• Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Página inicial

Quem somos


A necessidade de gerar melhorias na coordenação da bovinocultura de corte, melhor atender as demandas e unificar as atitudes na atividade motivaram a formação do Núcleo de Estudos em Sistemas de Produção de Bovinos de Corte e Cadeia Produtiva (NESPro). O NESPro, grupo de pesquisa filiado a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), surgiu em maio de 2006, capitaneado por onze pessoas, entre estudantes de pós-graduação em Zootecnia, alunos de graduação e pelo Coordenador, Prof. Júlio Otávio Jardim Barcellos.

Ao longo de sua trajetória, os recursos humanos que constituem o Núcleo sempre são alicerçados por professores, pesquisadores, estudantes de pós-graduação e de graduação. Todos os integrantes são vinculados ao Departamento de Zootecnia ou ao Centro de Estudos e Pesquisas em Agronegócios (CEPAN), da UFRGS. Por isso, já passaram pelo Núcleo advogados, analistas de sistemas, jornalistas, publicitários, administradores, sociólogos e, claro, profissionais das ciências agrárias, caracterizando o grupo como multi e interdisciplinar.

A gestão interna não segue um organograma hierárquico e todos os integrantes do NESPro atuam por objetivos institucionais pré-definidos de comum acordo. O desenvolvimento das competências se dá por meio do conhecimento adquirido e pelas habilidades trabalhadas. Acrescente-se a isto, a existência de um projeto de desenvolvimento de valores e atitudes de cada um de seus integrantes com repercussão sobre os princípios éticos.

O NESPro está cadastrado na Base de Grupos de Pesquisa do CNPq desde 2006. O objeto de pesquisa é a cadeia produtiva da carne bovina, com envolvimento na condução de pesquisas, atividades de extensão e projetos antes da porteira - provedores de insumos -, dentro da porteira – produtores rurais - e depois da porteira – frigoríficos, redes varejistas e consumidores. Portanto, estuda desde o prato do consumidor até os processos na fazenda, além de evidenciar as relações e as conexões entre os elos da cadeia. Esse dinamismo só é possível por primar a diversidade de formações e a integração de diferentes visões sobre um mesmo tema, a pecuária de corte.

A fim de difundir o conhecimento gerado na Universidade, desde 2006, o NESPro promove, anualmente, a “Jornada NESPro”. A partir de 2009, o evento passou a ser replicado no interior do Rio Grande do Sul, conhecido como “Interiorização da Jornada NESPro”, a fim de levar o conhecimento aos pecuaristas. Ambos os eventos, na Universidade e no interior do estado, propõem estabelecer um ambiente de interação e discussão frente às pesquisas acadêmicas e aplicações práticas, com o intuito de contribuir para o aprimoramento da bovinocultura de corte do estado e do Brasil. O conhecimento que o Núcleo busca integrar nesses eventos é aquele advindo das diferentes áreas relacionadas à cadeia produtiva, promovendo o desenvolvimento do setor. Além disso, difundir e homogeneizar o conhecimento no âmbito da produção de carne bovina no Rio Grande do Sul, no Brasil e no mundo, impactando no desenvolvimento socioeconômico local e global.

Em 2016, o NESPro completou dez anos de atividade. Nesse período, foi capaz de formar recursos humanos de alto nível, conduzir pesquisas voltadas à bovinocultura de corte nos seus diversos segmentos e transformar os resultados das pesquisas em inovações tecnológicas. E, o mais importante, estas inovações têm sido difundidas aos pecuaristas e instituições ligadas ao setor pecuário e contribuído para o agronegócio regional. As pesquisas conduzidas pelo Núcleo são de alta profundidade científica, sempre buscando resolver uma problemática local. Os recursos humanos oriundos da formação pelo NESPro carregam valores éticos, morais e de atitudes que lhes permitem atuar nas mais diferentes instituições do Brasil e do exterior.

Equipe

Integrar conhecimentos multidisciplinares para formar recursos humanos de excelência, capazes de elaborar e executar projetos de pesquisa que gerem, além de informações científicas e tecnológicas, soluções, promovendo o desenvolvimento do agronegócio. Nesse contexto, busca, no ambiente acadêmico, promover uma visão sistêmica da atividade produtiva fazendo a ligação desde a produção no chão de fábrica (fazenda) até o consumidor final.