Você está aqui: Página Inicial Núcleos e Laboratórios LOPI - Laboratório de Observação de Processos Interativos

LOPI - Laboratório de Observação de Processos Interativos

Coordenação: Prof. Cesar A. Piccinini e Profª. Rita Sobreira Lopes
Localização: Sala 111

 

Objetivos

O LOPI Criado inicialmente em 1987 para reproduzir a Situação Estranha de Ainsworth, que avalia apego mãe-bebê, o Laboratório de Observação de Processos Interativos (LOPI), passou a ser utilizado também em outras investigações que necessitavam realizar observações de interações diádicas (mãe-bebê, pai-bebê, adulto-criança), e triádicas (pai-mãe-bebê/criança), assim como sessões de psicoterapia. Diversos temas já foram pesquisados no LOPI, como, por exemplo, apego e temperamento infantil, práticas educativas parentais, bem como a qualidade da interação pai-mãe-bebê/criança em diversas situações (ex. doença crônica, adoção, problemas de comportamento, depressão materna, genitores adolescentes, nascimento do segundo filho).

 

Equipamentos disponíveis

  • Duas câmara de vídeo – com objetiva grande-angular
  • Duas TV 12"
  • Caixas de brinquedos para diferente idades

 

Histórico

Histórico e Necessidades do LOPI (Sala 113)
Desde sua criação em 1987, os Professores Cesar A. Piccinini, Tânia M. Sperb e Rita Sobreira Lopes e Cleonice Bolsa, com seus respectivos grupos de pesquisa, tem utilizado este laboratório em suas pesquisas. Os equipamentos do LOPI foram adquiridos com recursos do CNPq, FAPERGS e PPG-Psicologia/Ufrgs, concedidos aos Professores Piccinini, Sperb e Sobreira Lopes. A Profª. Ângela Biaggio gentilmente doou uma câmara de vídeo ao LOPI. Recursos pessoais são comumente alocados na manutenção dos equipamentos, compra de brinquedos e outros utensílios do laboratório.
Ao longo de sua existência o LOPI contribuiu enormemente para inúmeras pesquisas de pós-graduandos e professores do pós-graduação. Nele já foram realizadas mais de 20 dissertações de mestrado e 7 teses de doutorado, orientadas particularmente pelo Prof. Cesar A. Piccinini, Profa. Rita Sobreira Lopes, Profa. Tânia Mara Sperb e Profa. Cleonice Alves do PPG-Psicologia.

 

Espaço físico

O LOPI está atualmente localizado na Sala 113 do Instituto de Psicologia e ocupa uma área 36 metros quadrados. Divisórias internas separam a sala em três espaços conforme as fotos abaixo.
Na entrada existe uma pequena ante-sala, que leva à sala principal. Da ante-sala pode-se acompanhar o que se passa na sala principal, através de dois espelho com visão unidirecional. Na ante-sala existe um pequeno espaço com porta onde ficam os operadores das duas câmaras. Contígüo ao LOPI existe uma pequena sala de espera que é utilizada pelas famílias quando aguardam pela sessão de observação.
Visando aumentar o ângulo das observações, duas câmaras analógicas são utilizadas no laboratório, sendo que uma é manipulada diretamente e a outra via um sistema de controle à distância, através de cordas, que permitem manipular a câmera como se esta fosse um marionete (foto abaixo).
Quando não está sendo utilizado para filmagens, o LOPI serve também como espaço para análise e codificação de vídeos filmados no próprio laboratório ou em observações realizadas na própria residência da família, escola ou outros locais em que a criança tenha sido acompanhada.

 

Condições ambientais

Um ar condicionado permite a renovação do ar. Caixas de brinquedos dirigidas para diferentes idades, podem ser utilizadas pelas crianças e famílias.

 

Pessoal de apoio

Duas pessoas são normalmente necessárias durante as filmagens, operando cada uma das câmaras de vídeo.

 

Usuários

Professores, pós-graduandos e graduandos associados ao Grupo de Interação Social, Desenvolvimento e Psicopatologia (GIDEP/UFRGS/CNPq), que funciona junto ao PPG Psicologia do Desenvolvimento.