Você está aqui: Página Inicial Notícias Professor da USP fala sobre exposição com animais pré-históricos

Professor da USP fala sobre exposição com animais pré-históricos

São 11 réplicas em tamanho real de criaturas extintas há milhares de anos expostas em shopping de Ribeirão Preto

Parece até de verdade. Poliuretano, resina e fibras naturais foram os materiais utilizados para reproduzir os animais gigantes que estão em exposição no RibeirãoShopping para que ficassem com a aparência mais real possível.

A criação foi feita por paleontólogos da PaleoWorks, sob o comando dos tchecos Radek Labuta e Zdenek Triskala.

Os animais que datam da Pré-História são os "Gigantes da Era do Gelo" que ficam na praça central do RibeirãoShopping até o dia 11 de março. A exposição, que já percorreu Europa e América do Sul, chega ao interior de São Paulo com 11 réplicas em tamanho real de animais extintos há milhares de anos. 
A partir de registros de fósseis e ossos encontrados, os pesquisadores puderam reproduzir os animais com base em métodos científicos de reconstrução em paleontologia.

Os trabalhos demoraram mais dois anos para serem executados e com base nesses registros, foi possível calcular a massa corporal, a gordura, a pele e a musculatura de cada uma das espécies. 
Para o professor Max Langer, responsável pelo departamento de biologia da USP, existem trabalhos que abordam a anatomia desses bichos, e até a própria relação que eles têm com os animais viventes do grupo.
É o caso da preguiça gigante que passou por uma evolução e do Gliptodonte, parente do Tatu.

"Através desses parentescos, dá para imaginar como eles seriam com um grau de precisão muito grande", explica.

Origem

Max lembra que uma exposição de animais extintos há milhares de anos é muito importante porque dá a dimensão de "como eram em vida". 
Algumas réplicas chegam a ter mais de 4 metros de altura. A exposição conta também com painéis explicativos com informações, além de curiosidades sobre os animais. O professor explica que, para sorte dos estudiosos, os animais que viviam em regiões polares têm um destino diferente da maioria dos fósseis.

"Eles morreram há cinco ou 10 mil anos, numa região tão fria que a pele, os ossos e outros tecidos ficaram congelados, o que preservou bastante esses restos mortais", conta.
Há animais que viveram em várias partes do mundo, inclusive na América do Sul e no Brasil, como é o caso da preguiça gigante e do Gliptodonte.
Ainda segundo Max Langer, essas réplicas são de animais bem recentes, de até 20 mil anos atrás, no máximo, época em que o ser humano já andava por essas bandas.

"Alguns desses animais chegaram a conviver com pessoas", revela.

Serviço

Exposição Gigantes da Era do Gelo

Até 11 de março, no RibeirãoShopping
Das 10h às 22h (de segunda a sábado) e das 12h às 20h (aos domingos e feriados).
Gratuito

Visitas Monitoradas
Agendamento pelo telefone (16) 4003-4134. A monitoria é prestada por alunos do Laboratório de Paleontologia da USP - Ribeirão Preto (curso de Biologia), que podem acompanhar, esclarecer dúvidas e explicar a origem e história de cada animal em exposição.

FONTE: http://www.jornalacidade.com.br/editorias/caderno-c/2012/02/16/professor-da-usp-fala-sobre-exposicao-com-animais-pre-historicos.html