Estudo preliminar da qualidade da água dos rios Forqueta e Forquetinha, Rio Grande do Sul

Andreia Aparecida Guimarães Strohschoen, Eduardo Périco, Daiane Fátima Batista de Lima, Claudete Rempel

Resumo


As atividades humanas têm causado grandes impactos nos sistemas aquáticos de diferentes formas. Os despejos de efluentes domésticos e industriais causam profundas modificações nesses ambientes, pela introdução de grandes quantidades de substâncias estranhas, em quantidade e qualidade, ao sistema. A maioria dos programas de diagnóstico e controle da contaminação ambiental é baseada nos aspectos físicos e químicos das águas, sendo que os aspectos biológicos ficam normalmente em segundo plano. Porém, nos últimos anos, têm-se dado maior atenção aos aspectos biológicos pois, atualmente, dispõe-se de uma grande variedade de métodos, os quais indicam os danos causados pelos contaminantes sobre a comunidade biológica. A fim de realizar um estudo preliminar de dois rios da Bacia hidrográfica do Rio Forqueta/RS, procedeu-se a seguinte pesquisa na qual, além de análises físicas e químicas (pH, temperatura da água, Demanda Química de Oxigênio (DQO), Oxigênio Dissolvido (OD)), analisou-se a presença de insetos bentônicos. Os resultados revelaram que, para a maior parte das variáveis abióticas, não existe grande diferença sazonal e nem entre os locais analisados. A análise ambiental utilizando somente estes parâmetros forneceu poucas informações com relação às características ecológicas presentes. Isto permitiu inferir que a utilização dos insetos aquáticos em programas de monitoramento de recursos hídricos pode complementar os resultados obtidos por meio das medidas abióticas, sugerindo-se a necessidade da utilização conjunta de diferentes métodos.


Palavras-chave


qualidade da água; análises físicas; químicas e biológicas.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.