Mestrado Profissional

O Mestrado Profissional em Administração é um curso voltado especialmente para profissionais que ocupam lugar de destaque em organizações públicas e privadas.

Totalmente desenvolvido a partir das profundas mudanças que vêm acontecendo no ambiente econômico, político e social, confere titulação de Mestre em Administração, Modalidade Profissional.

Entre os diferenciais que tornam o Mestrado Profissional em Administração a opção mais atual em formação pós-graduada no campo da Administração, destacam-se:

- A ênfase na transformação da aprendizagem individual em aprendizagem organizacional, tornando mais efetivo o repasse dos conhecimentos adquiridos para a organização de origem;
- O desenvolvimento da criatividade aplicada a situações gerenciais como diferencial de soluções;
- O uso de métodos e tecnologia para obter informações objetivas e atualizadas do ambiente e da organização, tornando mais efetivo o processo decisório.

Objetivos

As mudanças no ambiente econômico, social e político das organizações requerem profissionais executivos que sejam capazes de buscar qualidade e eficiência na prestação de serviços e na elaboração de novos produtos. Neste ambiente em constante evolução, não somente o aprendizado contínuo dos executivos e das organizações é imprescindível, mas o desenvolvimento de competências executivas para a resolução de problemas e, principalmente, o desenvolvimento de novas soluções ímpares são condição sine qua non.

Sensível a esta problemática e em consonância com os propósitos da Escola de Administração da UFRGS, o PPGA desenvolveu um Curso de Mestrado em Administração voltado especificamente para os chamados profissionais do mercado, ou seja, gestores e executivos de organizações públicas e privadas.
O Mestrado Profissional do PPGA visa desenvolver e ampliar a perspectiva gerencial dos executivos, buscando prepará-los para o desenvolvimento de habilidades, com foco nas organizações de aprendizado contínuo e para a inserção destas organizações no mercado global, realidade que os executivos enfrentam ou virão a enfrentar.

 Objetivos Específicos

  • Ampliar o repertório de respostas nas atividades executivas e gerenciais, pelo emprego de princípios e métodos de gestão contemporâneos;
  • Qualificar recursos humanos para o exercício, em padrões de excelência, das funções executivas nos quadros superiores das organizações, incentivando o desenvolvimento de uma visão integradora e de uma atitude proativa na busca de novos conhecimentos;
  • Instrumentalizar o aluno para o uso de métodos de pesquisa e para o uso de tecnologia de informação na gestão de atividades e de projetos;
  • Oferecer capacitação multidisciplinar para ampliar a perspectiva gerencial.

Estrutura

A fim de concretizar estes objetivos, o Mestrado Profissional em Administração é estruturado em torno de conhecimentos relativos ao meio ambiente, à inovação e ao comportamento organizacional, às principais funções administrativas, à instrumentação analítica e de tecnologia de informação e conhecimentos relativos à gestão de negócios globais. Destacam-se as disciplinas que contemplam temas atuais em administração sob um enfoque conceitual-prático, as disciplinas que enfocam o comportamento organizacional, e as disciplinas instrumentais que compreendem métodos de pesquisa e de análise, além da tecnologia de informação.

É num contexto de mudanças e reconfigurações que os gestores atuam. É ali que analisam situações, recuperam experiências e conhecimentos (de si próprios e de outros), avaliam alternativas e tomam decisões. Eles devem dispor, nesses casos, de um acervo de informações cada vez maior, responsabilidades mais amplas, tudo isso em prazos para tomada de decisões progressivamente menores.

Num ambiente de negócios tão complexo, a noção de competência, especialmente a competência gerencial, passa a ter uma dimensão mais ampla e abrangente envolvendo pelo menos três grandes eixos de desenvolvimento:
- conhecimentos (saber),
- habilidades (saber fazer) e
- atitudes (saber agir).

No entanto, um programa de formação sustentado em métodos de difusão de conhecimentos e informações, embora indispensáveis, não é suficiente para gerar competências. Mudanças na maneira de agir implicam, em geral, na internalização de novos conceitos e métodos. É isto que se chama de formação. Trata-se de um aprendizado transversal, isto é, um aprendizado que perpassa os trabalhos realizados em praticamente todas as disciplinas. Por essa razão, são chamadas de competências transversais. Depoimentos de executivos em formação no PPGA ressaltam estas constatações. Por exemplo, as competências transversais permitem atuar com mais segurança e confiança em ambientes mais complexos, interdisciplinares e/ou multinacionais, o que de certa forma amplia a capacidade de relacionar cenários, perspectivas, situações e variáveis de origens e natureza diferentes. Segundo eles, a partir de atividades em grupo, na classe ou fora dela, assim como em atividades de leitura, debate e reflexão, o que têm oportunizado o desenvolvimento das seguintes competências:

- Capacidade de atuar em equipe;
- Desenvolvimento da capacidade de investigação e pesquisa;
- Desenvolvimento da capacidade de elaboração de propostas e de novas idéias;
- Capacidade de relacionar e associar;
- Capacidade de atuar em interdisciplinaridade,
- Capacidade de análise e avaliação de situações vivenciadas em empresas;
- Habilidades na aplicação de metodologias – científicas e operacionais;
- Habilidades na busca de informações e conteúdos de interesse da organização;
- Troca de experiências entre gestores de empresas e áreas diferentes;
- Ampliação de horizontes.

Assim, buscar o desenvolvimento da competência a partir dessa noção ampliada (transversal) e adaptada aos novos tempos, implica em conceber processos que, por sua dinâmica e flexibilidade, incorporem deferentes contextos de aprendizagem. Um programa de formação adequado aos novos tempos deve compreender alternativas de aprendizagem como as consideradas abaixo:
a- Processos de assimilação de novos conhecimentos – através de aulas expositivas, leituras orientadas, seminários, debates, etc.;
b-Desenvolvimento de práticas, simulações, jogos de empresas que desenvolvam o campo:
da habilitação: negociação, comunicação, liderança de grupos e equipes, práticas de controle e auditoria, etc.
da atitude: iniciativa, pro-atividade, disponibilidade para ouvir, disponibilidade para as diferenças, criatividade, inovação, etc.
c-Atividade supervisionada e monitorada de aplicação, com base na realidade da organização e nas práticas diárias de trabalho, dos conhecimentos, habilidades e atitudes, desenvolvidos durante a realização do programa de formação, que culminarão na realização do Trabalho Final do Curso.

Certamente, as instituições que promovem esse tipo de programa não podem abrir mão de buscar a renovação e o redimensionamento das perspectivas dos alunos acerca do mundo dos negócios. Paradoxalmente, essa revisão deve buscar elementos em processos tipicamente acadêmico, como por exemplo, leitura, reflexão e análise crítica – individual e em grupo- de textos e documentos. Processos de reflexão como esses consolidam-se com a elaboração por escrito da própria visão dos alunos acerca dos temas tratados com a interação entre os participantes através de dinâmicas de grupo e outros.

Trabalho Individual Final
O aluno deverá elaborar e aprovar seu trabalho individual de pesquisa, que poderá ser estruturado sob a forma de um estudo de caso, uma dissertação-projeto ou uma pesquisa do tipo “survey”. O trabalho deve, preferencialmente, ser voltado para problemas relevantes da sua organização, estando estreitamente vinculado aos conteúdos desenvolvidos durante o curso de mestrado. O aluno deverá demonstrar um bom domínio do objeto de estudo, tanto do ponto de vista metodológico como do ponto de vista de conteúdo. Cada aluno receberá uma orientação específica do professor orientador especialmente designado para tal.

Requisitos para Titulação
Será concedido o título de Mestre em Administração, modalidade Profissional, ao aluno que:
a) obtiver aprovação nas disciplinas (num total de 28 créditos) com índice geral de aproveitamento (I.G.A.) igual ou superior a 2 (dois);
b) tiver aprovado proposta de Trabalho Final, dentro dos prazos regimentais;
c) demonstrar, antes do depósito do Trabalho Final na Secretaria, proficiência em língua inglesa;
d) elaborar, defender e ter aprovado o trabalho final de Mestrado Profissional que demonstre domínio do objeto de estudo e obter a sua aprovação final com Índice de Aproveitamento do Trabalho Final (IATF) igual ou superior a 1, e com nenhum conceito “D” atribuído, individualmente, pelos examinadores.