Em um extenso artigo, Benjamin Cohen levanta dúvidas sobre a lisura das operações do serviço de publicidade do Google, o AdSense. Cohen relata ter sido expulso do serviço após suposta “fraude de clicagem” ocorrida em seu webjornal. O problema, segundo ele, é que não cometeu fraude alguma e não conseguiu fazer com que o Google fornecesse provas. Pior: apesar de ter sido expulso, o que, segundo a própria empresa, o excluiria para sempre do serviço, Cohen conseguiu voltar a usar o AdSense. Apenas para ser novamente expulso, sob as mesmas alegações não comprovadas. O artigo dá a impressão de que o próprio Google não tem muito controle sobre os números. Ou isso, ou está simplesmente enrolando seus clientes.

Esta pode ser mais uma mancha na já meio suja imagem do Google como uma corporação “do bem”.