Home > Áreas de Atuação

ÁREAS DE ATUAçãO

O curso de Engenharia de Produção possui uma base científica e tecnológica que a caracteriza como grande área. Esse conjunto de conhecimentos, que está parcialmente listado a seguir, é fundamental para que qualquer tipo de sistema produtivo tenha um funcionamento coordenado e eficaz:

- Engenharia do Produto;

- Projeto de Fábrica;

- Processos Produtivos;

- Engenharia de Métodos e Processos;

- Planejamento e Controle da Produção;

- Custos da Produção;

- Qualidade;

- Organização e Planejamento da Manutenção;

- Engenharia de Confiabilidade;

- Ergonomia;

- Higiene e Segurança do Trabalho;

- Logística e Distribuição;

- Pesquisa Operacional;

- Gestão de Projetos.

A Engenharia de Produção preocupa-se com o projeto, a instalação, o controle e a melhoria de sistemas integrados de recursos humanos, equipamentos e materiais. Ela utiliza conhecimentos especializados de matemática, física e ciências sociais, conjuntamente com os métodos de Engenharia de Projeto e Análise, para especificar, prever e avaliar os resultados obtidos em tais sistemas.

As modificações de mercado das últimas décadas fizeram com que os Engenheiros de Produção sejam chamados com frequência crescente para aconselhar a gerência na tomada de decisão em problemas que envolvem o sistema como um todo. Além de assegurar a operação e utilização ótima dos equipamentos, os Engenheiros de Produção têm que lidar com o problema de adaptar a fábrica e capacitar seus empregados a um ambiente tecnológico que se altera com uma velocidade crescente.

Engenheiros de Produção não estão primariamente preocupados com os equipamentos, pois esse é o domínio dos Engenheiros Mecânicos e Elétricos; nem com as pessoas, pois esse é o domínio dos Sociólogos; nem com aspectos financeiros, que é o domínio dos Economistas; nem mesmo com a atividade administrativa, que é o domínio dos Administradores. Em vez disso, o Engenheiro de Produção está preocupado com a interação entre máquinas, pessoas, a organização e o envolvimento destes com o mundo exterior. Em particular, o Engenheiro de Produção deve ser capaz de entender as preocupações técnicas dos Engenheiros e as preocupações financeiras e organizacionais dos administradores. Ele precisa conhecer ambas as linguagens e entender a cultura e a visão de engenheiros e administradores.

Não basta ao Engenheiro de Produção entender o sistema onde atua. Como um Engenheiro (a raiz da palavra é engendrar, ou seja, fazer), ele deve criar coisas novas, que representem melhorias e que ajudem a organização a atingir suas metas. Portanto, ele não deve contentar-se em manter as políticas e procedimentos vigentes, mas assegurar que novos conceitos sejam implementados de forma a alcançar algo melhor que aquilo que existia antes. Projeto e desenvolvimento são tão importantes aos Engenheiros de Produção como aos demais Engenheiros.

A maior necessidade de Engenheiros de Produção talvez ocorra quando há inovações de tecnologia e/ou gerenciamento. Quando isso acontece, as organizações precisam responder rapidamente para tirar proveito das inovações. Nesse ambiente, o Engenheiro de Produção, com forte visão sistêmica, pode fornecer uma importante contribuição, dirigindo o processo de adaptação.

O Engenheiro de Produção vê a fábrica como um sistema e entende a interconexão entre as partes deste sistema. Ele é capaz de prever o impacto que alterações em uma das partes irão produzir no sistema como um todo. As organizações aprenderam a reconhecer a importância de tais conhecimentos. No passado, na década de 50, a Engenharia de Produção foi criticada por outras Engenharias que alegavam que aquilo que os Engenheiros de Produção faziam não era verdadeira Engenharia. No entanto, o ponto de vista sistêmico ganhou popularidade, passou a ser adotado em outras Engenharias, e as críticas desapareceram.

Vale mencionar que, até o final da primeira metade deste século, o campo da Engenharia de Produção estava limitado quase que exclusivamente a ambientes industriais. No entanto, logo ficou evidente que as técnicas da Engenharia de Produção também podiam ser aplicadas a bancos, hospitais, sistemas de transporte, etc. Assim, observa-se uma ampliação no campo de atuação dos profissionais formados nos cursos de Engenharia de Produção.