Você está aqui: Página Inicial ITINERÁRIO DO MEDICAMENTO NA REDE DE ATENÇÃO EM SAÚDE

ITINERÁRIO DO MEDICAMENTO NA REDE DE ATENÇÃO EM SAÚDE

Ementa:

Trata da qualificação da assistência farmacêutica no reconhecimento e reflexão acerca da relação do usuário na busca pelo medicamento e no reconhecimento das dificuldades de trajetória estabelecidas, buscando centrar as ações no usuário e na sua cultura, promovendo discussões que possam fortalecer a humanização do cuidado e integralidade na atenção à saúde.

Bibliografia:

BELLATO, R; ARAÚJO; L.F.S; CASTRO; P. O itinerário terapêutico como uma tecnologia avaliativa da integralidade em saúde. In: PINHEIRO, R.; SILVA JUNIOR, A. G.; MATTOS, R. A. Atenção básica e integralidade: contribuições para estudos de práticas avaliativas em saúde. ABRASCO, 2008. Pg 167 CABRAL, A. L. L. V. et al. Itinerários terapêuticos: o estado da arte da produção científica no Brasil. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 16, n. 11, Nov. 2011 . CECCIM, R.B. Equipe de saúde: perspectiva entre-disciplinar na produção dos atos terapêuticos. In: PINHEIRO, R.; MATTOS, R.A. (Orgs.). Cuidado: as fronteiras da integralidade. 3.ed. Rio de Janeiro: IMS/Uerj/Abrasco, 2006. p.259-78. GUERIN,G.D.; ROSSONI,E ;BUENO,D,Itinerários terapêuticos de usuários de medicamentos de uma unidade de Estratégia de Saúde da Família. Ciênc. saúde coletiva Rio de Janeiro, v. 17, n. 11, Nov. 2012. JUNGES, J. R. et al. Saberes populares e cientificismo na estratégia saúde da família: complementares ou excludentes?. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 16, n. 11, Nov. 2011 KLEINMAN, A. Patients and healers in the contexto f culture. Berkeley: University of California Press, 1980. LIMA, V.M.C.L. Peregrinação, empoderamento, retrocessos no acesso a medicamentos por via judicial no Estado do Amazonas – Brasil. Dissertação de mestrado apresentada a Universidade do Vale do Itajaí. Santa Catarina, 2009. HECKLER, A.P.M & OLIVEIRA, F.A de. In: PINHEIRO, R; MATTOS, R. A, organizadores. Cuidar do cuidado: responsabilidade com a integralidade das ações de saúde. ABRASCO, 2008 GERHARDT, T. E. Itinerários terapêuticos em situações de pobreza: diversidade e pluralidade. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 22, n. 11, Nov. 2006 HELMAN, Cecil G. Cultura, Saúde e Doença. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994. LAGE, E. A.; FREITAS, M. I.; ACURCIO, F. A. Informação sobre medicamentos na imprensa: uma contribuição para o uso racional? Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, 2005, vol.10, suppl., pp. 133-139. LEITE, S. N.; VASCONCELLOS, M. P. Construindo o campo da pesquisa: reflexões sobre a sociabilidade estabelecida entre pesquisador e seus informantes. Saúde e Sociedade São Paulo, v. 16, p. 169-177, 2007 LEITE, S. N.; VASCONCELLOS, M. P. Medicamentos e outros Recursos Utilizados no Enfrentamento das Doenças Infantis no Cotidiano Familiar: Estudo Qualitativo. Latin American Journal of Pharmacy 28 (6): 835-42, 2009 LEITE, S. N.; VASCONCELLOS, M. P. Os diversos sentidos presentes no medicamento: elementos para uma reflexão em torno de sua utilização. Arquivos Catarinenses de Medicina, vol.39, nº 3, 2010 MANGIA, E. F.; MURAMOTO, M. T. Itinerários terapêuticos e construção de projetos terapêuticos cuidadores. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo, São Paulo, v. 19, n. 3, dez. 2008 OLIVEIRA, F. A. de. Antropologia nos serviços de saúde: integralidade, cultura e comunicação. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 6, n. 10, Feb. 2002 . Disponível em <http://www.scielo.br PANIZ, V. M. et al . Acesso a medicamentos de uso contínuo em adultos e idosos nas regiões Sul e Nordeste do Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 24, n. 2, fev. 2008 . Disponível em <http://www.scielo.br PEPE, V. L. E. et al . A judicialização da saúde e os novos desafios da gestão da assistência farmacêutica. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 5, Aug. 2010. Disponível em <http://www.scielo.br PONTES, A.L.M et al. Itinerários terapêuticos e Estratégia de Saúde da Família: discursos sobre o processo saúde-doença e acesso aos serviços de saúde no trabalho do Agente Comunitário de Saúde. In: PINHEIRO, R.; SILVA JUNIOR, A. G.; MATTOS, R. A. Atenção básica e integralidade: contribuições para estudos de práticas avaliativas em saúde. ABRASCO, 2008. Pg 237 RICHARDSON, R.J. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3 ed. Revisada e ampliada. São Paulo: Atlas, 1999

Disciplina não obrigatória