Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Ferramentas Pessoais
Acessar
Você está aqui: Página Inicial 12. Idiomas Latim Por que não estudar latim?

Por que não estudar latim?

Seguindo as pegadas dos gregos, os latinos sistematizaram e criaram uma vasta literatura que abrange os mais diversos gêneros. Poliram versos de precisão inaudita, esculpiram heróis e histórias que atravessaram os séculos na pintura, teatro e música, consignaram seus feitos, suas aventuras e sua visão de mundo em textos que continuam a interpelar as pessoas até hoje. Uma herança, conhecida à exaustão no passado, tornada presença a cada passo das obras de Dante, Petrarca, Boccaccio, Erasmo, Bacon, Descartes, Newton etc. Os romanos, muito próximos de nós em diversas coisas, radicalmente diferentes em outras, relativizam um sentido único para a história e um modo monolítico de ver a vida.

Linguisticamente, por exemplo, além de aproximar várias heranças culturais diversas, expressas nas diferentes línguas que originou, o Latim ajuda a entender fenômenos que, à primeira vista, poderiam parecer inexplicáveis. Acontece que as línguas são sempre organismos vivos, sujeitos a diversas leis fonéticas e, mais ainda, políticas, geográficas, históricas, religiosas etc. São construções humanas e, por isso, mutáveis. O Latim, para o ocidente, é a maior prova disso.

Mas o Latim continua sendo uma presença viva também nas expressões que, incorporadas ao uso cotidiano, aparecem nos mais diversos contextos. Quem nunca ouviu falar de habeas corpus, alibi, data venia, curriculum vitae? Quem nunca ouviu falar de renda per capita? Ou pensou em fazer uma pós-graduação lato sensu? Ou ouviu que alguém é doutor honoris causa?

A antiga língua de Roma está também nas tecnologias modernas: na fecundação in vitro, no fax (abreviação de fac simile, que significa "faça de maneira semelhante", não é isso que faz o fax?). Mesmo muitas palavras importadas do inglês remontam ao latim: na Informática usa-se o verbo deletar, do inglês to delete, que vem, por sua vez, do verbo deleo em latim, que significa "eu destruo". De tão entranhado na nossa língua, o latim até se confunde com ela: idem é Latim, supra summum, et cetera...

Obras Consultadas

CARDOSO, Zélia de Almeida. Iniciação ao Latim. São Paulo: Ática, 2004.

RÓNAI, Paulo. Não perca o seu Latim. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, s/d.

REZENDE, Antônio Martinez. Latina Essentia. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2000.

VIARO, Mário Eduardo. A importância do Latim na atualidade. In Revista de ciências humanas e sociais, São Paulo, Unisa, v. 1, n. 1, p. 7-12, 1999.