Instituto de Geociências UFRGS 

Missão

A missão do IGEO UFRGS é a excelência nas atividades de educação superior no que tange os campos da Geologia, Geografia e Engenharia Cartográfica, promovendo a qualidade do conhecimento geocientífico nas esferas do ensino, pesquisa avançada e extensão com sua comunidade.

Visão

A visão do IGEO UFRGS é formar profissionais capacitados a difundir as Geociências com consciência ética para o desenvolvimento humano e tecnológico na área das Ciências Exatas e da Terra.

Valores

Qualidade e excelência no Ensino Superior

Valorização e respeito a sua comunidade

Promoção de pesquisa avançada

Difusão da extensão universitária

Comprometimento humano e ético

 


O Nascimento do Instituto de Geociências

Com o crescimento industrial e econômico na década de 1950, firmado pela campanha Governamental “O Petróleo é Nosso”, o País sentiu a necessidade de formar profissionais geólogos capacitados para atender a demanda apresentada pelo avanço do desenvolvimento social e tecnológico[1].

Nesse sentido, em 1957 o Ministério da Educação instituiu a Campanha de Formação de Geólogos (CAGE), com o objetivo de formar profissionais de Geologia para executar as atividades inerentes à área e de exploração petrolífera.

O curso de Geologia do Instituto de Geociências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (IGeo/UFRGS), foi um dos quatro cursos que iniciaram suas atividades de ensino no País. Devido ao seu desempenho tanto no ensino quanto na pesquisa, dois anos depois de sua criação o curso foi transformado pela CAGE, na primeira Escola de Geologia do País. Com a extinção da CAGE em 1965, a Escola de Geologia foi oficialmente incorporada à UFRGS.

Em 1970, com a implantação da reforma universitária do ensino, através da Lei nº 5.540/68[2], a Escola de Geologia foi extinta. Foi então criada uma nova unidade de ensino, o Instituto de Geociências (IGeo/UFRGS), abrigando os cursos de graduação de Geologia e Geografia.

Com o objetivo de promover o ensino e a pesquisa em nível avançado, em 1969 foi criado o curso de Pós-Graduação em Geociências, atendendo ao Mestrado e Doutorado. Em 1973, recebe o credenciamento do Conselho Nacional de Pesquisas (CNPq) como Centro de Excelência.

Além do curso de Geologia o IGeo/UFRGS provê os cursos de graduação em Geografia e Engenharia Cartográfica. O primeiro tem como finalidade graduar bacharéis e licenciados naquele ramo do conhecimento, além de promover pesquisas na área geográfica. O segundo, curso de Engenharia Cartográfica, possui características multidisciplinares com atuação nas áreas de Geodésia, Cartografia, Sensoriamento Remoto e Fotogrametria, buscando atender esse segmento profissional no sul do País. Em 1998, a Instituição implementa o curso de Pós-Graduação em Geografia, contemplando os níveis de Mestrado e Doutorado.

O IGEO/UFRGS dedica-se as atividades de ensino, pesquisa e extensão na área de Ciências da Terra, através dos campos da Geologia, Geografia e Engenharia Cartográfica. Para atingir suas finalidades o IGeo/UFRGS estrutura-se em cinco departamentos dedicados ao ensino de graduação (Geografia, Geologia, Mineralogia e Petrologia, Paleontologia e Estratigrafia e Geodésia), dois programas de pós-graduação (Geografia e Geologia) e quatro órgãos auxiliares, voltados basicamente à pesquisa e ao ensino de pós-graduação (Centro de Estudos Costeiros (CECO), Centro de Investigação do Gondwana[3] (CIGO), Centro de Pesquisas em Geoquímica (CPGq) e Centro de Pesquisas Climáticas (CPC), três museus (Museu de Topografia, Museu de Mineralogia e Museu de Paleontologia), Biblioteca, laboratórios, e setores de apoio administrativos. Atua em projetos de extensão, envolvendo principalmente a realização de cursos, seminários e palestras e na prestação de serviços através de análises laboratoriais, emissão de pareceres e consultoria em geral, levantamentos fotogramétricos e de imagens orbitais, entre outros a órgãos públicos, privados e à comunidade em geral.

Desde sua implantação em 1957, a Instituição tem mantido expressiva contribuição na formação de novos geólogos para o País e, principalmente, no desenvolvimento de novos conhecimentos nas diferentes áreas das Geociências. Ao longo desses anos, a pesquisa científica e sua divulgação é incentivada por todas as administrações do IGEO/UFRGS e sempre houve preocupação, também, em estabelecer parcerias com organizações nacionais e internacionais, propiciando maior inserção social do Instituto.


[1] Como um dos pioneiros do país, a Geologia na então Universidade do Rio Grande do Sul, configurou-se e ainda configura-se, na forma do Instituto de Geociências, num dos principais centros formadores de recursos humanos e de pesquisa na área, tendo sido, sem dúvida, fundamental no triunfo da Campanha Governamental “O Petróleo é Nosso”, estabelecida na década de 50, e que deu origem, dentre outras companhias e órgãos à “Petrobrás”. [...] através da pesquisa básica, no desenvolvimento da área de Exploração e Prospecção do Petróleo. Ambas as atividades foram imprescindíveis na transferência do gerenciamento de pesquisas geológicas no Brasil para as mãos dos brasileiros e no desenvolvimento de uma tecnologia totalmente nacional aplicada à Exploração e Prospecção do Petróleo com padrão reconhecidamente internacional [...] (IANNUZZI e FRANTZ, 2007, p. 9).
[2] O Congresso Nacional aprova a Reforma Universitária, pela Lei n° 5.540, de 28/11/68, fixando normas de organização e funcionamento do ensino superior.
[3] A Gondwana foi uma grande massa de continente localizada no hemisfério sul há cerca de 180 milhões de anos e composta pelas atuais América do Sul, África, Oceânia, Antártica e o sub-continente indiano. A deriva dos continentes iniciada há 200 milhões de anos originou a fragmentação desta grande massa de terra, dando origem aos continentes que atualmente ocupam o hemisfério sul. Disponível em: . Acesso em 27 maio 2011.