LISTA DE ESPÉCIES DE RÉPTEIS DO RIO GRANDE DO SUL

 

 

Oxyrhopus rhombifer Duméril, Bibron & Duméril, 1854

Falsa-coral

 

Fonte: As informações abaixo apresentadas seguem basicamente a compilação apresentada em Borges-Martins et al. (2007).

 

Serpente de porte mediano, atingindo cerca de 1000 mm de comprimento total, do qual 15 a 25 % corresponde à cauda. Fêmeas atingem maior comprimento que machos (Maschio, 2003). Ocorre no Brasil, desde o sul do Rio Amazonas até o Rio Grande do Sul, Argentina e Uruguai (Peters & Orejas-Miranda, 1970). Possui hábito terrícola, ocupando áreas abertas ou matas limítrofes com áreas abertas, e atividade principalmente noturna (Miranda et al., 1983, Silva & Lema, 1983, Giraudo, 2001). Segundo Maschio (2003), alimenta-se de lagartos e roedores e ocorre variação ontogenética na composição da dieta; indivíduos pequenos (CRC < 350 mm) alimentam-se de lagartos e indivíduos grandes (CRC > 470 mm) alimentam-se de roedores. A reprodução é sazonal, havendo registros de acasalamentos em agosto e novembro, desovas entre dezembro e janeiro e nascimentos entre fevereiro e abril (Maschio, 2003). É ovípara, tendo sido registradas desova composta por dois a 16 ovos (Maschio, 2003). Devido à coloração vermelha, preta e amarela, esta espécie é freqüentemente confundida com a coral-verdadeira (Micrurus altirostris), porém se diferencia-se desta por não apresentar padrão anelado e possuir o ventre claro. Embora a espécie seja opistóglifa, e conseqüentemente possua capacidade para inocular a peçonha, não há registros de acidentes graves. A espécie é bastante dócil, utilizando descargas cloacais como comportamento defensivo.

 

Foto: Márcio Borges-Martins

 

 

Como citar este texto:

BORGES-MARTINS, M.; ALVES, M.L.M.; ARAUJO, M.L. de; OLIVEIRA, R.B. de & ANÉS, A.C. 2007. Répteis p. 292-315. In: BECKER, F.G.; R.A. RAMOS & L.A. MOURA (orgs.) Biodiversidade: Regiões da Lagoa do Casamento e dos Butiazais de Tapes, Planície Costeira do Rio Grande do Sul. Ministério do Meio Ambiente, Brasília. 385 p.

 

Referências bibliográficas deste texto:

Giraudo, A. 2001. Serpientes de la Selva Paranaense y del Chaco Húmedo. Buenos Aires, L. O. L. A. 328 p.

Lema, T. 1994. Lista comentada dos répteis ocorrentes no Rio Grande do Sul, Brasil. Comun. Mus. Ciênc. PUCRS, Sér. Zool., 7:41-150.

Maschio, G. F. 2003. Dieta e reprodução da falsa-coral, Oxyrhopus rhombifer rhombifer (Serpentes, Colubridae) no sul do Brasil. Dissertação de Mestrado, Instituto de Biociências, PUCRS. Porto Alegre, RS. 31 p.

Peters, J. A. & Orejas-Miranda, B. 1970. Catalogue of the Neotropical Squamata. Part 1, Snakes. US Nat. Mus. Bull., 297:1-347.

 

Outras informações sobre esta espécie podem ser encontradas em:

(Observação: as informações contidas nos links abaixo listados são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores).

Para outras informações sobre esta espécie, acesse The Reptile Database.

 

 

Início | Notícias | Equipe | Projetos | Publicações | Informações sobre Anfíbios e Répteis

Links | Dúvidas, Comentários e Sugestões | Como citar | Política de uso | Autores e Colaboradores | Contato

 

 

Laboratório de Herpetologia

Departamento de Zoologia, Instituto de Biociências

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Av. Bento Gonçalves 9500, Agronomia, 91501-970 - Porto Alegre, RS - Brasil

Fone: +55 51 3308.7738 / 3308.7717

 

Página melhor visualizada na resolução 1280 x 800 pixels.