Comemoramos, neste dia 27 de agosto, dois anos de vida do Observatório da Comunicação Pública (OBCOMP), projeto de referência na área da comunicação pública. Doutorandos, mestrandos e estudantes de graduação vinculados ao Núcleo de Comunicação Pública e Política (Nucop),  da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, pesquisam e registram centenas de informações, produções acadêmicas, mídias e produtos de comunicação gerados por instituições estatais, organizações privadas e universidades em torno de temas de interesse público.

O OBCOMP foi criado com recursos públicos do CNPq (Edital 43/2013) e sua manutenção se deve ao investimento técnico e funcional da UFRGS. Constitui-se também como importante prática no campo da democracia digital, que demarca as pesquisas do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia/Democracia Digital (INCT-DD), do qual o Nucop/UFRGS participa. Ao longo desses dois anos, o projeto produziu mais de 175 notícias e 18 textos inéditos, entre entrevistas e artigos assinados; divulgou 80 eventos acadêmicos; compilou mais de 60 campanhas publicitárias, sempre sobre temas de interesse público que provocam a reflexão sobre os processos de comunicação constituídos pela sociedade, pela mídia ou pelo Estado. Além disso, na biblioteca do Obcomp, uma das seções mais acessadas do Observatório, são referenciados mais de 175 livros e outros 168 artigos acadêmicos nas áreas de comunicação pública, democracia digital, deliberação, mídias, comunicação governamental, informação, política e opinião pública; 125 periódicos com indicação de Qualis; mais de 140 teses e dissertações divididas em oito áreas: comunicação pública, comunicação política, comunicação de estado e governamental, opinião pública, esfera pública e deliberação, mobilização social, jornalismo e interesse público, mídias e internet; além das pesquisas em andamento ou já finalizadas pelos principais pesquisadores brasileiros.

Tudo isso nos permite comemorar e ratificar a certeza de que o Observatório de Comunicação Pública se faz necessário em tempos de questionamento da democracia. As características de funcionamento do OBCOMP e seu compromisso com a comunicação pública tem gerado estudos que permitem discutir cidadania e o acesso à comunicação do estado democrático. Na contramão, o descaso demonstrado pelo Estado em relação à comunicação pública e o investimento simbólico que vem sendo realizado para justificar a necessidade de extinguir órgãos como a EBC e a Fundação Piratini (no RS) demonstram o distanciamento dos governos e políticos para com a sociedade. A falta de discussão sobre os temas vitais que transitam no Congresso Nacional desqualificam a nossa democracia.

Por tudo isso, após dois  de atividades, já é possível pensar na restruturação editorial do projeto, baseada em avaliações do grupo que o opera e na certeza da sua importante função para quem pesquisa comunicação pública e política, bem como espaço de visibilidade para opiniões e práticas relacionadas ao interesse público. As mudanças apontam para a ampliação de debates sobre temas e produtos veiculados no site, a fim de qualificar a crítica sobre os temas e cumprir a função de disponibilizar essas informações, que hoje constituem o maior repositório sobre sistemas, mídias e a produção vinculada à comunicação pública no Brasil.

Cabe, por fim, agradecer aos professores, pesquisadores e estudantes que integram os conselhos e as editorias do OBCOMP, dando-lhe legitimidade e credibilidade nesta importante área de conhecimento acadêmico. Vida longa ao OBCOMP.

Histórico de Editoriais
14 de ABRIL de 2020
30 de DEZEMBRO de 2019
11 de ABRIL de 2019
30 de MAIO de 2018
19 de DEZEMBRO de 2016
13 de SETEMBRO de 2016
24 de MAIO de 2016
15 de ABRIL de 2016
27 de AGOSTO de 2015
Compartilhe:

Campanhas de Interesse Público

Notícias

Textos e Opiniões

  Atualizar Código