PGDR articula rede de pesquisa em Segurança Alimentar e Nutricional

No mês de junho, mais precisamente no dia 4, ocorre uma dupla inauguração: o Círculo de Referência em Agroecologia, Sociobiodiversidade, Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (ASSSAN Círculo) e o Grupo de Interesse Especial (SIG, na sigla em inglês) voltado a essas temáticas - iniciativas intimamente atreladas.

O ASSSAN Círculo é uma institucionalização do esforço de vários grupos do Brasil, México, Costa Rica, Bolívia, Colômbia, Argentina e Uruguai que vêm trabalhando em paralelo com as temáticas mencionadas. Trata-se de um espaço que está sendo criado na estrutura do Centro Interdisciplinar Sociedade, Ambiente e Desenvolvimento (CISADE), órgão auxiliar da Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS. Já o SIG se dá a partir da instauração de uma unidade NutriSSAN, uma sala virtual certificada pelo Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), e do desenvolvimento de uma agenda mensal comum de reuniões propostas por diferentes instituições em rede.

O Círculo é o centro que busca nuclear iniciativas em SAN na UFRGS e, assim, abriga os seguintes grupos de pesquisa:

  • Grupo de Estudos em Desenvolvimento Rural Sustentável na Mata Atlântica (DESMA), coordenado pela professora Rumi Kubo;

  • Núcleo de Estudos em Segurança Alimentar e Nutricional (NESAN), coordenado pela professora Gabriela Coelho-de-Souza;

  • Grupo de Estudos e Pesquisa em Interculturalidade e Economias do Sul (GEPIES), coordenado pela professora Daniela Kuhn;

  • Núcleo Inovação, Sociedade e Eco-territorialidades, coordenado pela professora Flávia Charão;

  • Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE), coordenado pela professora Luciana Dias de Oliveira, no Departamento de Nutrição;

  • Núcleo de Extensão em Desenvolvimento Territorial (NEDET), que trabalha com apoio a municípios e movimentos sociais no sentido de planejar o desenvolvimento rural e fomenta a colaboração a partir de um plano de ações com o objetivo de inclusão de agricultores familiares, povos e comunidades tradicionais, mulheres e jovens;

  • Observatório Socioambiental em Segurança Alimentar e Nutricional (Obssan), que é uma ferramenta desenvolvida para monitorar indicadores voltados à SAN dos municípios e territórios. A plataforma digital, sediada no PGDR e criada em 2018, permite a consulta aos dados levantados e abriga planos territoriais de desenvolvimento rural.


Assumindo papel de centro junto ao MCTIC, tem como objetivo contribuir na articulação de pesquisas e iniciativas em SAN na região sul. Por este motivo, contribui na articulação dos projetos, também aprovados na rede NutriSSAN, A construção de mercados institucionais para a agricultura familiar no Brasil e na Colômbia: atores, instituições, práticas e processos de autonomia Diálogo e interação entre pesquisa, extensão e capacitação para a SAN e desenvolvimento rural, coordenado pela professora Catia Grisa, e Alimentação adequada e saudável no controle da alimentação escolar: difusão do consumo de produtos da sociobiodiversidade regional, coordenado pela professora Luciana Dias de Oliveira.


SIG - O Grupo de Interesse Especial leva o nome de ASSSAN, pois congrega as mesmas temáticas abarcadas pelo Círculo. Ele é proposto pelas unidades NutriSSAN ASSSAN/PGDR/UFRGS e CelaSSAN/UNILA (Universidade Federal da Integração Latino-Americana), em parceria com INEAF/UFPA (Universidade Federal do Pará), Embrapa Clima Temperado e Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia. Além disso, há as instituições associadas ao ASSSAN Círculo.

Na agenda do SIG ASSSAN já estão previstas webconferências com Freddy Delgado, da Sociedade Latinoamericana de Etnobiologia, Senilde Guanaes, do CelaSSAN/UNILA, Erika Carcaño, da Universidad Guanajuato, Nina Larajeira, da UNB e Flavio Barros, do INEAF/UFPA.

A Rede NutriSSAN é uma plataforma tecnológica de comunicação, interação virtual e cooperação em rede e se incorpora às estratégias de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (SSAN). Como uma ferramenta de apoio, seu objetivo é dar suporte à articulação em redes favorecendo a formação, a educação permanente e a integração entre pesquisadores, extensionistas, estudantes e sociedade. A iniciativa é uma parceria entre o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e a organização social Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), inicialmente articulada em conjunto com o Ministério de Relações Exteriores. Ao todo, são 89 projetos aprovados em um edital do CNPq de 2016, inicialmente voltado à UNASUL, mas logo redirecionado para compor a Rede Latinoamericana de SSAN.

Gabriela Coelho-de-Souza, coordenadora do ASSSAN Círculo, acredita que o SIG abrirá um canal de construção do conhecimento em SSAN, compartilhamento de experiências e processos de formação promovidos pelos pesquisadores das instituições parceiras, permitido as mais diversas conexões para a construção do campo da SAN na América Latina. Entre os avanços esperados está a internacionalização das instituições”.

Viviane Camejo, pós-doutoranda no PGDR, informa que, além da criação do SIG, o edital também previa a promoção de atividades de formação. Nesse sentido, está em gestação um curso de extensão em SSAN em modalidade EAD. Inicialmente, as vagas serão voltadas apenas às instituições parceiras.

Essa foi a trajetória de outra atividade formativa: Governança em Segurança Alimentar e Nutricional, atualmente disponível na Plataforma Lúmina, da UFRGS. O projeto que originou o curso, coordenado pela Secretaria de Educação a Distância (SEAD) e pelo PGDR, realizou, anteriormente, um curso de extensão EaD, uma capacitação presencial de 40h e 40 seminários em diferentes municípios do RS, atendendo a mais de 2000 participantes no total.

No que tange à formação no escopo do ASSSAN Círculo, encontra-se também a agenda de cursos de capacitação proposta pelo PANexus (veja também).


Círculo - Viviane lembra que os próprios alunos do PGDR têm colaborado na formação da Rede Latinoamericana de SSAN, já que muitos vêm de países da região. “É importante ressaltar a relevância que os alunos estrangeiros do PGDR no fomento ao processo de internacionalização do programa, um dos focos neste momento. Duas professoras da Escola de Nutrição da Universidade da Costa Rica vieram fazer o doutorado no programa; uma aluna do doutorado tem auxiliado na articulação com instituições na Colômbia de que ela fez parte. Assim foi acontecendo a costura.”

Segundo Viviane, as próprias universidades estão estabelecendo relações de pesquisa entre si a partir do contato promovido pelo ASSSAN. A ideia é que pessoas da América Latina que trabalham nas temáticas do Círculo possam se aproximar, trocar informações, propor projetos em conjunto. Já há alguns trabalhos e publicações produzidos, especialmente estudos comparativos entre países.

Para a pós-doutoranda, é importante mencionar, ainda, a interdisciplinaridade dos membros do ASSSAN, que provêm de áreas como Nutrição, Agronomia, Biologia, Ciências Sociais, Engenharia Florestal e Oceanografia.

Entre as instituições parceiras no Brasil, estão a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS), a UFPA, a Embrapa Clima Temperado e a Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia.

Da América Latina, fazem parte da rede pesquisadores vinculados às seguintes instituições: Universidad de Costa Rica (UCR), Uniminuto, Asociación Colombiana de Ingenieros en Agroecología (ACOINAGRO), Universidad Nacional de Colombia Sede Bogotá (UNAL Bogotá), Universidad Nacional de Colombia Sede Medellín (UNAL Medellín), Colegio Mayor de Antioquia (COLMAYOR), Corporación Universitaria Minuto de Dios (UNIMINUTO), INTA, Universidad de Guanajuato (UGTO), Facultad de Desarrollo Rural y Territorial/ Universidad Mayor de San Simon  (Posgrado FDRyT-UMSS).

« Abril 2020 »
Abril
DoSeTeQuQuSeSa
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930