Panstrongylus spp

       O gênero Panstrongylus pertence à subfamília Triatominae, a qual compreende insetos conhecidos como "barbeiros"ou "chupanças", transmissores do flagelado Tripanossoma cruzi.  Compreende espécies domésticas e peridomésticas, algumas importantes disseminadoras da Doença da Chagas. Machos e fêmeas realizam hematofagia obrigatória. Como todo hemiptera, são paurometabólicos. Seu biótopo é condicionado pela fonte de alimentação e, uma vez encontrem condições favoráveis no local onde vivem, pouco se distanciam. Raramente voam. Saem à noite de seus esconderijos para picar, sendo a picada indolor em virtude da ação anestésica da saliva. Eliminam dejeções sob o local da picada após os repastos sanguíneos, as quais contém as formas infectantes do T.cruzi. Têm cabeça alongada e estreita, pescoço nítido, probóscida reta e antena inserida junto aos olhos, característica esta que distingue o gênero Panstrongylus (1) dos demais. Panstrongylus megistus é própria do Brasil,  uma espécie grande (os machos medindo de 26-34mm e as fêmeas 29-38mm). Sua cor geral é negra com manchas vermelhas. Associado especialmente a regiões de clima úmido. Sua importância como vetor diminui de São Paulo para o Sul, paralelamente à diminuição de sua densidade intradomiciliar. É a espécie mais importante na transmissão da Doença da Chagas no Brasil, juntamente com Triatoma infestans. A espécie P.geniculatus é mais silvestre, mas pode adentrar habitações humanas. Controle da infecção através da melhoria das habitações, não construí-las junto às matas densas e aplicação de inseticidas nas residências.

 

Panstrongylus