Ciência em quadrinhos

Professora de química da rede Estadual desenvolveu, em seu mestrado, uma revista em quadrinhos para o ensino de estequiometria
Página da revista “As confusões de Polinho”
Revista “As confusões de Polinho” foi feita para ser utilizada com alunos do Ensino Médio - Foto: Rochele Zandavalli/UFRGS

Polinho foi convidado para a festa de 15 anos de uma colega no próximo final de semana, mas, como o adolescente ficou de recuperação em química, sua mãe só vai deixá-lo ir se terminar a lista de exercícios de estequiometria – aquela área que estuda e determina as quantidades envolvidas nas reações químicas (lembra do mol, da massa atômica e da massa molecular?). O problema é que o menino não consegue entender a matéria, então seus amigos vão à sua casa ajudá-lo a estudar.

A situação acima, tão comum a estudantes do Ensino Médio, é o ponto de partida do roteiro da revista em quadrinhos “As confusões de Polinho”, desenvolvida pela professora de química da rede Estadual de Ensino do Rio Grande do Sul Fabiane de Andrade Ramos. A história foi criada como parte da pesquisa de mestrado de Fabiane, realizada no Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências da UFRGS, e tem a proposta de ser utilizada para o ensino da estequiometria para alunos do Ensino Médio. Como explica a professora, a estequiometria foi escolhida por ser considerada, por alunos e professores, o conteúdo mais difícil da química, segundo pesquisas realizadas na área. “Os alunos têm muita dificuldades em entender o conteúdo, e o professor, por não ter outros métodos de ensino, tem muita dificuldade em ensinar esse conteúdo”, comenta.

Conforme Fabiane, a ideia de levar os quadrinhos para a sala de aula decorreu de dois fatores: o primeiro foi a percepção, proveniente de sua própria experiência, da pouca variedade de materiais didáticos para o ensino de química, e o segundo foi a leitura do livro Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula, organizado por Angela Rama e Waldomiro Vergueiro. “A produção de material didático é algo que sempre me interessou muito. E, lendo o livro, surgiu a ideia de fazer um mestrado utilizando essas duas coisas: os quadrinhos e a vontade de trabalhar com um material didático diferente”, relata.

Com uma linguagem simples e de fácil entendimento, além de exemplos e ilustrações coloridas, a revista explica o que é a massa atômica, como se calcula a massa de uma molécula e de um composto iônico, o conceito de mol e de massa molar, entre outras questões. Também são apresentados alguns desafios para serem resolvidos pelos estudantes. Como ressalta a orientadora de Fabiane, a professora Angela Wyse, a ludicidade dos quadrinhos tende a deixar a leitura mais leve e agradável e a facilitar a aprendizagem do aluno, “principalmente no conteúdo de estequiometria, que é bastante duro, bastante difícil de os alunos compreenderem”, comenta ela, que é professora na área da bioquímica e que deu aulas de química para estudantes de Ensino Médio no início de sua carreira de docente.

 

A revista

Para a criação do roteiro, primeiramente foi aplicado um questionário aos alunos de três turmas do segundo ano do Ensino Médio da Escola Estadual Adelaide Pinto de Lima Linck, na qual Fabiane dá aulas. “Primeiro a gente fez um questionário para identificar se eles liam quadrinhos, para saber se tinha aceitação esse tipo de material. E nessa mesma pesquisa, a gente fez perguntas pessoais, sobre o que gostavam de ler, o que gostavam de fazer, onde gostavam de ir. O objetivo era conhecer um pouquinho do gosto deles para conseguirmos relacionar a revista ao cotidiano deles”. Assim, a professora buscou trazer para a história elementos com os quais os adolescentes se identificassem. A história se inicia no ambiente escolar e envolve a convivência do jovem com seu grupo de amigos, incluindo ainda referências a festas, videogames, redes sociais e namoros.

Como parte de sua pesquisa de mestrado, Fabiane aplicou a revista aos alunos das três turmas, e comparou o entendimento dos estudantes com os resultados obtidos após uma aula tradicional. Em um primeiro momento, o conteúdo foi apresentado por meio de uma aula convencional – com exposição da professora na frente da sala, quadro negro e livro didático. No dia seguinte, foram aplicados alguns exercícios para a avaliação do grau de retenção do conteúdo. Posteriormente, ela levou a revista para a sala de aula, distribuiu uma para cada aluno e deixou que lessem a história individualmente. No dia seguinte, foi aplicada uma nova avaliação.

As pesquisadoras observaram que o desempenho dos alunos foi cerca de 30% melhor após a leitura da revista em quadrinhos. Além disso, ao final do processo, os estudantes avaliaram a atividade a partir de um questionário. O índice de aceitação da revista foi de 100%. “Eu não imaginava que seria tão bem aceita, porque a gente tinha o dado de que apenas 40% dos alunos tinham o hábito de ler revistas em quadrinhos. E todos disseram que adoraram a atividade, que tinha que ter mais revistas para outros conteúdos. Gostaram muito de trabalhar dessa forma. Alguns até comentaram que iriam voltar a comprar revistas em quadrinhos”, comenta Fabiane. “Foram 40 minutos de aula que eles não respiravam lendo aquilo e rindo sozinhos. Isso é muito gratificante. E depois, corrigir e ver que melhoraram, que conseguiram entender o conteúdo. Aí vale a pena o esforço”, complementa.

A aplicação foi feita no final do ano passado, e, neste ano, após observar os bons resultados da pesquisa, Fabiane utilizou a revista em quadrinhos em suas aulas. Ela conta que a reação dos alunos foi semelhante à observada durante a pesquisa, com os adolescentes demonstrando interesse pela revista e bom desempenho na resolução dos exercícios da matéria.

Apesar de ainda não ter sido publicada, a intenção das pesquisadoras é de, em breve, disponibilizar a revista no repositório digital da UFRGS para que outros professores e estudantes também possam utilizá-la. Além disso, pretendem seguir com o trabalho no doutorado de Fabiane, aplicando essa revista em outras escolas e possivelmente desenvolvendo histórias em quadrinhos com outros tópicos da química.

 

Dissertação

Título: Ensino de estequiometria para o Ensino Médio: criação de uma revista de histórias em quadrinhos
Autora: Fabiane de Andrade Ramos
Orientadora: Angela Terezinha de Souza Wyse
Unidade: Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde

Leia também: