Você está aqui: Página Inicial Notícias Lápides descobertas no México revelam mitos astecas

Lápides descobertas no México revelam mitos astecas

Vestígios pré-colombianos falam do nascimento do deus da guerra Huitzilopochtli

O centro da Cidade do México ocultava um dos maiores segredos da cultura pré-colombiana. Um grupo de arqueólogos descobriu em frente ao Templo Maior asteca 23 lápides com 550 anos que revelam mitos da cultura asteca, como o nascimento do deus da guerra Huitzilopochtli e a origem da guerra sagrada.

As pedras gravadas feitas de tezontle (uma pedra vulcânica) foram localizadas em finais do ano passado na praça Manuel Gamio. Representam serpentes, prisioneiros, ornamentos e guerreiros que se referem à origem daquela cultura, explica o comunicado do Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) mexicano.

 

A descoberta teve lugar durante os trabalhos de supervisão arqueológica prévios á criação de um novo acesso ao museu do Templo Maior. Uma vez terminados os trabalhos de restauro e de sondagens para determinar se existe alguma oferenda debaixo das lápides, será colocado um solo de vidro para que os visitantes possam ver os achados.

“Os vestígios pré-hispânicos são de grande valor arqueológico”, explica Raúl Barrera, arqueólogo responsável pelas escavações. Isto porque “é a primeira vez que se encontra, dentro do que era o recinto sagrado de Tenochtitlan, uma grande quantidade de lápides dispostas propositadamente em forma de documento iconográfico para criar um discurso que narra certos mitos desta civilização”.

O Templo Maior foi o centro mais importante da vida religiosa dos astecas. Possivelmente, as gravuras foram orientadas para o centro de adoração de Huitzilopochtli, correspondendo, provavelmente, à quarta etapa de construção do Templo Maior (1440-1469).

De acordo com o mito do nascimento de Huitzilopochtli, a deusa da terra e da fertilidade, Coatlicue, ficou grávida quando uma pena entrou no seu ventre enquanto varria.

Irritados com o sucedido, os seus filhos, 400 guerreiros do sul e a sua filha, a deusa da Lua Coyolxauhqui, decidiram ir à montanha de Coatepec, onde vivia a grávida, para matá-la. Quando chegaram lá, Coyolxauhqui e os guerreiros enfrentaram Coatlicue e decapitaram-na.

Nesse momento nasceu o deus da guerra Huitzilopochtli, que enfrentou os guerreiros e matou e desmembrou a irmã.

 

FONTE: http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=53075&op=all