Quatro professores de jornalismo norte-americanos confessam as coisas que costumavam ensinar nas quais não mais acreditam. De maneira geral, nenhuma deles mais acredita que o jornalismo seja uma missão, uma profissão que “faz a diferença” — na visão dos jornalistas atuais, bem entendido. Dianne Lynch, reitora de uma faculdade de Comunicação em Ithaca, acha que o ciclo de 24 horas e a atualização constante na Web banalizaram a profissão.