Você está aqui: Página Inicial O Programa

O PPE

O que é o PPE?

Fundado em dezembro de 1993 pela Profa. Dra. Margarete Schlatter, o Programa de Português para Estrangeiros (PPE) é um programa de extensão que promove cursos de português para falantes de outras línguas, cursos de formação de professores, desenvolve pesquisa e material didático na área e promove intercâmbios com instituições de ensino nacionais e internacionais. Seus professores e pesquisadores são centralmente alunos bolsistas da graduação e pós-graduação do Instituto de Letras (IL) da UFRGS. Alunos de outros cursos de graduação da UFRGS, como Teatro ou Jornalismo, participam como professores bolsistas de cursos de natureza interdisciplinar, em docências compartilhadas com professores bolsistas da Letras. Na secretaria, atuam dois bolsistas de graduação. Ao total, o PPE conta com aproximadamente 30 professores bolsistas por semestre, sob a coordenação de uma equipe formada por três professoras do quadro docente do IL/ UFRGS.

 

Seguindo uma perspectiva teórica que entende o uso da linguagem como ação social (Clark, 2000), organizada por gêneros do discurso (Bakhtin, 2003), e focalizando o ensino e a aprendizagem como construída conjunta e situadamente pelos participantes (Vygotsky, 1994; Schlatter, Garcez & Scaramucci, 2004; Abeledo, 2008; Schlatter e Garcez, 2009, 2012), as diretrizes didático pedagógicas dos cursos ministrados são o ensino por tarefas e por projetos de aprendizagem. Do nível básico ao avançado, com turmas de 5 a 15 alunos, são oferecidos mais de 30 cursos, nos quais se faz uso de material didático elaborado pelo programa. Como parte dos procedimentos de matrícula, todos os alunos fazem um teste de nivelamento para ingressarem no nível adequado ao seu conhecimento prévio da língua.

 

Tendo iniciado suas atividades em 1994, com apenas cinco alunos, hoje o PPE recebe de 250 e 300 alunos por semestre, de mais de 45 países, com diferentes idades e com propósitos diversos, como aperfeiçoar a língua portuguesa, desenvolver pesquisa e estudos universitários no Brasil, fazer negócios com firmas brasileiras, entre outros. A maioria dos alunos faz parte de convênios entre a UFRGS e outras universidades.


Objetivo geral
Promover a formação continuada de professores de PLA e contribuir para a expansão e o aprimoramento do ensino de PLA e da pesquisa na área.

Objetivos específicos

  • Oferecer cursos presenciais e a distância de PLA, literatura e cultura brasileira;
  • Elaborar materiais didáticos de PLA, literatura e cultura brasileira;
  • Aplicar o exame Celpe-Bras;
  • Oferecer cursos de formação de professores de PLA, em níveis de extensão, graduação e pós-graduação;
  • Promover intercâmbio com universidades brasileiras e estrangeiras que atuam na área de PLA;
  • Desenvolver pesquisa na área de ensino e aprendizagem de PLA;
  • Contribuir para a internacionalização da UFRGS.


Público alvo

  • Estudantes de universidades estrangeiras com convênios específicos com o PPE/UFRGS;
  • Estudantes estrangeiros em intercâmbio de graduação e pós-graduação na UFRGS;
  • Estudantes do Programa de Estudantes-Convênio de Graduação (PEC-G);
  • Estudantes do Programa de Estudantes-Convênio de Pós-graduação (PEC-PG);
  • Estudantes em situação de migração com convênios com a UFRGS;
  • Estudantes brasileiros da UFRGS (graduação e pós-graduação) que tenham o português como língua adicional (estudantes de comunidades indígenas, quilombolas etc.) e que sejam ouvintes;
  • Outros estrangeiros interessados em aprender português (estrangeiros que possuam visto temporário, permanente ou de estudante – este obtido através de programas de intercâmbios de graduação ou pós-graduação com outras instituições; no momento, não estamos fornecendo Cartas de Aceitação para concessão de visto de estudante; não aceitamos alunos com visto de turista.);
  • Candidatos ao Celpe-Bras;
  • Alunos de Letras e áreas afins interessados em formação de professores de PLA;
  • Professores de PLA interessados em formação continuada de professores.

 

Referências bibliográficas:
ABELEDO, M. O. L. Uma compreensão etnometodológica da aprendizagem de língua estrangeira na fala-em-interação de sala de aula. 2008. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.
BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
CLARK, H. H. O uso da linguagem. Cadernos de Tradução, n. 9, p. 49-71, 2000.
SCHLATTER, M.; GARCEZ, P. M. Línguas adicionais (Espanhol e Inglês). In RIO GRANDE DO SUL, Secretaria de Estado da Educação. Departamento Pedagógico. Referenciais Curriculares do Rio Grande do Sul: linguagens, códigos e suas tecnologias. Secretaria de Estado da Educação. v. 1. Porto Alegre: SE/DP, 2009. p. 127-172.
SCHLATTER, M.; GARCEZ, P. M. Línguas Adicionais na escola: aprendizagens colaborativas em inglês. Erechim, RS: Edelbra, 2012.
SCHLATTER, M.; GARCEZ, P.M.; SCARAMUCCI, M.V.R. O papel da interação na pesquisa sobre aquisição e uso de língua estrangeira: implicações para o ensino e para a avaliação. Letras de Hoje, n. 39, v. 3, p. 345-378, 2004.
VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.
registrado em: , ,