Notícias

EpiNews

Avaliação qualitativa de riscos para priorização de perigos biológicos à saúde pública na cadeia de produção de suínos



Ação desenvolvida no âmbito do Projeto da Embrapa intitulado "Revisão e modernização dos procedimentos de inspeção ante e post mortem aplicados em abatedouros frigoríficos de suínos com Inspeção Federal".

A suinocultura brasileira vem passando por constantes mudanças na produção primária, de forma que as granjas aderem a práticas de biosseguridade adequadas para a mitigação de riscos para as zoonoses clássicas. Entretanto, apesar das evoluções, o sistema de inspeção de carcaças no Brasil ainda se baseia em exames físicos, como incisões e palpações no intuito de verificar lesões macroscópicas típicas de infestações parasitárias e zoonoses clássicas. Assim, as técnicas utilizadas pelo serviço de inspeção podem não estar adequadas à realidade epide-miológica, sendo necessária a priorização de perigos com base em risco para direcionar a reestruturação do sistema de inspeção de carcaças.

Desta forma, este relatório tem por objetivo utilizar uma metodologia de avaliação qualitativa de riscos para responder a questão: “quais os perigos à saúde pública mais relevantes na suinocultura intensiva brasilei-ra?” Com isso, os riscos de diferentes perigos biológicos à saúde pública por meio de consumo de carne suína e derivados foram estimados, servindo de base para a priorização de perigos na referida atividade.

O modelo de avaliação de riscos utilizado é uma adaptação do modelo proposto pelo Codex Alimentariuse foi composto das seguintes etapas: 

I) Identificação de perigos
II) Avaliação de exposição 
III) Caracterização dos perigos
IV) Caracterização dos riscos

Dos 124 perigos identificados, 24 foram considerados relevantes para a avaliação de riscos, sendo 67% bacterianos, 21% parasitários e 12% virais ou toxinas. De acordo com a caracterização dos riscos, para produtos in natura apenas Salmonella sp. foi avaliada no nível alto. Em produtos processados cozidos, a Ocratoxina A (OTA) e Clostridium perfringens tiveram nível de risco alto e Salmonella sp. foi caracterizada com nível moderado. Quando modelado o cenário de produtos fermentados, Salmonella sp. continua com o nível de risco alto com o aumento de nível de risco para moderado em relação a Staphylococcus sp., Escherichia sp., Clostridium perfringens e Campylobacter coli.

O trabalho completo pode ser obtido no link abaixo.

Link:/www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/1082710

Voltar