fechar

Edificações Históricas da UFGRS


Edificações Históricas da UFRGS


Denominação do edifício: Castelinho
Endereço: Praça Argentina s/n, Campus Centro - 1º Quarteirão, Porto Alegre – RS
Função atual: sedia o NORIE- Núcleo orientado para a Inovação da Edificação.
Informações histórico-morfológicas:

O Castelinho teve como autor do projeto o Eng. Manoel Barbosa Assumpção Itaqui. A data do Projeto é 1906 e o período de execução foi 1906/1908.
O volume da edificação é definido por um prisma, com formato hexagonal, elemento principal na hierarquia, associado a um corpo retangular longitudinal, mais baixo e secundário na composição.
Os planos das fachadas apresentam variada ornamentação, com predominância de elementos florais em cimento fundido. Destacam-se o trabalho em ferro dos guarda-corpos das sacadas e as ânforas e pedestais das platibandas.
Atualmente sedia o NORIE- Núcleo orientado para a Inovação da Edificação.
Fotografia: Castelinho. Fotógrafa: Inês Martina Lerch, 2009.


Denominação do edifício: Château
Endereço: Praça Argentina s/n, Campus Centro - 1º Quarteirão, Porto Alegre – RS
Função atual: abriga a Secretaria do Desenvolvimento Tecnológico e a Vitrine Tecnológica.
Informações histórico-morfológicas:

O Château teve como autor do projeto o Eng. Manoel Barbosa Assumpção Itaqui e sua execução foi realizada pela Empresa Andrighetto e Paganni. A data do Projeto é 1906 e o período de execução foi 1906/1908.
O prédio, hoje designado Château, foi definido por um elemento articulador central (torreão) de forma hexagonal, em dois pavimentos, e por duas alas térreas que se distribuem, a partir dele, com implantação em ângulo e amplos pés-direito.
A cobertura do telhado do torreão é arrematada por um lanternim prismático, também vedado com tijolos de vidro e finalizado pela escultura de um condor.
O château abriga a Secretaria do Desenvolvimento Tecnológico e a Vitrine Tecnológica.
Fotografia: Chateau. Fotógrafo: Márcio Petersen, 2003.


Denominação do edifício: Observatório Astronômico
Endereço: Praça Argentina s/n, Campus Centro - 1º Quarteirão, Porto Alegre – RS
Função atual: Destinado à visualização e ao registro dos fenômenos astronômicos.
Informações histórico-morfológicas:

O Observatório Astronômico teve como autor do projeto o Eng. Manoel Barbosa Assumpção Itaqui. A data do projeto é 1906 e o período de execução foi 1906/1908.
Destinado à visualização e ao registro dos fenômenos astronômicos, o prédio foi projetado para abrigar dois importantes instrumentos de observação: a luneta equatorial, instalada no quarto pavimento e protegida por uma cúpula de ferro giratória, e a luneta meridiana, instalada no terceiro pavimento, na chamada Sala meridiana.
No interior do prédio as paredes, outrora com pinturas decorativas, estão lisas, restando, porém, na sala do Círculo Meridiano a belíssima pintura mural representando Saturno, o Deus do Tempo.
Fotografia: Observatório. Fotógrafa: Patrícia Soldatelli Valente, 2010.

Denominação do edifício: Faculdade de Direito
Endereço: Av. João Pessoa, nº 80, Campus Centro - 1º quarteirão, Porto Alegre – RS
Função atual: abriga a parte administrativa e salas de aula.
Informações histórico-morfológicas:

A Faculdade de Direito teve como autor do projeto o Arq. Hermann Otto Menchen e sua execução foi realizada por Rudolph Ahrons. O período de execução foi 1908/1910 e a ampliação foi em 1951.
O edifício é composto por porão e outros dois pavimentos.
Marcante na edificação, seu corpo central é coroado por uma grandiosa cúpula em barrete de clérigo, cujas esculturas figurativas foram obras do artista veneziano Frederico Pellarin.
Várias dependências possuem paredes e tetos revestidos por afrescos em que predominam pinturas figurativas.
Integrados perfeitamente ao projeto original, os espaços da biblioteca e do auditório, chamado Salão Nobre, resultaram de uma ampliação realizada em 1951. Neste último, destaca-se uma magnífica pintura mural de Ado Malagoli.
O Direito abriga a parte administrativa e salas de aula.
Fotografia: Faculdade de Direito. Fotógrafa: Camila Rockembach, 2006.



Denominação anterior do edifício: Curtumes e Tanantes
Denominação atual: Museu da UFRGS
Endereço: Av. Oswaldo Aranha, 277, Campus Centro - Quarteirão 2, Bairro: Farroupilha, Porto Alegre – RS
Função atual: Museu da UFRGS
Informações histórico-morfológicas:


O Museu da UFRGS teve como autor do projeto o Eng. Manoel Barbosa Assumpção Itaqui (presumível).
O pequeno prédio, hoje conhecido como Curtumes e Tanantes, é o marco inicial das obras de restauração e recuperação dos prédios históricos, inserido no projeto Resgate do Patrimônio Histórico e Cultural da UFRGS.
O edifício é formado por um conjunto de três volumes. O corpo principal, de um pavimento, com pé-direito alto, destaca-se como volume único, recebendo elementos ornamentais na fachada frontal.
No prédio de concepção simples, destacam-se a fachada norte, a treliça polonceau e os arcos abatidos.
Na fachada norte o ritmo é marcado por seis pilastras, ornamentadas com medalhões e monogramas em relevo.
A simetria é assinalada pelo frontão central, cimbrado e em arco, decorado com uma pintura simbolizando o trabalho.
O edifício foi devolvido à comunidade em 15 de agosto de 2002 e hoje abriga todas as dependências do Museus da UFRGS, contando com salas de exposições e salas destinadas à sua administração.
Fotografia: Museu da UFRGS, autoria desconhecida, sem data.



Denominação do edifício: Rádio
Endereço: Rua Sarmento Leite, 426, Campus Centro - 2º Quarteirão, Porto Alegre – RS
Função atual: abriga os estúdios da Rádio da UFRGS.
Informações histórico-morfológicas:

O prédio da Rádio da UFRGS teve como autor do projeto Adolph Alfred Stern. A data do projeto é 1919 e seu período de execução foi 1920/1921 e a ampliação foi em 1951.
O acesso principal localiza-se no lado direito da fachada frontal, de frente para a Rua Sarmento Leite, com escadaria de mármore e gradil trabalhado em ferro que leva do solo ao segundo pavimento.
O corpo principal, um prisma constituído pela junção de diversos prismas menores, possui jogo de saliências e reentrâncias; a altura uniforme em todas as partes fecha este bloco, conferindo-lhe unidade. A torre, único volume com quatro pavimentos, se destaca do restante da obra por seu tratamento diferenciado na cobertura com o uso de platibandas ao invés de telhado aparente.
Em razão da concepção como planta agrupada, sem corredor, os ambientes comunicam-se através de uma área central de distribuição.
A restauração do prédio iniciada em 2001 foi realizada sem que a Rádio da UFRGS saísse do ar. O prédio foi reinaugurado em 15 de agosto de 2002.
Fotografia: Rádio. Fotógrafa Margrid Kumpf, 2008.


Denominação do edifício: Instituto Parobé
Endereço: Rua Sarmento Leite, 425, Campus Centro – 1º Quarteirão, Porto Alegre – RS
Função atual: abriga cursos de graduação e pós-graduação em Engenharia Mecânica, pelo Museu do Motor, contando com salas destinadas à sua administração.
Informações histórico-morfológicas:

O Instituto Parobé teve como autor do projeto Chrétien Hoogenstraaten e sua execução foi realizada por Francisco Andrighetto. O período de execução foi 1925/1928.
O edifício configura-se simetricamente a partir de um corpo central de quatro pavimentos, ligados a alas de três pavimentos, que se unem a corpos extremos, igualmente de quatro pavimentos. O último pavimento das alas é uma mansarda sob o telhado e suas dependências são iluminadas por clarabóias. O conjunto apresenta horizontalidade, acentuada pelas relações de comprimento e altura.
A centralidade, a hierarquia de espaços, a culminância de todo o sistema espacial em um corpo principal, ponto de articulação, caracteriza uma noção de ordem e simetria, valorizando ainda mais o prédio como obra arquitetônica.
Hoje abriga cursos de graduação e pós-graduação em Engenharia Mecânica, pelo Museu do Motor, contando com salas destinadas à sua administração.
Fotografia: Instituto Parobé. Autoria desconhecida, sem data.



Denominação do edifício: Instituto de Química (Antigo)
Endereço: Rua Engº Luiz Englert, s/nº, Campus Centro - 2º quarteirão, Porto Alegre – RS
Função atual: é utilizado principalmente por órgãos administrativos da UFRGS. Ele abriga entre outros órgãos, a Secretaria do Patrimônio Histórico.
Informações histórico-morfológicas:

A autoria do projeto do Instituto de Química é desconhecida e sua execução foi realizada pelo Escritório Andrighetto. O período de execução foi 1922/1924 e a ampliação foi em 1944.
A construção em três pavimentos apresenta rigidez formal e geométrica atenuada pelo setor central recuado com uma galeria aberta protegida pelo terraço. Colunas toscanas, alternadas entre duplas e simples e esculturas femininas, em pedestal de balaustrada, representando a Química, valorizam este espaço.
A concepção básica, definida por um pavimento térreo, antes designado porão, e por dois pavimentos, com altos pés-direito, caracteriza-se por possuir ambientes voltados para o exterior, recebendo iluminação e ventilação diretas.
A ampliação executada na década de 40 consistiu na duplicação dos volumes laterais.
O prédio passou a ser utilizado principalmente por órgãos administrativos da UFRGS. Ele abriga entre outros órgãos, a Secretaria do Patrimônio Histórico.
Fotografia: Antigo Instituto de Química. Fotógrafo Alan Furlan, 2009.


Denominação do edifício: Instituto Eletrotécnico
Endereço: Av. Osvaldo Aranha, nº 103, Campus Centro - 1º Quarteirão, Porto Alegre – RS
Função atual: Departamento de Engenharia Elétrica da UFRGS.
Informações histórico-morfológicas:

O prédio do Instituto Eletrotécnico teve como autor do projeto o Eng. Manoel Barbosa Assumpção Itaqui e sua execução foi realizada pelas Empresas Andrighetto e Paganini. O período de execução foi 1906/1910 e sua 1ª ampliação foi logo após a construção inicial e a 2ª ampliação foi em 1951 (construção do 3º pavimento).
O prédio do Instituto Eletrotécnico está localizado na Esquina da Osvaldo Aranha com a Rua Sarmento Leite.
Originalmente com dois pavimentos, recebeu o maior acréscimo no ano de 1951, quando o Setor de Obras da Universidade executa um terceiro pavimento. Com sólidas fundações de granito, que sustentam a alvenaria de tijolos maciços, o prédio é formado por duas alas que convergem à esquina, onde há a marcação do eixo central através do acesso.
Atualmente, o edifício serve de Departamento de Engenharia Elétrica da UFRGS.
Fotografia: Eng. Elétrica. Fotógrafo Alan Furlan, 2009.


Denominação do edifício: antigo prédio da Escola de Engenharia
Endereço: Praça Argentina , s/nº – Campus Centro – 1º quarteirão, Porto Alegre – RS
Função atual: o prédio encontra-se em obras de recuperação e restauro.
Informações histórico-morfológicas:

O antigo prédio da Escola de Engenharia teve como autor do projeto o Eng. João José Pereira Parobé e sua execução foi realizada pelo Escritório Andrighetto e Cia. O período de execução foi 1898/1900.
O prédio foi concebido com linhas sóbrias e bem definidas que revelam um edifício neoclássico com massas e volumes simples, fachadas planas,sóbrias e bem proporcionadas.
A edificação constitui-se de dois pavimentos originais, sendo posteriormente acrescida em um terceiro pavimento e utilizando o subsolo.
O edifício destaca-se na fachada do acesso principal o frontão. Nele se lê o ano de término da construção, 1900, em números romanos clássicos. O frontão possui ainda um relógio de 1894 e uma escultura figurativa.
O prédio possui uma planta retangular. Seus ambientes estão voltados para o exterior, com circulação horizontal através de corredor iluminado por área interna.
O edifício sempre abrigou atividades administrativas e de ensino da Escola de Engenharia. O centro de Estudantes Universitário de Engenharia igualmente ali se instalou há muitos anos.
Atualmente o prédio encontra-se em obras de recuperação e restauro.
Fotografia: Eng. Velha. Fotógrafo Luiz Francisco Perrone, 2009.



Denominação do edifício: ICBS
Endereço: Rua Sarmento Leite, 320, Campus Centro - 2º quarteirão, Porto Alegre – RS
Função atual: utilizado pelo Instituto de Ciências Básicas da Saúde e atualmente por alguns setores do Instituto de Artes da UFRGS, entre eles o seu Arquivo-Geral.
Informações histórico-morfológicas:

O prédio do ICBS teve como autor do projeto o Arq. Theodore Wiedersphan e sua execução foi realizada por Rudolph Ahrons (início) e por Augusto Sartori (término). A data do projeto é 1912 e o período de execução foi 1913/1914 (início) e 1919/1924 (término) e teve ampliações em 1937, 1952 e 1955.
O prédio da Faculdade de Medicina é considerado um dos mais belos prédios de Porto Alegre. Implantado em esquina, destaca-se nesta edificação em forma de “V” o seu volume circular, com elaborada ornamentação, marcando o acesso e o ponto de inflexão de suas alas. O aceso é antecedido por uma escadaria de granito. Uma escadaria monumental, no segundo saguão, guarnecida por gradis de ferro trabalhados com elementos inspirados na Belle Époque, leva ao terceiro pavimento do prédio. Sobre o saguão de acesso localiza-se o Salão Nobre.
Com a transferência da Faculdade de Medicina, em 1974, para o Hospital de Clínicas, o Instituto de Biociências e, depois, o Instituto de Ciências Básicas da Saúde passaram a utilizar o prédio. Atualmente, estão alguns setores do Instituto de Artes da UFRGS, entre eles o seu Arquivo-Geral.
Fotografia: ICBS. Autoria desconhecida, 2008.


Denominação do edifício: Faculdade de Agronomia – Prédio Central
Endereço: Av. Bento Gonçalves, nº 7712, Campus do Vale, Porto Alegre – RS
Função atual: abriga salas de aula, laboratórios, biblioteca, anfiteatro, salas diversas e setores administrativos.
Informações histórico-morfológicas:


A Faculdade de Agronomia – Prédio Central teve como autor do projeto o Eng. Manoel Barbosa Assumpção Itaqui e como coordenador da execução o Eng. João Maria Palaof. A data do Projeto é 1909 e o período de execução foi 1910/1913.
O prédio é dividido em cinco módulos, intercalando cheios e vazios. O volume central possui três pavimentos e os volumes extremos, dois.
Com amplos ambientes internos possui terraços e balcões no segundo pavimento que se volta para os átrios existentes no primeiro pavimento.
A fachada frontal plana apresenta simetria com platibandas, frontões e ornamentações diversas. Os arcos plenos dos átrios são elementos marcantes desta fachada. Durante muito tempo os vãos eram abertos tendo sido fechados posteriormente por uma estrutura metálica em ferro com vidros.
Foram previstas salas de aula, laboratórios, biblioteca, anfiteatro, salas diversas e setores administrativos.
Fotografia: Faculdade de Agronomia. Fotógrafo Luiz Francisco Perrone, 2008.




Maiores informações sobre as edificações entrar em contato com:

Secretaria do Patrimônio Histórico da UFRGS (SPH)

Horário de atendimento para pesquisa: Segunda a sexta – turno : Manhã - das 9h as 12 horas
Endereço: Rua Engº. Luiz Englert, Antigo Prédio da Química, s/nº, sala 22, Porto Alegre-RS
Telefones: (51) 3308-3018/ (51) 3308-4216
Site: www.predioshistoricos.ufrgs.br

Memorial TCE-RS

  • fotos
  • publicações
  • áudios
  • vídeos
  • todos

Dossiê Educação Patrimonial: percursos, concepções e apropriações

A última edição da Revista Mouseion - n. 19 (2014) - conta com a publicação do "Dossiê Educação Patrimonial: percursos, concepções e apropriações", organizado por Zita Rosane Possamai e Carmem Zeli de Vargas Gil.
Disponível em: www.revistas.unilasalle.edu.br/index.php/Mouseion

  • login:
  • senha:


cadastre-se »