Dieta de Tapirus terrestris Linnaeus em um fragmento de Mata Atlântica do Nordeste do Brasil

Marianne Bachand, Olivier Cameron Trudel, Colette Ansseau, Jarcilene Almeida Cortez

Resumo


A anta (Tapirus terrestris Linnaeus, 1758) é o maior mamífero herbívoro do Brasil. A população de anta está restrita somente a poucos indivíduos, nos fragmentos de mata Atlântica do nordeste brasileiro. Esta população reduzida está ligada à caça, à destruição e à fragmentação de seu habitat, uma vez que as mudanças ocorridas em seu ambiente podem impactar sua rotina diária e sua dieta. Duas antas que vivem no fragmento ”Mata dos Pintos”, Usina Serra Grande (Alagoas) foram o foco principal deste trabalho. A dieta das antas foi determinada seguindo suas trilhas. As plantas que apresentavam marcas de dentes nos caules e folhas foram coletadas, bem como as sementes encontradas nos excrementos. Quarenta e duas espécies vegetais foram consumidas pelas antas da mata dos Pintos, das quais as mais frequentes foram Rubiaceae, Melastomataceae e Arecaceae, típicas de florestas secundárias. Sementes de dezenove espécies foram encontradas nos excrementos das antas, destas 15 estavam intactas, sendo seis sementes grandes (> 1,5cm). O porte grande e o tempo de passagem digestivo da anta implica na dispersão a longas distâncias de sementes grandes, com poucos mecanismos alternativos de dispersão na floresta Atlântica altamente fragmentada.

Palavras-chave


Dispersão de sementes, Fragmentação, Herbivoria, Mata Atlântica, Predação

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.