Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Ferramentas Pessoais
Acessar
Você está aqui: Página Inicial Edições Anteriores Vol. 4, No. 2 - 2014 Copa do Mundo no Brasil e nas aulas de inglês

Copa do Mundo no Brasil e nas aulas de inglês

O projeto intitulado “What about the World Cup?” foi realizado em uma escola da rede estadual localizada na cidade de Viamão (RS) com uma turma de 8º ano (7º série). O trabalho ocorreu durante dois meses e meio, em dois períodos semanais de língua inglesa, totalizando 20 horas, como requisito da disciplina Estágio de Docência em Língua Inglesa I. Em aula, havia em torno de 40 alunos presentes, com idades entre 13 a 17 anos. O produto final realizado foi uma exposição de cartazes nos muros da escola a favor ou contra a Copa do Mundo no Brasil e sua publicação em formato de vídeo no YouTube.

Em ano de Copa do Mundo, diversas manifestações vinham acontecendo no Brasil, tanto a favor como contra o evento. Por causa disso, surgiu uma oportunidade única de trazer esse tópico para dentro da sala de aula de língua inglesa, pois muitas delas traziam cartazes nessa língua adicional, com o intuito de que o protesto fosse entendido por um número muito maior de pessoas. Levando em consideração o fato de que haviam 40 alunos em aula e seria praticamente impossível encontrar um tema de interesse comum entre todos, consideramos que todos estavam de certa forma envolvidos com os acontecimentos desse grande evento internacional. Apesar de Viamão não ser uma das cidades-sede da Copa do Mundo, a equipe da seleção de Equador hospedou-se na cidade, o que a colocou como parte daquele momento. Assim, definimos o produto final a criação de cartazes a favor e/ou contra a Copa do Mundo.

Nas aulas iniciais, nos apresentamos e propomos questões gerais relacionadas a Copa do Mundo a fim de descobrir se os alunos sabiam ou não de alguns detalhes do evento, como a duração da Copa, a data de início e término, de quais países vinham as seleções a caminho de Porto Alegre, se eles sabiam como escrever/falar em inglês seus nomes, qual seleção ficaria em Viamão, entre outros. O objetivo disso foi, além de iniciar a temática, apresentar o vocabulário relacionado a nomes de países.

Em seguida, como dispúnhamos de apenas dois dicionários (um para cada grupo), dividimos a turma em dois grupos. Esses deveriam responder as seguintes questões:

 

1. Ano passado e esse ano aconteceram alguns protestos contra a copa do mundo, aponte algumas reivindicações feitas pelos protestantes

2. Quais são as vantagens que a Copa do Mundo vai trazer para o Brasil? E as desvantagens?

Vantagens:

Desvantagens:

 

            A seguir, distribuímos cópias com as imagens de alguns cartazes utilizadas durante os protestos. Alguns exemplos estão dispostos abaixo (imagens retiradas do Google Imagens).

9b

 

9a

 

 

 

9c9c

 

O objetivo foi que eles lessem e procurassem entender não só o que estava escrito, mas o contexto onde os cartazes estavam circulando. Eles responderam em grupos perguntas como:

 

Esses cartazes são a favor ou contra a Copa do Mundo?

Quais palavras em inglês comprovam a sua resposta anterior?

O sexto cartaz diz “Fifa gol home”, mas “gol” é uma palavra em inglês? A que palavra eles estavam se referindo?

Aponte algumas características em comum entre esses cartazes.

 

O uso dos artigos indefinidos “a” e “an” foi requerido como um dos conteúdos que deveríamos trazer para aula no trimestre, então aproveitamos a oportunidade para trazer mais situações relacionadas à Copa. Desse modo, trouxemos alguns exemplos de frases retiradas de uma notícia sobre a Copa para fazer a distinção.

 

➔ Brazil is a place of great happiness and joy, and we will welcome World Cup visitors with open arms. 

➔ We are a diverse but unified society, a land of talented, determined, creative and innovative people

➔ Tourists that come here for the World Cup should prepare themselves for an unforgettable experience.

➔ This exchange of ideas and opinions between organisers and national teams is an ongoing process.

 

1 - Que palavras aparecem depois de “a”? O que elas tem em comum?

2 - Que palavras aparecem depois de “an”? O que elas tem em comum?

O artigo ____ aparece depois de palavras que começam com ______________.

O artigo ____ aparece depois de palavras que começam com ______________.

 

Nas aulas posteriores, foi feita a primeira versão dos cartazes. Como era um primeiro rascunho, eles podiam procurar o que não sabiam no dicionário, perguntar para nós ou aos colegas. Avisamos que eles leriam mais notícias e cartazes sobre a Copa, não só contra, mas a favor também. Logo após a primeira versão dos cartazes a professora regente da turma nos pediu que fizéssemos uma prova, por isso, fizemos uma prova relacionada a temática que estávamos trabalhando utilizando os textos do cartazes, questões relacionadas a copa e o que nós havíamos estudado em aula até o momento.

Dando continuidade com o projeto, utilizamos a produção dos cartazes para observar os aspectos que os alunos tiveram dificuldade em escrever, então trouxemos a discussão sobre a pontuação nos cartazes, o uso dos verbos no imperativo, tamanho da letra e tamanho do texto. Para exemplificar, aqui estão alguns exemplos de frases retiradas dos cartazes sobre a Copa do Mundo:

 

● Fifa go Home!

● Don’t come to the world cup!

● Tourists, do not judge us!

● Brazil woke up!

 

A partir delas, perguntamos qual era a pontuação em comum entre as frases, qual a função comunicativa de cada uma (expressam o quê?), quem eram os seus  interlocutores (quem deveria “go home” e “don’t come to the World Cup”). Nós também apontamos o uso bastante frequente do imperativo negativo nos cartazes.

A fim de obter mais informações contra e a favor da Copa, realizamos uma tarefa de leitura de pequenas notícias em inglês. Antes, porém, pedimos que eles vissem a data de publicação e também a fonte de forma a reconhecer que as notícias eram de meios de comunicação autênticos. Para evitar o uso do dicionário e da reclamação dos alunos “não sei inglês, como vou ler?”, preparamos um exercício em que eles deveriam ler e combinar as colunas das notícias com a sua tradução. Abaixo estão os títulos e subtítulos das notícias.

 

1. World Cup 2014: eighth construction worker killed in Brazil

9 May 2014: Mohammad Ali electrocuted at Arena Pantanal amid last-minute rush to finish stadiums before tournament in just over a month. The Guardian

 

2. World Cup 2014: Kaka and Robinho omitted from Brazil squad

AC Milan duo Kaka and Robinho were among the big names to miss out on Brazil's provisional World Cup squad on Wednesday. BBC

 

3. 2.57 million tickets already allocated to fans.

A total of 2,577,662 tickets for the 2014 FIFA World Cup™ have already been allocated through all sales phases and channels to date (including the hospitality programme and other constituent groups). FIFA

 

4. The World Cup and Olympics threaten to overwhelm Rio – yet there is time to create a sensation out of disaster

23 Apr 2014: Rio de Janeiro is now desperately behind schedule for the 2016 Olympic Games. Sport's mega-events should not be allowed to traumatise this magnificent, complex city. The Guardian

 

5. Rio 2016 Olympic preparations damned as 'worst ever' by IOC

29 Apr 2014: International Olympic Committee vice-president John Coates warns on readiness, saying it is worse even than Athens 2004. The Guardian

 

6. Police threaten World Cup pay strike

Federal police in Brazil have gone on strike over pay, and threatened to continue their protest during the football World Cup next month. BBC

 

7. Ticketholders encouraged to limit environmental impact and win tickets for the 2014 FIFA World Cup™ final. FIFA

           

Com essas notícias, como tarefa de compreensão, eles deveriam dividi-las entre aquelas que traziam aspectos bons e ruins sobre o evento, justificando sua opinião de porque acreditavam que aquela era uma notícia boa ou ruim e, por fim, dizer quais argumentos foram utilizados na notícia. Os alunos também tiveram que, depois de terem prestado atenção para essas informações, procurar ideias que poderiam ser acrescentadas aos seus próprios cartazes.

Durante uma das nossas aulas, o coordenador pedagógico falou com os alunos sobre a Copa e sobre aspectos que precisavam ser melhorados na comunidade deles, organizamos esses aspectos no quadro para que, se os alunos assim optassem, pudessem acrescentá-los aos seus cartazes. Em seguida, realizamos com os alunos uma atividade comparando os cartazes oficias da copa do mundo e alguns cartazes de protestos. As imagens foram retiradas do Google Images.

 

9e9f

 

9g9h

 

Com esses cartazes, os alunos compararam aspectos gráficos entre um cartaz oficial e um de protesto. Os cartazes oficiais foram importantes também para problematizar com eles por que alguns cartazes continham muito texto e outros menos. Nosso objetivo não era levar um único ponto de vista sobre a Copa do Mundo, por isso, levamos notícias em português que traziam outros pontos de vista sobre o evento. Os alunos foram divididos em sete grupos e cada um ficou com uma notícia, sendo estas:

 

● FIFA registra tatu-bola como mascote da Copa de 2014 e fará anúncio domingo - Estadão[1]

● FIFA divulga pôster oficial da Copa com referência a cultura brasileira - Globo Esporte[2]

● “Juntos num só ritmo”: FIFA lança slogan com samba e gol de Neymar -  Globo Esporte[3]

● Abertura da Copa será no novo estádio do Corinthians, em Itaquera - Folha de São Paulo[4]

● Adidas “brazuca” - nome da Bola Oficial escolhido por torcedores brasileiros - FIFA.com[5]

● FIFA oficializa Brasil como sede da Copa do Mundo - 2014 - Folha de São Paulo[6]

Dilma inaugura Castelão, primeiro estádio pronto para a Copa - R7.Esportes[7]

 

Cada grupo leu e discutiu as suas notícias, anotando o que considerava mais importante para ser acrescentado nos cartazes. Além disso, cada grupo também teve que criar um título e uma chamada para a notícia em inglês. Por fim, os grupos apresentaram as notícias para a turma apresentando os aspectos mais relevantes e que poderiam colaborar com a composição dos cartazes.

Na aula seguinte, nós devolvemos para os alunos a primeira versão dos cartazes com os comentários das professoras e propomos que escrevessem uma segunda versão adicionando todos os aspectos que nós havíamos discutido até então. A reescrita foi realizada em aula e aproveitamos que os alunos estavam em duplas para que cada um colaborasse com o cartaz do outro, dando ideias para melhorias nos cartazes. Após essa reescrita os alunos nos mostraram sua produção em aula e nós comentamos quais melhorias poderiam ser feitas. Após os nossos comentários, os alunos receberam uma folha A4 para escrever a versão final dos cartazes. A versão final foi colada na parede da escola e gravamos um vídeo com os alunos segurando seus cartazes, que pode ser acessado no seguinte endereço: http://youtu.be/uDfNBH6pO7Q. Alguns dos cartazes podem ser conferidos abaixo:

 

9i9j

9k9l

 

Por fim, a avaliação do crescimento dos nossos alunos consistiu em três notas diferentes: a) a produção dos cartazes: a primeira versão, a reescrita e  os comentários no cartaz dos colegas; b) as atividades realizadas em aula: ao final de cada tarefa os alunos sempre entregavam o que haviam produzido ; e c) a prova que foi realizada durante o projeto.  A maioria dos alunos gostou muito de produzir os cartazes e nos disseram que havia sido uma experiência muito diferente do que eles geralmente tinham em sala de aula. Na hora de colar os cartazes, eles estavam muito preocupados com a melhor localização para o seu cartaz, ou que o vento não pudesse danificá-los, o que mostra que o produto final foi significativo para eles.

Acreditamos que algumas melhorias poderiam ter sido feitas. Nós tínhamos planejado trabalhar com a música que faria parte do vídeo, mas em virtude da troca de horários da escola não tivemos tempo hábil para isso. Além disso, não tínhamos muitos recursos, como material para consulta (como dicionários) e a turma era muito grande.

Porém, tivemos vários resultados positivos também. Os alunos, ao final do projeto, conseguiram ler e produzir cartazes em inglês, entender mais sobre os prós e contras da Copa do Mundo e, o mais importante, saber que a língua inglesa pode sim ser usada no Brasil e por eles também. Para nós, como futuras professoras, tivemos nossa primeira experiência em uma  sala de aula em escola pública e percebemos que é possível oportunizar o aprendizado de inglês em contexto e de uma forma que engaje os alunos.

 


 

9m

Ana Paula Seixas Vial

Graduanda em Letras com ênfase em Português e Inglês pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atua como professora do Programa Inglês sem Fronteiras.

 

 

 

 

 

 

9n

Larissa Goulart da Silva

Graduanda em Letras com ênfase em Português/Inglês pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e atualmente é professora de inglês no programa Idiomas sem Fronteiras.

 

 

 

 

 

 

 

Arquivo PDF

Ações do documento

Comentários (0)