Pesquisadora fala dos avanços na pesquisa em regeneração de tecidos

Investigações aliam ferramentas como a nanotecnologia e a impressão 3D na busca de melhores resultados
Microscópio em primeiro plano. Ao fundo, uma cientista de jaleco trabalha sobre uma bancada
Foto: Thiago Cruz/UFRGS-Arquivo

Patricia Pranke, professora da Faculdade de Farmácia da UFRGS, é uma das fundadoras do Instituto de Pesquisa com Células-tronco, que é referência de pesquisa na área. O grupo multidisciplinar de pesquisadores busca desenvolver técnicas de regeneração de tecidos que podem resolver problemas como AVC e lesões na medula espinhal e regenerar órgãos, podendo, no futuro dispensar o transplante de órgãos em alguns casos.

Nesta entrevista para o Ciência 1080, a pesquisadora fala das perspectivas desse ramo de estudo, seus avanços e as dificuldades da pesquisa no Brasil. O trabalho do Instituto de Pesquisa com Células-tronco pode ser conhecido no site celulastroncors.org.br.

Leia também: