Você está aqui: Página Inicial Notícias O que faço com esta ponta de flecha?

O que faço com esta ponta de flecha?

| Carlos Matias | historiador do setor de Arqueologia da Unesc

Nada é tão eficiente quanto a informação. Para o bem ou para o mal, a informação muda uma sociedade... É sabido que um povo bem informado, instruído, curioso, perspicaz, com certeza tem uma cultura dinâmica, tem sua história registrada com apetência, não só pela população em geral, mas também pela academia; tem sua política mais perto da democracia, enfim, é mais rico em detalhes e economicamente. 
Acredita-se e é verdade mesmo, que na Grécia atual existam muitos sítios arqueológicos ainda não "descobertos", inexplorados, guardando seus segredos, seus mistérios, seus "tesouros"... Vimos isso recentemente, quando da construção de algumas obras urbanas para que aquele país fosse sede das Olimpíadas de Atenas. Instruído e bem assessorado, sua população viu, ajudou e contribuiu para que a história da humanidade e da Grécia ficasse cada vez mais rica em detalhes, em conhecimento, e nós, humanos, com mais argumentos para continuar as discussões filosóficas, políticas, existenciais e patrimoniais sobre quem somos? Como vivemos? Como "desaparecemos"?... Acontece que não ocorre o fenômeno só na Grécia. Por aqui mesmo, bem perto de nós, são encontrados muitos sítios arqueológicos, onde vemos: ponta de flechas, vasos, restos de objetos manipulados por homens que viveram milhões de anos atrás, enfim, vestígios do modo de viver, de comer, de organização social, etc. É importante dizer que muitos moradores encontram objetos e, muitas vezes, sem se dar conta, essas pessoas encontram verdadeiros sítios arqueológicos em suas residências ou terrenos.
Vivenciando uma situação desta natureza, como proceder? Eis a importância de se ter informação correta ou de se saber onde encontrar orientação correta para tomar a melhor decisão. Caso contrário, far-se-á a pergunta do título: o que faço com esta ponta de flecha? Sem resposta correta, a pessoa pode guardar em sua casa; jogar fora; acreditar que não se trata de nada muito importante... Ou seja, perderá a chance de contribuir para o crescimento histórico e patrimonial de humanidade e da nossa região. Portanto, se você encontrar algum objeto e suspeitar que se trate de um vestígio deixado pelos povos que habitavam a região há muito tempo, entre em contato com o SETOR DE ARQUEOLOGIA DA UNESC, uma equipe preparada e com apetência para orientá-lo, que fará contato imediatamente, sob a coordenação do Arqueólogo Juliano Bitencourt Campos. Contato através do telefone: (48) 3431-4561 ou e-mail: jbi@unesc.net. Para conhecer um pouco mais das atividades do setor, acesse nosso blog: http://arqueologiaipat.blogspot.com ou o site www.unesc.net/muesc.

Fonte: http://www.atribunanet.com/noticia/o-que-faco-com-esta-ponta-de-flecha-81999