Você está aqui: Página Inicial Projeto Pedagógico Síntese do Projeto Pedagógico do Curso

Síntese do Projeto Pedagógico do Curso

por CELIA ELIZABETE CAREGNATO última modificação 05/08/2014 12:51

cabeçalho

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO PARA A DIVERSIDADE

CAPES/ UAB e UFRGS/ FACED/ SEAD

e-mail: diversidadeufrgs@gmail.com

site: http://www.ufrgs.br/especializacaodiversidadeufrgs

 

PROJETO PEDAGÓGICO RESUMIDO

O Curso de Especialização em Educação para a Diversidade, na modalidade de educação à distância, tem como público alvo professores de escola pública, atuando como docente, gestor, ou ainda, funcionário. Exige-se formação mínima de graduação, disponibilidade para dedicar-se ao curso, estar disposto a compartilhar o curso com o coletivo da escola, e disposição para construir projeto de trabalho que vise enfrentar problemas de preconceitos, discriminação e conflitos afins junto à comunidade escolar onde atua.

Este curso tem origem na experiência anterior de desenvolvimento de um Curso de Aperfeiçoamento em Educação para a Diversidade (180h) ocorrida também na modalidade de EAD. A experiência acumulada com a produção de material, execução do curso, bem como montagem de infraestrutura, além dos resultados constatados, permite que elaboremos a proposta aqui apresentada.

Os cursistas serão selecionados através da manifestação de interesse pelo curso, respondendo ao Edital CED/EAD/UFRGS 02/2012 e pela análise de currículo. As avaliações compreenderão trabalhos realizados em cada disciplina e apresentação de uma monografia ao final do curso. Para a efetiva conclusão do curso, é necessário que o cursista tenha participação mínima de 75% nas atividades.

A proposta do Curso de Especialização em Educação para a Diversidade parte do suposto de que a formação de professores e profissionais da educação precisa ser continuada e parte também da ideia de que os temas da diversidade cultural constituem-se em indispensável objeto de estudo e de trabalho pedagógico entre profissionais em serviço nas escolas. A educação escolar é atividade básica para a formação de pessoas, visando não só o seu desenvolvimento intelectual, mas necessita ser trabalhada na perspectiva da vida em sociedade e no aprimoramento das relações socioculturais.

Objetivamos criar condições para a especialização do professor em sua atividade profissional, com vistas à incorporação de valores culturais da contemporaneidade compatíveis com o exercício da democracia política, cultural e social, a qual vem sendo aprimorada no atual período histórico, porém ainda carecendo de maior atenção, em especial, no ambiente escolar. Trabalhamos com a compreensão e convicção de que é fundamental enfrentar problemas sociais, políticos e culturais da sociedade contemporânea por meio da atuação estratégica da instituição escola. Efetivamente, não será a escola o único meio para obterem-se avanços nos campos citados; entretanto, ela é uma instituição chave para enfrentar problemas e entraves à inclusão e à democracia. A escola tem a responsabilidade de dar acesso a temas e abordagens contemporâneas frente a relações preconceituosas e discriminatórias desenvolvidas historicamente junto às populações que as frequentam e junto àqueles públicos que ingressam recentemente de forma sistemática no ambiente escolar.

A proposta pedagógica tem como sustentação teórico-epistemológica o aporte das áreas de sociologia, antropologia e educação e também conta com a colaboração das áreas de filosofia e história, a fim de dar conta da complexidade que se insere no tema da diversidade. Portanto, tratamos do tema ‘diversidade cultural’ a partir de um corpo docente heterogêneo, mas integrado em torno do propósito de desnaturalização das relações sociais e educacionais na escola, numa perspectiva que contribua para o questionamento dessas relações e para o autoquestionamento, visando à construção de relações educativas na relação entre culturas ou modos de ser e se comportar, voltadas para a valorização dos espaços públicos e de convivência pública entre pessoas – incluindo todos os sujeitos da educação escolar - com os valores e comportamentos típicos de seres sociais diferentes.

 

A diferença é antes de tudo uma realidade concreta, um processo humano e social, que os homens empregam em suas práticas cotidianas e encontra-se inserida no processo histórico [...] Constatada em determinado momento e sociedade, qualquer diferença é, ao mesmo tempo, um resultado e uma condição transitória. Resultado, se consideramos o passado e privilegiamos o processo que resultou em diferença. Mas ela é igualmente um estado transitório, se privilegiamos a continuidade da dinâmica, que vai necessariamente alterar este estado no sentido de uma configuração posterior. (SEMPRINI, 1999, p.11).

Os professores da educação básica nem sempre tiveram acesso à formação, atualização e especialização que colocasse temas contemporâneos sob discussão, a fim de compreendê-los e de contribuir, assim, para uma atuação pedagógica capaz de colocar em questão discriminações de natureza social, étnica, de gênero, de orientação sexual, de origem regional, entre outras. É necessário introduzir os temas da diversidade cultural na prática pedagógica para enfrentar preconceitos que estão arraigados na sociedade e na escola. Os professores da escola básica precisam conhecer ou aprofundar conhecimentos para assegurar aos estudantes e às suas famílias o direito ao conhecimento sobre valores duramente afirmados a partir da organização de movimentos sociais, cujas ações repercutiram na contemporaneidade.

Cabe considerar que o tema da diversidade não constitui um conceito exaustivamente discutido no meio acadêmico. É muito mais uma categoria que vai sendo entendida e interpretada a partir de outros conceitos. Essa categoria, entretanto não substitui a noção de desigualdade. Em outras palavras, não é possível analisar o fenômeno da diversidade, sua presença e as relações complexas que encerra em si, se não considerarmos a sua relação com o tema da desigualdade e com as relações de poder inerentes. Diversidade, identidades, desigualdade e relações de poder andam juntas. As palavras de Cuche sintetizam a ideia de que o que é diverso socialmente é submetido ou submete, muitas vezes. Assim, cabe para a ideia de diversidade a afirmação de que “... a identidade é então um jogo de lutas sociais. Nem todos os grupos têm o mesmo ‘poder de identificação’, pois esse poder depende da posição que se ocupa no sistema de relações que liga os grupos. Nem todos os grupos têm o poder de nomear e de se nomear”. (CUCHE, 2002, p.186). A proposta pedagógica do curso considerará em todas as suas etapas essa relação e suas implicações.

Outro elemento importante dessa proposta é o fato de ser um curso ministrado à distância, o que proporciona maior possibilidade de participação de professores atuantes, permite chegar a regiões distantes e atende simultaneamente um número importante de cursistas (400), além de propiciar o aprendizado, pelos professores da Educação Básica, do uso de Ambiente Virtual de Aprendizagem, instrumento que poderá estimular novos conhecimentos dos cursistas nesse campo.

O curso propõe metodologia fundamentada no método de desenvolvimento de um percurso de aprendizagem. Este percurso se inicia com um diagnóstico da realidade onde os cursistas vivem, seguido de aprofundamento teórico-conceitual pertinente à diversidade na escola. As atividades contam com registros em Caderno de Campo, para que os elementos da realidade escolar sejam a base que permitam a elaboração de Projetos Sociais no decorrer do curso. Finalizando, essas atividades realizadas fornecem a base para a elaboração do trabalho de final de curso na forma de Monografia.

Objetivos do curso:

Objetivo geral: proporcionar aos cursistas (professores em serviço) oportunidades para a ampliação da análise e atuação diante de temas e problemas originados da complexidade, da diversidade e das contradições inerentes às relações sociais na escola, visando à afirmação do espaço escolar como lugar público e de convivência entre diferentes.

Objetivos específicos:

- colaborar para o enfrentamento de relações sociais preconceituosas e discriminatórias, visando à melhoria dos processos e dos índices de desempenho escolar junto às políticas estatais de avaliação;

- proporcionar elementos com vistas à incorporação de valores culturais da contemporaneidade compatíveis com o exercício da democracia política, cultural e social;

- instrumentalizar professores da Educação Básica para enfrentar relações sociais complexas que se apresentam no cotidiano escolar;

- contribuir para o desenvolvimento da educação continuada de professores em atividade profissional;

- propiciar oportunidades para o exercício de práticas inovadoras nos processos de planejamento, execução e avaliação escolar.

A equipe de professores que compõe o Curso é formada por docentes do quadro de concursados e com atividades de pesquisa em torno dos temas que trabalharão no curso, os quais contam com doutorandos para colaborar na execução do ensino. Entre os professores o título maior é quase na totalidade o de Doutor em Educação com formações anteriores, em geral, nas áreas de Ciências Humanas e Sociais. Há, entre os docentes desse curso, aqueles que são pesquisadores sobre os temas dos povos indígenas, etnia afrodescendente, questões de gênero e sexualidade, estudos etnográficos da escola, questões ambientais, direitos humanos e também questões referentes ao ordenamento jurídico que trata dos temas acima citados.

Porto Alegre, outubro de 2012.