Posts Tagged ‘ausência de visão crítica’

Síndrome do excesso de informação

sábado, junho 16th, 2012

11814937

Vivemos na era da informação. Há um apelo muito grande no sentido de se buscar atualização e conhecimento, porém está cobrança pode ter conseqüências negativas caso não haja controle ou limites. O excesso de informação ou o não saber lidar com o volume de informações disponível no ambiente Info, pode ser causa de distúrbios psicológicos, aparecimento de novos tipos de transtornos ou mesmo, da presença de sintomas com impactos negativos à saúde Física e Mental do homem moderno. Muitas pessoas estão se tornando ansiosas pelo fato de não conseguirem assimilar o grande volume de informações disponíveis. Esta angústia é conhecida como a Síndrome do excesso de informação, que em casos graves pode levar a pessoa a um sentimento de obsolescência.

O Psicólogo criador do conceito de Síndrome da Fadiga Informativa, David Lewis, autor do texto “Morrendo pela Informação?”, afirma que o excesso de informação paralisa a capacidade analítica e aumenta dúvidas e ansiedades. Descrevendo os efeitos da sobrecarga de informações sobre um indivíduo, David afirma que esta condição pode gerar estresse, tensão, distúrbios de sono, problemas digestivos, dificuldade de memorização e irritabilidade. As sugestões para sobrevivência nesse contexto sugeridas por estudiosos no assunto implicam na abstinência ao uso ou acesso controlado à internet e a outros meios de comunicação. Sugerem ainda, caminhadas ao ar livre, prática de exercícios e planejamento do tempo – com pausas ou interrupções freqüentes que, em última análise, seriam sessões intermitentes de abstinência.

Nem todas as opiniões, no entanto, destacam aspectos negativos desta prática. Enquanto alguns enxergam os diversos aspectos contraproducentes da técnica e da tecnologia e enfatizam principalmente a passividade do homem diante da tecnologia, ou seja, uma ausência de visão crítica frente aos impactos agregados do seu uso. Afirmam, ainda, que a internet está tornando as pessoas ansiosas, estressadas, superficiais, outros defendem o contrário e destacam aspectos positivos como, a internet está encurtando distâncias e ampliando conhecimentos. Acreditam que os recursos da técnica e da tecnologia são os principais deflagradores do avanço da humanidade. Dizem, por exemplo, que o ciberespaço é a nova e melhor forma de comunicação e distribuição do conhecimento.

Alguns de seus defensores possuem realmente uma aversão incontrolável a evolução tecnológica que chega até mesmo ao ponto de considerar o desenvolvimento tecnológico a fonte de diversos problemas sociais na contemporaneidade. Andrews (2003) afirma que, com os grandes avanços da automação e da informática, imaginou-se que o indivíduo trabalharia cada vez menos e disporia de um tempo maior para o lazer, as artes, a natureza, a família e a vida espiritual. Segundo este autor ocorreu justamente o contrário. O indivíduo está trabalhando cada vez mais, dispondo de menos tempo e ficando cada vez mais estressado.

Independente das opiniões divergentes, todos concordam que, de vez em quando, é preciso desconectar-se. E que nos momentos de conexão é preciso estabelecer prioridades. É impossível viver sem usufruir dos avanços da tecnologia.

Nossa orientação no caso é que o usuário de internet passe a refletir de forma consciente sobre a necessidade de tanta informação e sobre a importância em admitir sermos eternos aprendizes. Admitir que ninguém precisa, nem é possível saber tudo. Ajudá-lo a administrar seu tempo de exposição virtual, estabelecer limites na busca de informações e aprender a priorizar e selecionar boas fontes de conhecimento.

Profa.Dra Edna Paciência Vietta

Psicóloga Clínica