, o setor coureiro e calçadista sofre contínuas mudanças a fim de adaptar-se às necessidades e exigências do mercado. No tingimento de couro são geralmente utilizados corantes sintéticos de origem petroquímica e, alguns podem apresentar efeitos tóxicos ao homem e ao meio ambiente. Os objetivos deste trabalho são explorar novas fontes de corantes naturais, seus aspectos técnicos e produtividade; aplicação dos biocorantes no tingimento de couro, comparando com as características exigidas pelo mercado consumidor; apresentar o estado da arte de pesquisas referentes a aplicações de corantes naturais fúngicos e contribuir com inovação tecnológica para o setor coureiro. Para tanto, fungos filamentosos apresentam-se como uma alternativa promissora para produção de corantes. Neste trabalho, inicialmente, foi procedido um screening de fungos filamentosos que sintetizam corantes como metabólitos secundários, selecionando as cepas de Aspergillus niger IFL5Penicillium chrysogenum IFL1Penicillium hergueiPenicillium vasconiae IFL4Monascus purpureus NRRL1992Fusarium oxysporium e Fusarium graminearum, LPM 1473 e LPM 1504 relacionando as cores produzidas com a potencial aplicação em couro. Estas cepas foram repicadas, incubadas em cultivo submerso com meio batata dextrose durante duas a cinco semanas, extraídas por filtração e concentradas em rotaevaporador a vácuo. A caracterização da produção e dos extratos dos corantes pelos fungos foi analisada por FTIR, espectro de varredura, valores de biomassa e densidade óptica. O Monascus purpureus foi aplicado no tingimento de couro e as propriedades químicas e físicas do couro tingido foram analisadas. Este corante foi eficiente no tingimento do couro, apresentando bom poder de cobertura, penetração e esgotamento no banho (acima de 70% de aproveitamento do corante usado), boas propriedades de resistência ao calor e à migração e não provocou contaminação fúngica na amostra. No entanto, apresentou baixa resistência à luz ultravioleta. A melhor condição adotada para tingimento de couro, que resultou em absorção de 72% de corante, foi com uma etapa de adição de biocorante de M. purpureus a temperatura ambiente, com ajuste de pH de desacidulação em 5,0, com fixação com ácido fórmico e com uso de auxiliar de tingimento. A maior produtividade de formação do biocorante é no quinto dia para o cultivo de M. purpureus (0,10±0,0013) Abs/dia, seguido por A. niger (0,048±0,00029) Abs/dia e P. herguei (0,031±0,00067) no décimo oitavo dia. A hidrólise ácida do resíduo de pelo bovino demonstrou ser um procedimento simples e eficiente para preparação de substrato para cultivo submerso de M. purpureus, sendo uma promissora oportunidade de valorização de subproduto da indústria coureira e potencial alternativa para redução do custo de produção de biocorante.