TÉCNICAS
......................................
     
Carusto Camargo
QUEIMAS CERÂMICAS
................................................................
   
         
 
       

Porque queimar?

As modelagens em argilas tornam-se objetos cerâmicas, de uso artístico ou utilitário, após serem queimadas a uma temperatura superior a 600°C, quando eliminasse a água química da argila e alteram-se suas características físicas. A queima tem como finalidade:

- Alterar as características físicas das massas cerâmicas conferindo durabilidade, resistência e impermeabilidade ao objeto cerâmico;

- Ampliar as possibilidades expressivas e poéticas das superfícies cerâmicas, considerando às cores e texturas possíveis aos diversos tipos de massas, fornos e queimas cerâmicas empregadas;

- Fixar e fundir os revestimentos cerâmicos utilizados na decoração e significação das superfícies.


O que aconteceu durante a queima?

O processo dequeima pode ser dividido em etapas, de acordo com os processos químicos e físicos envolvidos:

1° - eliminação da umidade:
Ocorre durante o processo de secagem ao ar livre, no ambiente do ateliê e posteriormente dentro do forno antes dos 100°C. Toda a umidade da peça deve ter sido eliminada antes de o forno ter atingido esta temperatura, para que as peças não estourem devido à rápida expansão da água em vaporização.

 

2º - eliminação da água química:
Independentemente de termos removido toda a umidade do interior das peças durante o processo de secagem e primeira etapa da queima, as argilas são compostas basicamente de 2 moléculas de sílica + 1 de Alumina e 2 de água. Quando o forno atingir 350°C , as reações químicas presentes eliminarão essa água química que poderá explodir as peças caso a taxa de queima seja superior a 100°C/hora.

 

3° - inversão da sílica:
“A 573°C , acontece a chamada inversão da sílica, que é uma mudança na estrutura cristalina acompanhada por um aumento de volume. A maior parte das peças que saem rachadas do formo muito provavelmente trincaram nessa temperatura, mesmo quando a rachadura só aparece depois da queima do esmalte.”

.Jeremy Fiennes
in Cerâmica Arte da Terra, 1987

 

Como Queimar?
   

A curva de queima depende do tamanho do forno, de sua taxa de ocupação, da massa cerâmica empregada e da espessura e forma das peças presentes no interior do forno. *Modelagens com paredes mais espessas necessitam de queimas mais lentas para eliminar a umidade e a água química. *Fornos mais carregados apresentam uma inércia térmica maior e necessitam de uma maior quantidade de calor para atingirem uma mesma temperatura.*Massas cerâmicas sem chamote e pouco refratárias, se deformam mais facilmente durante a secagem e a queima e trincam mais facilmente quando da inversão da sílica. *Pratos e azulejos planos são mais propícios a deformações e rachaduras do que as formas orgânicas dos vasos e recipientes cerâmicos.

É muito importante que você considere estes fatores para obter melhores resultados em suas queimas cerâmicas, seja na escolha prévia das massas, como na qualidade técnica de sua modelagem.

De maneira geral, se você fizer uma pré-secagem por 1hora em 70 °C, uma secagem por mais 1 hora a 100°C edepois queimar o forno a uma taxa de subida de 100°C/hora até a temperatura final, você obterá ótimos resultados logo de início. Entretanto, respeite as características dos sistemas de controle e medição de temperatura do forno utilizado e utilize cones pirométricos para se certificar da real temperatura no interior do forno.

Como Queimar : Cuidados e recomendações detalhadas para fornos a combustão (queimas a gás e lenha) e elétricos, quando o sistema de controle permitir.

Recomendação Temperatura Etapas Cuidados
1° hora
70°C
Secagem complementar

* Somente coloque peças totalmente secas no forno.
* observe as recomendação de Montagem do forno.

2° hora
100°C
Evaporação da água
Quando possível, deixe as portas dos fornos elétricos entreabertas.
100°C / hora
100 até 600 °C
Eliminação da água química ( 350°C )
Se possível, mantenha as portas dos fornos elétricos entreabertas até 300°C
Inversão da sílica
( 573°C )
Devido às mudanças de estados da argila o forno subirá mais lentamente

cerca de 150 °C / hora

600 ºC– temperatura final

Queima final (respeite as características do forno e do tipo de queima)

A taxa de subida dependerá do carregamento, da temperatura final e do projeto do forno.
30 – 50 minutos
Temperatura final
Patamar final

* uniformiza a temperatura em todo o interior do forno.
* regularmente confirme a temperatura com cones pirométricos.

Desligue o forno
Temperatura ambiente
Resfriamento

deixe esfriar naturalmente e feche a chaminé de fornos a combustão ( gás e lenha)

   
  Cuidados Adicionais

- as massas e os revestimentos cerâmicos devem ser compatíveis com a temperatura e o patamar final da queima. Recomenda-se no início, um patamar final não superior a 30 minutos e temperatura de queima igual a 95% da especificada para seu forno.

 

- proteja as prateleiras e a mobília, com uma camada polvilhada de caulim que não se funda na queima. Faça um teste prévio sobre um caco de cerâmica de alta temperatura.

 

- não empilhe ou encoste superfícies engobadas e/ou esmaltadas.

 

- não empilhe ou encoste peças durante as queimas de alta temperatura, acima de 1200°C ou quando estiver trabalhando perto da temperatura limite das massas empregadas.

 

- sempre acompanhe o final da queima, mesmo nos fornos de controle automático. Se o automático não desligar você perderá todas as peças e o forno, podendo inclusive inviabilizar seu reparo.

 
Curiosidades

Dependendo da temperatura final e do tipo de forno utilizado, podemos obter uma grande gama de cores e texturas sem o auxílio dos revestimentos cerâmicos. Observe ao lado, a coloração, textura e encolhimento de 3 massas comercias queimadas a 1000 e 1200°C em um forno elétrico de testes.

Clique na imagem ao
lado para visualiza-la maior.

A massa terracota que contém uma alta concentração de óxido de ferro, quando foi queimada a 1000°C apresentou uma coloração alaranjada, característica dos tijolos e telhas residências, mas ao atingir 1200°C tornou-se rubra, semelhante a uma chapa de ferro enferrujada. A 1200°C apresentou fortes sinais de deformação e fusão excessiva da massa, podendo derreter, ferver, apresentar bolhas, danificar o forno e as peças vizinhas.