• Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Youtube
  • Página inicial

Notícia


Artigos publicados pelo NESPro abordam questões estratégicas para a Bovinocultura de Corte

03/10/2018



Pesquisas conduzidas pela equipe do NESPro demonstraram duas conclusões importantes para os Sistemas de Produção de Bovinos de Corte do Sul do Brasil. Os resultados publicados recentemente, em estudo conduzido pelo Doutor Paulo Rodrigo Xavier, atualmente professor da Universidade Federal do Piauí, Campus de Bom Jesus do Piauí, a partir de sua tese de doutorado (PPG-Agronegócios/CEPAN-UFRGS), em que estudou uma série climática de 1997 a 2014, avaliando os efeitos do El Niño e La Niña na oferta e nos preços pagos pelo boi gordo no RS, demonstrou que em anos de El Niño, com chuvas acima da média, há uma maior oferta de gado para abate e em consequência, os preços praticados são menores. Por outro lado, quando ocorrem estiagens (La Niña) há uma redução da oferta de gado e aumento nos preços. Estas informações são importantes para pecuaristas e para a indústria frigorífica realizarem seus planejamentos e estratégias de gestão a partir de eventos que são previsíveis com boa antecedência. Em outro estudo , conduzido pela Eng. Agron. Rúbia Branco Lopes, em seu mestrado (PPG-Zootecnia-UFRGS) e atualmente postulante de doutorado na Universidade da Califórnia, avaliou os efeitos do crescimento compensatório na recria de novilhos de corte. Este é um fenômeno muito utilizado forçadamente pelos pecuaristas durante o inverno do RS, caracterizado pelo fato de aceitarem que os animais tenham menor ganho de peso num determinado período de sua vida, para depois incrementar a alimentação e compensar, com maior ganho de peso, o tempo perdido na fase de restrição do crescimento. Os resultados da pesquisa comprovaram a viabilidade de restringir o crescimento dos animais em 0,500 kg/dia, para economizar em alimentação, e posteriormente aumentar os ganhos em torno de 0,900 kg/dia até o abate. Concluem os autores que o período de restrição não deve ser superior a 90 dias e os ganhos durante essa fase não inferior a 0,500 kg/dia. Além disso, mediante análises econômicas e de risco, o sistema que aproveitou o ganho compensatório foi o de maior margem líquida/cabeça do que o ganho contínuo. Com esses resultados, o NESPro, coordenado pelo Prof. Júlio Barcellos, comprova que é possível conduzir pesquisas que contribuam para os avanços científicos na produção animal, mas que também possam ser traduzidos em inovações tecnológicas ao setor produtivo.

Artigos publicados pelo NESPro abordam questões estratégicas para a Bovinocultura de Corte